teste

sábado, 20 de agosto de 2011

A opinião de Dawkins sobre o ensino de ‘intelligent design’

Recentemente na lista de comentários de um dos posts sobre a ascensão dos idiotas altivos, um de nossos leitores comentou que o biologista inglês Richard Dawkins teria ‘adimitido’ (seja lá o que for que isso significa!) aquilo que se convenciona chamar de ‘teoria do design inteligente’.

Como o Dawkins escreve muito bem (recomendo fortemente seus livros!), vale a pena reproduzir este parágrafo de um artigo no The Guardian em 2005:

Intelligent design is not an argument of the same character as these controversies. It is not a scientific argument at all, but a religious one. It might be worth discussing in a class on the history of ideas, in a philosophy class on popular logical fallacies, or in a comparative religion class on origin myths from around the world. But it no more belongs in a biology class than alchemy belongs in a chemistry class, phlogiston in a physics class or the stork theory in a sex education class. In those cases, the demand for equal time for "both theories" would be ludicrous. Similarly, in a class on 20th-century European history, who would demand equal time for the theory that the Holocaust never happened?

Cheque mate

Reações:

36 comentários:

Não tenho partido nos EUA, não consigo escolher um nem mesmo no Brasil, mas gosto de pensar que seria republicano se americano fosse ou se morasse por lá. Por isto é realmente triste ver a que ponto o GOP chegou. Quando alguém investido em cargo público fala sobre ensinar este tipo de teoria em aulas de ciências não há mais o que fazer, pobre América, pobre de nós.

Para os "de direita" que seguem o blog. Nada menos liberal do que aderir a qualquer tipo de obscurantismo, Hayek estaria decepcionado com seguidores que, em pleno século XXI, defendem que escolas ensinem dógmas religiosos. Isto é muito mais grave que qualquer estripulia que o FED possa fazer.

Para registro

Dawkins trava uma luta eminentemente política contra os criacionistas porque teme os danos que os jecas poderiam causar ao sistema de ensino público americano. Ele não reconhece cientificidade nessa baboseira. Ele não debate conceitos como se estivesse entre pares. Faz luta política contra o obscurantismo que cada vez mais ganha espaço no país que nos legou [sim, primeira pessoa do plural porque muitos brasileiros que estudaram nessas universidades serviram bem ao nosso país] Harvard, Yale, Princeton. Apenas uns 400 anos de vida universitária independente, contra o obscurantismo.

"Yet, so successful is their 'wedge strategy', they are managing to SUBVERT THE SCHOOLING of young Americans in state after state, and they are even INVITED to testify before congressional committees: all this, while ignominiously failing to come up with a single research paper worthy of publication in a proper scientific journal."

http://richarddawkins.net/articles/126-who-owns-the-argument-from-improbability

Nesta o "O" matou a pau. Não sei quem era o imbecil que afirmou ter Dawkins "adimitido" (sic) ID, mas o trecho selecionado liquida a questão.

Do Dawkins, o que eu li e recomendo são os seguintes livros:

The Selfish Gene - economistas vão gostar dos argumentos de Teoria dos Jogos

The Blind Watchmaker - mais uma vez, a discussão de custo de oportunidade vai deliciar a profissão

A Devil's Chaplain - ensaios

The Ancestors' Tale - mais técnico, mas igualmente bem escrito.

Não li o "Climbing Mount Improbable", mas está na lista.

Aê hein, detonou um cara que falou que o DAUQUINS teria se rendido ao inteligent design. Mais difícil que isso só dar rasteira em saci e tirar doce de criança com paralisia cerebral!!

Tá matando a pau!

André

Pois bem.

Liberalismo e ateísmo não tem absolutamente nada a ver uma coisa com a outra. A própria argumentação do Locke é toda baseada na vontade do criador. E creio que excluir Deus dessa argumentação seria impossível. Leiam o Locke e tentem fazer isso.

Infelizmente muitos liberais (os mais jovens principalmente) se deixam levar pela infecção do pensamento da esquerda.

Isso é mais comum no Brasil, felizmente. Nos EUA as pessoas parecem ser mais inteligentes.

Pois aqui está o vídeo no qual o Richard Dawkins admite a validade da hipótese da teoria do desing inteligente:

http://www.youtube.com/watch?v=BoncJBrrdQ8

É de dar risada!
Fica muito claro que a posição dele não é científica. Ele é apenas um anti-teísta. Mesmo admitindo a assinatura de um designer na construção da vida, ele defende que esse designer é um extra-terrestre. kkkkkkkkk

Meus caros, em miúdos:

Existe alguma prova (ou evidência) de que a vida na terra foi desenhada?

Pergunte pro Richard!

Ninguém melhor do que ele para admitir essa evidência. Poderíamos desconfiar de um padre que admitisse esse fato, mas não do Dawkins!


Ass: "Outro" Anônimo

Alex...

O vídeo que eu postei liquida a questão.

Sobre o "adimitindo", caramba, não tinhas nada mais inteligente para observar? Até um aluno de quarta série seria capaz de encontrar esse erro. pqp...

Ass: "Outro" Anônimo

"não tinhas nada mais inteligente para observar? "

Não. Só tinha burrice para observar; fazer o quê?

Cara, você tem que ser muito burro para ter caído nesta. Ser enganado pelo picareta do Ben Stein é o fim da picada. Impressionante

O argumento do Dawkins – que é truncado no vídeo – é que se existe um “intelligent designer”, digamos um alienígena, alguém teria que tê-lo desenhado, portanto “intelligent designer” é equivalente a creacionismo, e portanto, tão válido e aceitável por seres humanos inteligentes e racionais quanto a crença na mula sem cabeça e o boitatá.

Aliás, no próprio artigo no Guardian em que o Dawkins comparou o ensino do “intelligent design” à negação do Holocausto, ele usa este mesmo argumento.

Caro "O".

Você é que não entendeu nada! Está bem claro aqui, quer que eu traduza também?

Dawkins admitindo no texto abaixo a evidência da assinatura de um designer:

"And I suposed It's possible that you might find evidences for that.
If you look at the details of biochemistry, molecular biology you can find a signature of some sort of designer."

Não tem absolutamente nada a ver com o que você disse. Ele não usa nenhum "argumento". Nessa fala ele simplesmente admite a evidência de existir um designer.

É claro que, como ele parte do pressuposto de que Deus não existe, ele vem com o papo de alienígenas.

Tudo bem! Sem problema! Que sejam alienígenas! É muito mais plausível do que dizer que veio do acaso simplesmente. As evidências estão aí e o próprio Dawkins admite.


Comunista é foda!!!!!

Ass: "Outro"

"Não. Só tinha burrice para observar; fazer o quê?"

Olha que eu vou chamar o Reinaldo para lhe dar umas palmadas de novo se você continuar se comportando que nem um garoto!

Francamente...

Por que você se mete a defender um ponto de vista do qual não tem grande conhecimento?

É a mesma atitude que tem um estudante de sociologia que só lê Marx e afins.

Vai procurar o outro lado da discussão para ver se faz sentido mesmo. Saia do esquerdismo.

Você acha que é atoa que os republicanos são:

1) Contra aquecimento global antropogênico.

2) A favor do liberalismo econômico.

3) Teístas.

E que os democratas são justamente o contrário nesses 3 pontos?

Os dois primeiros tenho certeza que você concorda comigo. E no terceiro você supõe que os republicanos não acertam em tudo e que os democratas também tem as suas virtudes.

Cresce garoto! Ou vai levar outras palmadas.

Ass: "Outro"

"Liberalismo e ateísmo não tem absolutamente nada a ver uma coisa com a outra."

Quem falou em ateísmo? Ser contra ensinar dogmas religiosos na escola é que não tem nada que ver com ateísmo. Religião é assunto privado, não tem que ser ensinado em escola, muito menos com regulamentação do estado.

É engraçado que as mesmas pessoas que defendem o direito de passar seus valores morais para seus filhos, sem que escola tome parte nisto, também aceitem que uma determinada crença seja parte do currículo de ciências das escolas.
A escola não pode ensinar ética (o que concordo) mas pode ensinar religião, é assustador.

"Olha que eu vou chamar o Reinaldo"

Como eu disse, só tem burrice.

Espanto!!!

Um troca a conclusão de um teorema pelos seu exato oposto. Outro coloca um vídeo truncado onde um homem público que todo mundo conhece a opnião parece defender o contrário. Só falta alguém gritar Bolsonaro presidente!!!!

Alex, vai negar agora que levou umas palmadas do tio Rei?

Olha que vou chamar ele aqui, cuidado...

Ass: "Outro"

Anônimo 21 de agosto de 2011 13:04 e demais papagaios

"Fica muito claro que a posição dele não é científica. Ele é apenas um anti-teísta."

Só agora você percebeu isso? Ateísmo científico e criacionismo científico são impossibilidades. Nada neste mundo pode corroborar ou falsear qualquer das assertivas, teístas ou ateístas. Negar Deus ou afirmar Deus sempre será uma escolha de cada um, portanto, algo intimamente ligado à liberdade individual, à consciência de cada um. Mas nunca uma hipótese fundamentada em fatos. Em ambos os casos, é sistema de crenças que nada tem a ver com ciência.

A briga do Richard Dawkins é em defesa da laicidade do Estado e contra os fundamentalistas que querem subverter essa boa ordem. E não é preciso ser ateu ou comunista para defender a laicidade do Estado. Religião não deve ser assunto do Estado porque sempre que isso ocorreu o resultado foi a selvageria humana sendo exercida em nome de Deus. Vá estudar história e talvez você entenda melhor porquê.

"Mesmo admitindo a assinatura de um designer na construção da vida, ele defende que esse designer é um extra-terrestre. kkkkkkkkk"

Burrão, ele estava fazendo raciocínio por absurdo com aquela múmia que o entrevistava. Além disso, a entrevista está convenientemente editada.

Leia o post para entender o que Dawkins quer dizer quando aventa a "hipótese" alienígena

http://richarddawkins.net/articles/126-who-owns-the-argument-from-improbability

O que você escreveu a respeito de Locke é prova de que você ouviu algum galo cantar mas, sendo galinha, veio aqui cacarejar um ovo que não botou.

"Olha que vou chamar ele aqui, cuidado..."

Burro...

Não vai demorar o tal de "Outro" vai argumentar que o Zico jogava no Fluminense... Eu achava até que era gozação quando ele primeiro argumentou que o Dawkins admitia a hipótese do design inteligente, mas depois de procurar na internet, parece que existem vários websites fundamentalistas que tentam disseminar essa fanfarronice baseado em textos editados e explorando a vontade de ser enganados dos coitados que precisam acreditar em uma entidade superior...

"Um troca a conclusão de um teorema pelos seu exato oposto. Outro coloca um vídeo truncado onde um homem público que todo mundo conhece a opnião parece defender o contrário."

Esta é a direita brasileira... Dureza, não? Mas pelo menos estes são inofensivos, estão muito longe do poder...

"Burrão, ele estava fazendo raciocínio por absurdo com aquela múmia que o entrevistava. Além disso, a entrevista está convenientemente editada."

"And I suposed It's possible that you might find evidences for that.
If you look at the details of biochemistry, molecular biology you can find a signature of some sort of designer."

Você poderia reeditar para ficar mais parecido com o que ele quis dizer?

"Leia o post para entender o que Dawkins quer dizer quando aventa a "hipótese" alienígena "

Li o texto que você mandou. O texto dele não tem nada a ver com o que você disse. Se puderes me mostrar esse trecho eu fico agradecido.

"baseado em textos editados"

Assististe o vídeo?

Podes me dizer qual foi a edição? Sinceramente, eu também desconfiei disso num primeiro momento. Mas realmente meu caro. Não há edição.

E nesse textos que o Paulo Araújo mandou mostra isso também.

1) "is too improbable to have come about by chance. (So far, the argument is impeccable."

2) "Behe and Dembski correctly pose the problem of specified improbability as something that needs explaining."

3) " Indeed, the argument from improbability is the most powerful argument I know in favour of atheism and against agnosticism."

Como que ele chega a essa conclusão me deixa pasmo. Mas vejam que ele admite o argumento, apenas não concorda que se possa derivar a existência de Deus a partir dele.


Como não pode vencer o argumento. Então...

"The argument from improbability firmly belongs to the evolutionists. It is our strongest card, and we should instantly turn it against our political opponents "

"If ever you find yourself arguing with a creationist and he tries to hit you with the astronomical improbability of living organization, don't deny the improbability and don't apologise for it. "

Ele estrategicamente tenta criar contra-argumentos utilizando o próprio argumento (pois deve admití-lo) principal do DI.

Incrível!

Parabéns aos tolos!

O problema é que você não entendeu evolução, pois se tivesspe entendido, compreenderia que a complexidade dos organismos só pode ter sido resultado de um processo evolucionário.

Somente alguém que não entende a complexidade da vida para pensar que o Boitatá, Jeová, Zeus, Exu, seja lá qual for o nome que você quer dar poderia ter criado.

Alex! Esse cara ("O") é teu sobrinho?

"O problema é que você não entendeu evolução, pois se tivesspe entendido, compreenderia que a complexidade dos organismos só pode ter sido resultado de um processo evolucionário.

Somente alguém que não entende a complexidade da vida para pensar que o Boitatá, Jeová, Zeus, Exu, seja lá qual for o nome que você quer dar poderia ter criado."

Meu caro. Até o Dawkins te daria um puxão de orelha nesse momento. Você confunde o que se entende por evolução com aquilo que se entende por seleção natural.
Obviamente você é um novato no assunto, do contrário não faria essa confusão.

Evolução existiu, sim, ninguém duvida. Mas ela foi espontânea através do simples mecanismo de seleção natural ou foi induzida por um designer?

Note que até mesmo a seleção natural ocorre, ninguém duvida disso também.

O X da questão está no surgimento de novos órgãos, de mudanças radicais de uma espécie para outra.

O exemplo do olho é um caso clássico. Para que serve "meio" olho? Entendeu?

É um órgão que só tem utilidade se for completo e por esse motivo não pode ter surgido gradualmente. Não se esqueça que "gradualmente" é uma das hipóteses da teoria evolucionista do Darwin. Ele mesmo admite que a evolução da forma como ele explica só pode ocorrer de forma gradual.

Pois bem, um olho não pode surgir gradualmente. Assim como um relógio também não pode. Eles são formados de várias partes que só tem função se forem alocadas para o mesmo fim.

Essa hipótese é clara e irrefutável. O próprio Darwin admite a mesma. Se uma função Y é formada por duas partes complexas cujo fim é unicamente atender a função Y, então isso prova que a teoria dele é falsa.

Isso é lógica elementar. Não me venha aqui discutir se 2 + 2 = 4 ou é igual a 5.

É raciocínio demais para a tua cabeça?

A questão passa a ser: é possível encontrar essas partes complexas nos organismos?

O pessoal do design inteligente diz que sim. Eu não acreditava muito até ver o próprio Dawkins admitindo. Mas realmente não espero que ele se converta com isso. Mais fácil é o Alex virar marxista.

O cara passou a vida inteira defendendo uma idéia com dentes afiados. Você espera que ele aceite o contrário assim tão fácil?
Já foi um grande avanço ele admitir o que admitiu.


Bom garoto...
Esse teu arroto intelectual tem cheiro de leite.
Larga a mamadeira e vai estudar.

Anônimo 21 de agosto de 2011 18:55

O tempo dispendido e a resposta expressam o que na educação conhecemos por paciência pedagógica. Mas como tudo na vida tem limite, eu encerro aqui.

Uma proposição com a qual concordo:
“As religiões tendem a tomar a rédea da vida da sociedade tanto por uma visão controladora, quanto por medo de serem banidas da cena pública pela secularização. A secularização veio e ficou, mas as religiões não vão ser banidas. Se tiverem confiança na sua mensagem e na possibilidade de atingir as pessoas, não precisam disso. Existe o medo infundado de que a ciência leve ao ateísmo, então as religiões começam a esgrimir com esses grupos usando expressões como design inteligente, que defende que a complexidade dos seres não pode ser fruto do acaso. Há outras críticas mais interessantes a fazer internamente do que criar um nome midiático como esse." [“Deus não freqüenta laboratório”. Prof ª Roseli Fischmann. Faculdade de Educação da USP]

O texto de Dawkins

Who Owns the Argument from Improbability?

“I can see no difference between the laziness of my hypothetical Hodgkin and Huxley, and the really lazy luminaries of ID.”

Antes dessa frase ele argumenta [não vou repetir. Quem quiser que vá ao texto conferir] muito bem e mostra que os criacionistas inventores do ID são, na verdade, discípulos de Gorgias. Porém, fosse somente isso o debate com os luminares [ele está sendo irônico] sofistas do ID seria apenas um diletantismo sem maiores consequências. Ou seja, conversa de botequim.

No entanto, não é só isso que está acontecendo nos EUA. Lá, os luminares estão sendo bem-sucedidos na estratégia de cunha ['wedge strategy'] ID:

Yet, so successful is their 'wedge strategy', they are managing to subvert the schooling of young Americans in state after state, and they are even invited to testify before congressional committees: all this, while ignominiously failing to come up with a single research paper worthy of publication in a proper scientific journal.

Acima, para mim, está a passagem mais importante deste artigo do Dawkins.

O que aqui ainda é conversa de botequim, nos EUA tornou-se algo bem mais preocupante porque a conversa de botequim de jecas criacionistas desocupados nos EUA tornou-se assunto de Estado. Talvez isso explique uma certa rudeza de Dawkins ao atacar de um modo geral a fé das pessoas.

[continuação] O argumento da improbabilidade

Conscientiously pursued, the statistical improbability argument leads to a conclusion diametrically opposed to the fond hopes of the creationists.

Acima a principal assertiva de Dawkins no artigo. O argumento da improbabilidade estatística, ao contrário do pensam os luminares do ID, opera contra os pressupostos do criacionismo como ciência. Não vou argumentar. Está no texto para quem quiser ler e conferir se Dawkins tem ou não sucesso nesse combate. Eu li e concordo com ele.

A falsa questão dos extras-terrestres colocada na boca de Dawkins

It could [está se referindo à palavra “guindaste” como um recurso semântico e provisório, o que é explicado anteriormente e não vou reproduzir aqui] conceivably turn out, as Francis Crick and Leslie Orgel once facetiously [jocosamente, no tipo “Eram os deuses astronautas?”]suggested, that evolution was seeded by deliberate design, in the form of bacteria sent from a distant planet in the nose cone of a space ship.

No entanto, ele diz, os designers alienígenas teriam de ser explicados.

E agora vem a parte que a entrevista deliberadamente confunde e que motivou o seu comentário “ele defende que esse designer é um extra-terrestre. kkkkkkkkk".

Não. Ele não defende isso como um fato, mas como uma suposição e para efeito de argumento.

It is easy to believe that the universe houses creatures so far superior to us as to seem like gods. I believe it. But those godlike [ser divino] beings must themselves have been lifted into existence by natural selection or some equivalent crane.

Assim, ele acredita [e aí é questão mesmo de crença ou de probabilidade] que possa haver vida fora da Terra, e que esta forma de vida poderia ser tão superior à humana que, para nós, ela pareceria [lembrando que os campos semânticos de “parecer” e “ser” são muito distintos] divina. Mas isso, que pode parecer um ser divino para nós, ainda teria de ser explicado. E o que pode explicar essa suposta forma de vida superior, de acordo com o texto de Dawkins, é a seleção natural, ou por algo provisório como palavra “guindaste”. Isto é, essa suposta forma de vida superior à humana não existiria desde sempre, não seria substância infinita e, portanto, teria de sair de algum lugar, ou seja, ela teria evoluído.

No final a conclusão que deixa bastante claro que para Dawkins os criacionistas são adversários no campo político e não são adversários no campo da ciência. Por isso a disputa se trava no campo do convencimento, ou como se costuma dizer, no campo da doxa.

It is our strongest card, and we should instantly turn it against our political opponents (we have no scientific opponents) whenever they try to play it against us.

"A história é um labirinto. Acreditamos saber que existe uma saída, mas não sabemos onde está. Não havendo ninguém do lado de fora que nos possa indicá-la, devemos procurá-la nós mesmos. O que o labirinto ensina não é onde está a saída, mas quais são os caminhos que não levam a lugar algum." [Norberto Bobbio]

Meus caros,
O comentário do paulo araújo já bastaria, mas reforço a questão aqui. Esta NÃO É uma discussão entre ateísmo e religiosos. Sou profundamente católico e fico completamente horrorizado (e acredito conhecer muitos padres e fiéis que também ficam assim) com a defesa de uma possível igualdade teórica entre evolucionismo e ID. Ensinar esta última como matéria científica nas escolas é um horror. É a volta a um mundo de trevas (combatido pela igreja católica, diga-se de passagem).
Saudações

"O exemplo do olho é um caso clássico. Para que serve "meio" olho? Entendeu?

É um órgão que só tem utilidade se for completo e por esse motivo não pode ter surgido gradualmente. Não se esqueça que "gradualmente" é uma das hipóteses da teoria evolucionista do Darwin. Ele mesmo admite que a evolução da forma como ele explica só pode ocorrer de forma gradual."

Nossa. Você não entende NADA de evolução mesmo.

Como seguidor do Pastafarianismo, eu envio meu protesto pelo post e reafirmo a necessidade de ensinar a controvérsia sobre a evolução. Incluindo o Flying Spaghetti Monster (http://www.flyingspaghettimonster.com/).

(Na boa, vcs não acham que deveria haver um CAPTCHA para filtrar os comentários dos que estivessem aquém do mínimo em conhecimento científico? Sei lá, o cara só poderia comentar se soubesse a derivada de x^2 ou uma das leis de Newton. PQP, escolher o olho para falsear Darwin é muita "iguinoranssa". Umas duas páginas de "Relojoeiro cego" acabam com isso.)

"Nossa. Você não entende NADA de evolução mesmo."

Alex! Sem procurar no google! Quem disse a frase abaixo?

"Parece absurdo ou impossível, eu o reconheço, supor que a selecção
natural pudesse formar a visão com todas as inimitáveis disposições que
permitem ajustar o foco a diversas distâncias, "

Ei Alex!
E essa aqui quem foi que disse?

"Se se chegasse a demonstrar que existe um órgão complexo que se não
possa formar por uma série de numerosas modificações graduais e ligeiras, a
teoria da evolução não poderia certamente defender-se."

Quem foi?

Ganha um doce quem acertar.

Otário: esta frase é de Charles Darwin.

Obviamente minha referência o você não entender nada de evolução é precisamente que ninguém jamais conseguiu mostrar nenhum órgão complexo que não tenha se formado a partir de numerosas modificações graduais e o olho não é exceção (leia o Blind Watchmaker, capítulo 4, por exemplo).

É engraçado isso; você se acha capaz de fazer perguntas que os biólogos evolucionários já responderam há décadas.

De agora em diante o pessoal do blog pode se referir a você como "O Paspalho"

Alex.

Você acaba de ganhar um doce!

Meu caro. Fiquei muito contente de ver como você concorda com o Darwin.

Realmente tenho que admitir que não fui muito preciso em:

"É um órgão que só tem utilidade se for completo e por esse motivo não pode ter surgido gradualmente."

Não era exatamente isso o que eu queria dizer. O correto seria:

"É um órgão que só tem utilidade se for completo, e por ser complexo (derivado de várias partes), supõe-se que não pode ter surgido gradualmente."

O ponto que eu queria ressaltar era o de que a constatação do complexo irredutível é uma prova irrefutável da falsidade da teoria da evolução do Darwin. Como ele mesmo expõe. Discordar disso é ou burrice, ou desonestidade.

Expus isso porque o nosso amigo Paulo Araújo parece não ter entendido, como fica claro aqui:

"Acima a principal assertiva de Dawkins no artigo. O argumento da improbabilidade estatística, ao contrário do pensam os luminares do ID, opera contra os pressupostos do criacionismo como ciência. Não vou argumentar. Está no texto para quem quiser ler e conferir se Dawkins tem ou não sucesso nesse combate. Eu li e concordo com ele."

O Dawkins realmente fala isso no texto. Mas não dá nenhum argumento lógico para isso. O que seria impossível. É a mesma coisa que tentar provar que 2 + 2 = 5.

O que ocorre? Dawkins simplesmente parte do pressuposto de que Deus não existe, logo, deve haver alguma explicação para a complexidade irredutível, e simplesmente desistir de tentar achá-la para atribuí-la a um designer é preguiça.

Meu caro Alex. Tenho certeza de que de lógica você entende, afinal é um cientista; e todas as ciências se baseiam na mesma lógica.

A não existência de Deus jamais pode ser um pressuposto.

Esquematizando a lógica:

A = complexo irredutível;

B = Teoria da evolução do Darwin;

C = O designer existe;

B e C podem ser verdadeiros simultaneamente, mas não podem simultaneamente falsos. Entende esse ponto?

Darwin diz: Se A é verdadeiro, logo B é falso.

Os defensores do DI dizem: Se B é falso, logo C é verdadeiro.

O Dawkins diz: C é falso, logo B é verdadeiro.


Então, o raciocínio do Dawkins segue o seguinte sentido:

A é verdadeiro, logo B parece falso, mas como C é falso, logo B é verdadeiro.

A construção lógica desse raciocínio e da prova de que A é verdadeiro não tem como meta principal o progresso da ciência. Obviamente a principal motivação é a prova da existência de Deus.

Se você parte do pressuposto de que Deus não existe, jamais irá conseguir entender a lógica.

"Deus existe" é a conclusão do raciocínio e seguindo os princípios científicos mais elementares jamais pode ser um pressuposto.

Você entende isso também né?

Pois bem.

Você cometeu um erro aqui:

"Obviamente minha referência o você não entender nada de evolução é precisamente que ninguém jamais conseguiu mostrar nenhum órgão complexo que não tenha se formado a partir de numerosas modificações graduais e o olho não é exceção (leia o Blind Watchmaker, capítulo 4, por exemplo)."

Meu amigo. Não se pode provar que um orgão surgiu gradualmente. Pode-se inferir a possibilidade de que isso tenha ocorrido, no máximo.


Abraço do seu fã e aluno à distância de economia,

"O Paspalho"

Cada tópico tem o seu Vienna Man...

"Não se pode provar que um orgão surgiu gradualmente. Pode-se inferir a possibilidade de que isso tenha ocorrido, no máximo."

No entanto você afirmou:

"O exemplo do olho é um caso clássico. Para que serve "meio" olho? [Há, a propósito, toda uma discussão no BW cap 4 precisamente sobre a utilidade do meio olho que você ignora (Alex)]Entendeu?

É um órgão que só tem utilidade se for completo e por esse motivo não pode ter surgido gradualmente."

E esta é sua "prova" que o olho não teria surgido gradualmente?

Poxa Alex...

Três coisas:

1) Já consertei o que eu disse. Vou tentar ser o mais preciso possível.

Fiz essa afirmação peremptória de forma descuidada:

"É um órgão que só tem utilidade se for completo e por esse motivo não pode ter surgido gradualmente"

A minha intenção era muito mais dar um exemplo do problema do complexo irredutível do que fazer essa afirmação sobre o olho.

Deixo para o Dawkins analisar se o complexo irredutível existe ou não. Não tenho um microscópio.
Ele admitiu a existência. No vídeo e no texto que o Araújo postou.


2) "Não se pode provar que um orgão surgiu gradualmente. Pode-se inferir a possibilidade de que isso tenha ocorrido, no máximo."

A frase acima é correta. Não há como provar que um órgão tenha surgido gradualmente, mas há como provar que ele não surgiu gradualmente. São duas coisas diferentes. Você conhece o problema do cisne...


3)
A construção lógica que eu fiz... você concorda com ela?
Concorda que a prova da existência do complexo irredutível é uma prova da existência do designer?

Mais uma vez, o olho.
A forma do mesmo (não triangular ou quadrada, entre outras), sua movimentação (direita-esquerda, para baixo-alto), o multifoco e a capacidade de capturar objetos e regular a entrada dos reflexos da luz, sua posição no corpo e crânio, seu alinhamento (um em referência ao outro, inclusive), suas diversas cores, a forma perfeitamente circular da íris, a expansibilidade e retratibilidade da pupila, entre outras coisas, me impressionam.
Um charme especial, sem dúvida; companheiro das lágrimas de alegria e dor.