teste

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O Porco e o Cordeiro

Estava o Cordeiro a tocar o Ministério da Fazenda quando apareceu o Porco, de horrendo aspecto, e perguntou: “Que desaforo é este de reduzir meu PIB?”.

Ao que o Cordeiro respondeu: “Mas, seu Porco, como é que eu poderia ter reduzido o seu PIB se só cheguei aqui no começo do ano e a economia vem em recessão desde o meio do ano passado?”.

“Ah”, disse o Porco, “mas você cortou o gasto público, o que fez o PIB cair ainda mais”.

“Olha”, retrucou o Cordeiro, “desde que estou aqui o consumo do governo aumentou. Só um pouquinho, sabe, mas foi o único componente da demanda doméstica que subiu em 2015”.

“Este negócio de argumentar com números não me convence”, voltou o Porco, “porque, em primeiro lugar, só interessa aos esbirros do conservadorismo, na cúspide de uma sociedade submissa ao rentismo, prisioneira da defesa da riqueza estéril e, em segundo lugar, porque eu não conheço as quatro operações e não entendo o que você está falando. Fora isto, o investimento também está desabando, e o multiplicador keynesiano diz que isto vai fazer a renda cair ainda mais”.

“É verdade”, confirmou o Cordeiro, “mas o investimento despenca desde o segundo trimestre de 2013, pelo menos, quando ainda o que valia era a tal Nova Matriz Macroeconômica, que, segundo eu soube, veio da cabeça de Porcos que nem o senhor”.

“Aliás”, continuou, “pelo que me disseram, os Porcos sumiram quando ficou claro que o investimento seguia em queda e que a recessão viria para valer. Só ficou por aqui um jumentinho italiano, otimista ‘pra’ burro (sem trocadilho, sabe?), que me passou as chaves da casa”.

“Não quero saber!” vociferou o Porco. “Quando o jumentinho te deu as chaves a inflação era menor que 6,5%, mas agora já varou os 10%”.

“Também verdade”, admitiu o Cordeiro. “Acontece que ao chegar aqui encontrei uma porcaria (sem querer ofender, sabe?): tinha um monte de preço congelado, custando caro para o Tesouro, mais caro ainda para a Petrobras. Só me restou ajustar tudo de uma tacada”.

“Inclusive, foi difícil achar um Porco que assumisse a responsabilidade pelo congelamento dos preços. Até o final do ano passado vários deles estavam ainda comemorando que a inflação não tinha estourado o teto da meta e havia até uma Leitoa afirmando que era tudo ‘terrorismo econômico’.”.

Mas vocês clamam pelo aumento do desemprego!”, grunhiu o Porco, “A PNAD diz que já alcançou 9%. Sua culpa, Cordeiro!”.

“Aí, seu Porco”, respondeu o Cordeiro, “é que lhe faz falta saber ler os números. A PNAD diz que o desemprego também vem crescendo desde o meio do ano passado e o CAGED revela que a perda de empregos formais também ocorre desde aquela época”.

“Você, Cordeiro, quer por a culpa num governo popular, cujo único erro foi ter adotado o programa adversário, que jogou o país na depressão”, guinchou o Porco, já fora de si com a atitude do Cordeiro.

“Olha, seu Porco, seus colegas de vara deixaram as coisas aqui em pandarecos. Dívida crescendo, inflação em alta (mesmo com preços congelados), desemprego idem, economia em recessão, um buraco sem precedentes nas nossas contas externas. Tanto estrago que nem Dona Anta aguentou vocês e teve que chamar um Cordeiro para arrumar a bagunça.”

E, já que Porco não come Cordeiro, deu-lhe as costas e o deixou chafurdando na lama.




(Publicado 16/Dez/2015)

Reações:

40 comentários:

A Revolução do Bichos, George Orwell

Como o cordeiro concluiu que o consumo do governo aumentou “só um pouquinho” em 2015 usando os dados do IBGE do 3o Trimestre, que mostravam que o consumo do governou tinha crescido -0,4% no acumulado do ano?

Ele já estimou o 4o trimestre de 2015?

Grossa sacanagem com os porcos, animais com inteligencia e vivacidade acima da media. Imbecis os ha em todas as torcidas e clubes, err... Todas as especies.

Quem com porcos (leitoas e antas também) se mistura farelos come! Ainda bem que o cordeiro abriu os olhos e entendeu que a anta jamais dará a pata à torcer, portanto é melhor sair que comer farelos.

Alex, Feliz Natal e tudo de bom para você e a família. Espero que 2016 supere as (já baixas) expectativas!

Alex,

Conhece o Carlos Viana, da Puc-Rio?

Pois bem, ele tem insisitido recentemente que o pass-through pode ser muito maior do que a gente imagina. Para tal, baseia-se nas pesquisas de Cavallo e companhia, lá do MIT. Queria saber o que voce pensa disso, pois voce tem sido cetico quanto à explicaçao, digamos, heterodoxa, de que a inflação no Brasil caminha de mãos dadas com o cambio.

Abs

Julio

Impecável! Inclusive, o uso se "vara", coletivo de porcos, como todos sabem. Poderia até ter um sentido metafórico, o que não seria demais: tem aquela história de "varada n'água"... Enfim, voltamos aos tempos em que os bichos falavam, o que não quer dizer que se entendiam. Esopo deve ter se sentido envaidecido, essa fábula prova que falar de bicho às vezes pode ser mais eficaz do que fazer um safári.

completamente desnecessárias as ofensas pessoais Alex. Vc certamente seria mais influente no debate econômico se tivesse um comportamento condizente com sua idade.

"Conhece o Carlos Viana, da Puc-Rio?"

Conheço, admiro e vi uma exposição recente sobre o trabalho.

Mas até onde entendi a vidência sugere um repasse alto sob câmbio fixo e maior sob moeda única. A dispersão (desvio dos preços relativamente ao benchmark) é alta mesmo em câmbio fixo, mas colapsa com moeda única.

Sob câmbio flexível não parece valer. Li certo?

" Vc certamente seria mais influente no debate econômico se tivesse um comportamento condizente com sua idade."

E quem diz que é isto que quero?

"Ele já estimou o 4o trimestre de 2015?"

Não, mas ele foi explícito ao dizer "desde que estou aqui o consumo do governo aumentou. Só um pouquinho, sabe, mas foi o único componente da demanda doméstica que subiu em 2015", referindo-se, é claro, ao resultado acumulado até setembro

Acho que o Alex esta certissimo. Ofensa é o que fizeram com nosso país.

Nao sei. Pelo que li o artigo mostra que sob moeda unica os preços tendem a convergir, ou seja vale a lei do preço unico. Isso nao vale sob outros regimes cambiais. Agora, qual o link disso com pass-trhough eu realmente nao entendi bem. Se voce tem moeda unica, sua taxa de cambio é sempre igual a um, o que quer dizer que nao ha mudanca cambial. Se preços se igualam, isso quer dizer que há forças maiores para alem do cambio (esquemas de precificaçao, psicologia do consumidor etc) para explicar "pass-through". Realmente estou com duvidas nesta discussao. Alem disso, nao sei se a base dos autores é representativa dos preços de uma economia (dado que usam produtos da internet de alguns poucos varejistas). Tenho que pesquisar mais...

Abs

Julio

“referindo-se, é claro, ao resultado acumulado até setembro”

Não querendo polemizar. No link do IBGE, item “De janeiro a setembro, PIB acumula queda de 3,2%”, está escrito “e o Consumo do Governo (-0,4%) também acumulam queda no ano.”.

Parece, não tenho certeza, que o texto difere da referência e, por isso, a dúvida.

Siga em frente, careca!!! Estamos com você!!

Ah, agora entendi.

Estava me referindo ao desempenho do consumo do governo em termos dessazonalizados nos 3tris.

Alexandre,

Que artigo é esse que supostamente revoluciona a literatura sobre pass-through?

Bj
Luciene

Careca,

Quem vc conhece de Macro da PUC-rio? Vi voce falando do carlos viana, dizendo que o admira, e ficamos interessados.

Abs
Turma do mestrado (alguns)

"Há tempos Alexandre Schwartsman converteu-se em uma espécie de Arnaldo Jabor da economia. Não solta análises: faz pregações. E com um estilo debochado que impressiona seus colegas, menos pelo conhecimento, mais pela falta de compostura em uma comunidade em geral menos disposta a brigas de botequim."

http://jornalggn.com.br/noticia/a-acao-do-banco-central-contra-schwartsman

"Quem vc conhece de Macro da PUC-rio?"

Da geração mais nova que a minha, poucos. O Carlos e o Thiago, principalmente, e mais pela convivência nos Seminários de conjuntura da PUC do que por algo mais acadêmico. E eles sempre têm coisas novas e interessantes para mostrar.

O, fulano!

Você ainda não entendeu que critica do Nassif equivale a elogio neste blog, assim como em qualquer ambiente decente da face da Terra?

Anônimo:

Feliz por você, no finalzinho do ano, ter me revelado a frase citada - "Há tempos Alexandre Schwartsman converteu-se em uma espécie de Arnaldo Jabor da economia..." - para mim até então desconhecida, mas sem dúvidas merecedora de figurar entre as melhores de 2015!kkk.

Agora, essa frase mais acima nos comentários - "Vc certamente seria mais influente no debate econômico se tivesse um comportamento condizente com sua idade."- também é sua?

Se sim, está perdendo tempo e dinheiro por não lançar um livro como o do Gustavo Franco, de "Anto-logias" do Alex...

Podem ser mais famosos, mas o Eduardo Zilberman é muito melhor professor do que Thiago e Carlos Viana.

Bj
Cecilia

Alexandre:

Sou leitor assíduo de suas colunas e aprecio seu estilo, mas exatamente por isto, por quase lhe ter como um amigo, sinto-me na obrigação moral de lhe advertir que o presente artigo avançou (em muito) o sinal vermelho.

Mais do que deselegante ou mal-educado, seu artigo foi injurioso. Perpetrou crimes contra a honra. Ou chamar o Guido de "jumentinho Italiano", e a Leda Paulani de leitoa se encontram dentro da esfera de mera crítica?

Não se pode confundir liberdade de expressão ou divergência de opinião com crime contra a honra, quando se passa à agressão gratuita ao outro.

Os links do post, que conduzem a artigos de autoria das pessoas chamadas de "leitoa", "porco", etc, não deixam dúvidas a quem tais epítetos se referem.

Solicito sua reflexão sobre seu comportamento/ artigo.

Não se pode aceitar que um cidadão, possuidor de nível superior e doutorado, utilize-se de nobre espaço em meio de comunicação de grande difusão para insultar outros, ainda mais colegas de profissão.

Ao assim proceder, você acaba por contribuir para o acirramento do clima de interdição ao debate, de ódio/negação do outro de quem de si discorda, a esse Fla x Flu ideológico que nada ajuda para o engrandecimento do conhecimento.

Você é muito melhor do que isso.

Eu comprei o livro do Nassif em um sebo outro dia. Ele é muito burro, dá até medo de pensar que existe gente que segue ele. E além de burro, tem um caráter que é uma belezoca.

Bravo Alex
Estávamos precisando de uma provocação dessas! Pena que poucos entenderam
, são coisas típicas da maioria .
Jcw

Parece que alguns intelectuais não gostaram desta paródia .

Obrigado por não abaixar a cabeça, Alex!você é muito importante para o debate público tupiniquim.

Fora "dona Anta" e leve os "porcos" com você...

Nesta breve "FÁBULA", o economista Alexandre Schwartsman faz uma ácida crítica aos recentes protagonistas do nosso momemto atual, nos fazendo relembrar a sátira feroz de George Orwell em "A revolução dos bichos".
Parabéns Dona Anta, Leitoas e Porcos de plantão !

Parabéns...

Esse artigo é daqueles que eu penso: "porque eu não escrevi isso?"

Se eu tivesse a oportunidade seria trabalharia como um estagiário seu. Já para as "nobres" figuras das narradas aqui, eu não trabalharia por valor nenhum de salário.

Abs

Itamar M Araujo

Parabens! Genial esse artigo! Abs

"JE SUIS ALEX". Querem te amordacar, mas nao deixe! Muita firca ai', Alexandre!

Como foi a sua relação profissional com o Tombini no BC (antes dele se tornar presidente) ?

Acidez cortante para cessar o debate nauseante que esta esquerda envelhecida quer pautar.
Mesmo sem ser economista, mas com o que depreendo dos artigos do AS e também com a formação de utilidade pública elaborada pelo programa do WW, consigo replicar as observações do magistral LGB quando se pronuncia em entrevistas pela tv.
Obrigado AS!

A Irlanda, ignorou os conselhos da "turma neokeynesiana" (da qual o senhor faz parte).Hoje ela cresce em um ritmo Chinês.Os EUA que que seguiu esses conselhos,tem um crescimento pífio,bem abaixo do crescimento da década de1990.


http://observador.pt/2015/12/10/irlanda-pode-crescer-do-china-ano/

Desemprego na Irlanda: 9% (nov15); desemprego EUA 5% (Nov 15)

PIB Irlanda 3T2015: 50,6 bi euro PIB Irlanda 3T2008 47,0 bi (+7,7% ou + 1,1%aa)

PIB EUA 3T2005: 16,5 tri dólar, PIB EUA 3T2005: 15 tri dólar (+10% ou +1,4%aa)

Valores a preços constantes (fonte: tradingeconomics.com)

Detalhe: antes da crise a Irlanda crescia mais que os EUA...

Sempre avante, Alex. Voce e' a unica pessoa que pode botar essa nau dos insensatos no rumo. O tempo ainda vai chegar. A crise - que nao e' crise mas situacao - vai piorar de maneira atroz. Eventualmente os charlataes irao desaparecer. Entao chegara' a vez de quem sabe E NAO SE DOBRA!

VA' EM FRENTE, ALEX!

Só agora li esta parodia, que merece simplesmente nota 10.

A parodia me fez pensar que a equipe de porcos que conduzia o governo entregou, de algum modo, crescimento na economia (mas ao reverso): crescimento da dívida pública, da inflação, do desemprego e da corrupção.