teste

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Quero bater no Eremildo

Elio Gaspari é o galã de roça dos nossos intelectuais públicos. De longe, parece o Clark Gable do Gone with the Wind, mas de perto é um jeca tísico com bigodinho ralo e pés descalços.

O artigo dele sobre o incidente envolvendo a congressista Gabrielle Giffords do Arizona é de me fazer bater a cabeça na parede.



Um vermelho e azul

Políticos republicanos de seis estados, entre os quais o Arizona, querem cassar a cidadania dos filhos americanos de imigrantes que entraram ilegalmente nos Estados Unidos. Só em 2008, nasceram 340 mil. A iniciativa é inconstitucional, mas para o Tea Party atrai votos. A Constituição americana, como a brasileira, dá a cidadania a quem nasce na terra.
E daí? É por acaso inconstitucional tomar uma iniciativa para se reformar a Constituição?

Numa nação de imigrantes, a intolerância de uma parte da sociedade já perseguiu negros, católicos, irlandeses, chineses, coreanos e japoneses.
Em outra nação de imigrantes, o Brasil, a intolerância de uma parte da sociedade já perseguiu negros, protestantes e japoneses. Não perseguimos os irlandeses mesmo porque apesar da Grande Fome que acometeu seu país, nunca fomos um destino de imigração interessante para os irlandeses (dos poucos que vieram, a maioria se recusou a ficar no país). Não perseguimos os chineses e coreanos porque nunca vieram para cá em números significativos.

A bola da vez, há tempo, são os latinos. Eles formam a maioria dos 12 milhões de estrangeiros que trabalham no país sem a devida documentação. (Talvez 700 mil sejam brasileiros.)
Qual a evidência de que latinos sejam a 'bola da vez' da intolerância, ó Eremildo? O atentado de um desequilibrado? Qual a conexão lógica que você formou para associar o desejo de limitar a imigração ilegal com a intolerância?

O chefe do setor de cirurgia onde Gabrielle Giffords foi operada, chama-se Peter Rhee e o delegado local, David Gonzalez. Ambos descendem de imigrantes vindos de regiões vistas com desprezo pelos nativistas radicais americanos.
Mas se os imigrantes legais conseguem chegar a posições de destaque, isso vai contra o seu argumento de intolerância ao imigrante (mesmo porque não existe nada que um observador honesto, em um arroubo de exagero, possa chamar de sentimento de intolerância ao imigrante nos EUA. Pelo contrário).
Mais: o que são nativistas radicais americanos? Quantos são eles? Isso é o mesmo que dizer que "Elio Gaspari é visto com desprezo pelos radicais anti-capachos-de-milico brasileiros". Não quer dizer nada.


O diretor da rede escolar pública de Tucson quer fechar os cursos de história e cultura latinas. Entre os livros que pretende tirar dos currículos está a “Pedagogia do oprimido”, de Paulo Freire.
Parabéns para ele. Existem poucas medidas que ele poderia tomar para melhorar o ensino mais promissoras do que cortar o lixo marxista chulé do Paulo Freire (nota: eu li, é lixo sim senhor).

(...)

O desequilíbrio de Jared Loughner expôs a teatralidade e a violência da recente xenofobia americana.
Besteira anabolizada. O desequilíbrio de Jared Loughner apenas expõe... o desequilíbrio de Jared Loughner... Teatralidade? O que raios isso significa?

Reações:

58 comentários:

Normalmente concordo contigo, mas nessa vc forçou, "O".

Nesse post, vc fez a típica crítica contra alguém que você já tem algo contra, e acaba encrencando com qualquer vírgula que esse açguém escreve, mesmo que seja um artigo sensato como esse exposto aí.

Sou carioca, voltei para o Rio como aluno de mestrado e minha fonte de renda era uma bolsa da CAPES; durante dois anos não pude ter um contrato de aluguel porque nossos costumes amparados na lei determinam que você só pode morar legalmente em uma cidade se um proprietário local o apadrinhar.

Depois fui estudar nos EUA, minha fonte de renda novamente era uma bolsa, desta vez do CNPq. Meu tipo físico me indetifica como latino a mais de 1Km, meu inglês mais ainda. Em menos de 15 dias tinha um contrato de aluguel e morava legalmente na Filadélfia.

Conto esta história toda vida que alguém me pergunta sobre preconceito a latinos nos EUA.

Abraço,

Roberto

“Nesse post, vc fez a típica crítica contra alguém que você já tem algo contra, e acaba encrencando com qualquer vírgula que esse açguém escreve, mesmo que seja um artigo sensato como esse exposto aí.”

Vou discordar. Achei o artigo infame. Do começo ao fim, anti-americanismo da variedade mais jeca, mais ignorante, mais tacanha. Mas admito que não é de hoje que o Gaspari me irrita profundamente.

Discordo do colega anterior. "O", pegaste foi é leve demais com o fulano. Juntar o atentado de um desiquilibrado com sinais claríssimos de síndrome persecutória com o Tea Party e intolerância étnica é que é ducaraleo.

Confesso que já gostei de ler esse babaquara, mas cansei e faz tempo. É sempre o mesmo papinho, mistura de um certo bom-mocismo esquerdista/liberal de miolo mole no cravo com um toque de moralista de cuecas na ferradura. Não é a toa que o Golberi gostava tanto.

“durante dois anos não pude ter um contrato de aluguel porque nossos costumes amparados na lei determinam que você só pode morar legalmente em uma cidade se um proprietário local o apadrinhar.”

Vale ressaltar que esse costume/lei não foi imposto pelos marines invasores ou alienígenas controladores de mente, mas sim é uma norma social/legal que reinforça a defesa dos rents das elites locais do Sul Maravilha. Afinal, que melhor forma de deter o nordestino e o interiorano de competir por oportunidades na grande cidade do que impedir que eles sejam cobrados o mesmo preço que os locais no mercado imobiliário?

Mas no Brasil não tem preconceito... Isso é coisa de estadunidense...

Meus caros,
É anti-maericanismo tosco juntamente com anti-Tea Party. Parece estar claro que o Tea Party não tem nada a ver com a história, mas tudo bem falar que sim, não é mesmo?
Conheço pouco o movimento (existem políticos toscos nele) mas a questão básica destes é a questão fiscal, não?
Saudações

ACho engraçado este tipo de artigo/comentários como se o americano fosse um xenófobo louco. Morei por quase 4 anos nos EUA, LEGALMENTE, com visto de trabalho e tudo o mais, e sempre fui extremamente bem tratada e respeitada. Desde o mecânico onde levava o carro até os deans da universidade onde trabalhava. E meu tipo físico latino grita à distancia (muita gente já se aproximava de mim falando espanhol). Agora, precisa desenhar para estas pessoas entenderem que imigrantes ILEGAIS não podem ter direitos pq são FORAS-DA-LEI???? Não têm o que reclamar! Os taxpayers americanos não têm que sustentar criminosos. Sim, senhores: independente se vc. é um batedor de carteira, um assassino ou um imigrante ilegal, só muda a gravidade do crime, mas é tudo crime; é tudo atitude que fere a lei.
Na verdade, os EUA são tolerantes demais com ilegais. O cara pode ir preso por dirigir embriagado e matar alguém que, em muitos estados, não vão conferir o status legal dele para deportá-lo. Os produtos têm vindo com instruções em duas línguas; os comunicados escolares idem; as reuniões em escolas públicas contam com intérpretes em espanhol para os pais (ilegais) das crianças que moram lá mas nunca se interessaram em aprender a língua do país!
Não tenho nenhuma simpatia pela Palin ou o Tea Party, e acho que os EUA merecem algo muito melhor que isto para governá-los, mas que no que diz respeito à imigração ilegal, ou os EUA fazem algo logo, ou viram um grande México em algumas décadas.

mais que isso, pergunte a um Australiano, ingles ou Suiço se é facil conseguir um visto para vir ao Brasil...temos que para com essa de que Brasileiro é mais companheiro, amigo, cordial que outros povos!!!

"Em outra nação de imigrantes, o Brasil, a intolerância de uma parte da sociedade já perseguiu negros, protestantes e japoneses."

e chegou a adotar o anti-semitismo como questão de estado.

não é de hoje que esse senhor transparece o avanço de seu déficit cognitivo.

;^/

O senhor "O" deve ser Deus.
Afinal conhece todos os assuntos e está presente em todos os lugares para dar opinião contra precoceitos.
Só alguém restrito as classes mais elevadas pode descordar que não existe preconceito nos EUA contra latinos.
Sobre o comentário acerca do Paulo Freire, o "O" conseguiu superar a barreira da burrice e chegou no nível da estupidez.
Somente a economia tem reflexo na vida das pessoas senhor "o"? O resto é dispensável?

O Elio Gaspari erra e acerta como qualquer um, com a vantagem de saber bem escrever.

Aqui por certo assume uma posição baseada em correlações, que a refutação é fácil pois está baseado em correlações, mas a crítica consegue ser pior do que a obra criticada.

Quanta pataquada, inclusive dos comentadores.

Primeiro, quem levanta a bola da ligação entre o atentado e o Tea Party é a própria Palin, que havia indicado a deputada alvejada como um dos alvos na mira de seu rifle político, tanto que tirou do internet o quadro que indicava outros 19 deputados democratas para serem atingidos.

O clima está pesado por lá sim, basta ler os jornais americanos.

Depois, o Tea Party prega o fim da cidadania para filhos de imigrantes ilegais. Se isso é ou não constitucional no sistema americano, nem vc nem o Gaspari indicaram uma idéia que seja, de modo que vc faz o que critica.

Existe quem defenda que a retirada de direitos da Constituição Americana é inconstitucional, há quem defenda que não, mas isso está no plano teórico, pois jamais foi efetivado. De qualquer forma, a idéia de cláusulas pétreas tb é tratada por lá, por isso, pq não te calas sobre o que não sabes.

Mas o que importa é que essa medida atinge principalmente os latinos, que afluem em maior número, até por causa da proximidade. É com eles que os Wasps estão preocupados.

E mais importante do que o aspecto econômico, de reduzir gastos com eles, está o aspecto político, pois a longo prazo os latinos se tornarão uma força política importante dentro do EUA.

Terceiro, Chris, quanta bobagem. Primeiro, pq até o início do século xx a entrada nos EUA era livre. A sua criminalização decorre da forma truculenta de lidar com a situação do que da periculosidade ou imoralidade da conduta.

Até pq a imigração que permite que a economia americana seja mais dinâmica do que a europeia, na medida que permite uma expansão do sistema econômico ao mesmo tempo que evita uma pressão maior pela alta dos salários. Aliás, esse sempre foi um dos dínamos da economia americana.

E sobre os custos econômicos, só vejo reclamação quanto ao gasto do estado, mas não em relação a salários mais baixos, que permitem maiores lucros nada se escuta. Malvados imigrantes que vão para o EUA só para ficar no ócio, de vagabundagem. Se ao menos trabalhassem.

“Primeiro, quem levanta a bola da ligação entre o atentado e o Tea Party é a própria Palin, que havia indicado a deputada alvejada como um dos alvos na mira de seu rifle político, tanto que tirou do internet o quadro que indicava outros 19 deputados democratas para serem atingidos.”

Non-sense. Que Palin tenha tirado o quadro apenas demonstra sensibilidade e senso comum. Não existe evidência alguma ligando o idiota do Arizona com o movimento de Palin.


“Depois, o Tea Party prega o fim da cidadania para filhos de imigrantes ilegais. Se isso é ou não constitucional no sistema americano, nem vc nem o Gaspari indicaram uma idéia que seja, de modo que vc faz o que critica. Existe quem defenda que a retirada de direitos da Constituição Americana é inconstitucional,”

Se existe ou não, não sei (“Existe quem defenda que a Terra é chata”). Mas se existir, demonstra ignorância.


“ há quem defenda que não, mas isso está no plano teórico, pois jamais foi efetivado. De qualquer forma, a idéia de cláusulas pétreas tb é tratada por lá, por isso, pq não te calas sobre o que não sabes.”
A Emenda #14 não é uma cláusula pétrea.


“Mas o que importa é que essa medida atinge principalmente os latinos, que afluem em maior número, até por causa da proximidade. É com eles que os Wasps estão preocupados.”
Boa! Seria difícil você demonstrar mais ignorância dos EUA do que usar o termo WASP nesse contexto.


“E mais importante do que o aspecto econômico, de reduzir gastos com eles, está o aspecto político, pois a longo prazo os latinos se tornarão uma força política importante dentro do EUA.”

Os latinos são uma força política importante dentro dos EUA.


“Terceiro, Chris, quanta bobagem. Primeiro, pq até o início do século xx a entrada nos EUA era livre. A sua criminalização decorre da forma truculenta de lidar com a situação do que da periculosidade ou imoralidade da conduta.”

Non-sense. A criminalização não tem absolutamente nada a ver com 'a forma truculenta de lidar com a situação'. A criminalização tem tudo a ver com a lei e o não-cumprimento da lei.

Alex,

Cancun eh bom com chuva?

Abs.

M.

Alguém aqui ainda acha que, depois do teor dos artigos E dos comentários, o Alex e o "O" sao pessoas diferentes?

Faça-me o favor.

Vermelho e Azul? Ou azul e vermelho?

Não vou entrar no mérito do post. Mas poxa, deixar azul o texto do Gaspari e de vermelho a correção é sacanagem....é sempre o contrário ué! Veja o Reinaldo Azevedo!

"Alguém aqui ainda acha que, depois do teor dos artigos E dos comentários, o Alex e o "O" sao pessoas diferentes?"

Tem certeza?

Não faz diferença. Estou aqui a trabalho mesmo.
Abs

“O senhor "O" deve ser Deus.”

Non-sense. Eu existo, ele não.

“Afinal conhece todos os assuntos e está presente em todos os lugares para dar opinião contra precoceitos.”

Existem milhões de assuntos que não entendo. Agora de economia e alguns poucos ramos de conhecimento correlatos eu estou satisfeito com meu conhecimento e o reconhecimento que recebo de meus pares.

“Só alguém restrito as classes mais elevadas pode descordar que não existe preconceito nos EUA contra latinos.”

'Descordar'? Não conheço esse seu dialeto. Quanto ao preconceito, seja lá qual for o dialeto em que você está escrevendo, saiba que eu nunca contrataria alguém com sua capacidade de expressão escrita para qualquer tarefa que necessite alfabetização na língua portuguesa. Então pode ser que eu tenha preconceito contra pessoas que escrevem/falam “descordar”...

O, diz aí ao menos um reconhecimento que vc teve dos seus pares? O prêmio de Anta do ano? Se for este, convenhamos, vc merece, e com muitos méritos!

Interessante o seu método.

Ataca o Gaspari por ele dizer uma série de correlações e delas retirar uma série de implicações, mas faz o mesmo.

Vamos começar pelo óbvio: Só sabemos que Palin retirou da internet o quadro com a indicação pq passaria a ser criticada. Não sabemos de sua sensibilidade, não sabemos se fez isso por senso comum. E o fez para evitar a correlação entre sua pregação e o que aconteceu, pq ela existe, mesmo que ao fim se descubra que nada teve a ver com o atentado.

São suposições que vc faz iguais ao do Gaspari.

Em relação ao direito constitucional e o problema da perpetuidade dos direitos, para começo de conversa, autores como Rawls e Dworkin vão falar de direitos inatos. Talvés eles seja idiotas, quem sabe.

Mas como eu disse, essa questão nunca foi decidida pela SCOTUS, de modo que é teórico. O que não dá é o seu argumento (ou a falta dele) como demonstração de já que eu estou falando está falado. Como eu disse, aqui vc faz novamente igual ao Gaspari, mas ao menos ele não está criticando a sua postura... Coerência é tudo.

Depois, o argumento do cumpra-se a lei pq é a lei é ótimo, mas falacioso. A lei pode ser deixada de ser cumprida em vários momentos, pq pode ser inconstitucional, pq pode ser desvalida de equidade, pq pode ser injusta. Basta ler aquele autor anarquista, o Santo Tomas de Aquino, que vc verá que seu argumento é fraco, pois parte de uma pobre tautologia.

Sobre os latinos serem uma forma relevante, o que eu ponderei é que eles são ainda uma minoria, por certo uma minoria relevante, mas uma minoria com no máximo 1/6 da população e bem menos do que isso do eleitorado, até pq muitos deles ou não são inscritos ou não são americanos.

Quando eles dobrarem de tamanho e isso refletir no número de inscritos, veremos uma mudança na política americana sem precedentes, especialmente a partir de estados chaves como California, Texas e Flórida.

É disso que eu estou falando.

Caramba!!! Mas, e por aqui? Será que as coisas ficarão muito mal paradas quando e caso os processos de união avançarem para uma espécie de "estados unidos da américa do sul" e houver liberdade de trabalho? Será que os resolutos e solidários sul- americanos vão deixar que os irmãos demandem os mesmos empregos que eles, em seu próprio país?

Nunca saberemos ate que ponto o maluco de Tucson tem que estar na conta do Tea Party. Porém, esses caras usam e abusam de alusões a violência. Adoram empunhar rifle e sugerir que vão seguir o caminho da revolta armada para se livrar da opressão do governo. Isso tem lugar na história americana, mas não mais no mundo de hoje (tipo o padrao-ouro by the way). O Tea Party não aceita isso e o comportamento de suas lideranças deixa claro ser admissível ir as ultimas consequências contra o governo. Lamentável.

Só quando eu vim para os EUA é que percebi o quanto somos racistas no Brasil. Ficar chamando os americanos de racistas e assistindo Mississippi em chamas é confortante, nos faz parecer muito melhores... basta olhar na profissão de economistas, num país com uma proporção de negros muito maior que os EUA, quanto economistas, acadêmicos ou profissionais, são negros?

“O, diz aí ao menos um reconhecimento que vc teve dos seus pares?”

Por acaso você acha que o Alex me empresta a chave do blog dele porque estou chantageando-o?

“basta olhar na profissão de economistas, num país com uma proporção de negros muito maior que os EUA, quanto economistas, acadêmicos ou profissionais, são negros?”

Consigo pensar em dois, ambos de grande qualidade... Pouquíssimos, infelizmente.

“Interessante o seu método. Ataca o Gaspari por ele dizer uma série de correlações e delas retirar uma série de implicações, mas faz o mesmo.”

Não entendi. Seja específico.

”Vamos começar pelo óbvio: Só sabemos que Palin retirou da internet o quadro com a indicação pq passaria a ser criticada.”

Errado. Só sabemos que ela retirou da internet o quadro, ponto.

Elio Gaspari faz parte da esquerda brasileira, a qual, na ausência de propostas concretas para o país, vive de atacar a sociedade democrática americana. Ataca-a pois é contra a democracia e contra o capitalismo.
Infelizmente, vivemos num país de elite intelectual pobre, cujo maior prazer é propagar o antiamericanismo. Os EUA são, em última análise, a raiz de todos os males!
Elio Gaspari esquece-se, no entanto, que os EUA são o país mais aberto do mundo.
2 perguntas simples :
a) por que tantos imigrantes continuariam a colocar as esperanças de uma vida melhor num país que realmente tivesse a cara pintada por Gaspari?
b) gostaríamos, nós, brasileiros, de ver o nosso país se encher de bolivianos, peruanos, etc..??Não se trata de xenofobia, mas sim de preservação da identidade nacional

Por fim, sugiro a leitura de "a obsessão antiamericana - causas e inconsequências" (veja só, escrito por um francês) e de " o manual do verdadeiro idiota latino-americano"

abraços e bom proveito das leituras!

Parte (2)

“Em relação ao direito constitucional e o problema da perpetuidade dos direitos, para começo de conversa, autores como Rawls e Dworkin vão falar de direitos inatos. Talvés eles seja idiotas, quem sabe.”

Rawls não é idiota. Mas também não é constitucionalista. Já o adjetivo ‘idiota’ eu reservo para quem invoca o nome de Rawls em uma discussão sobre direito constitucional.

”Mas como eu disse, essa questão nunca foi decidida pela SCOTUS, de modo que é teórico.”

Falando do que você não sabe. Não é teórico. É uma questão legislativa.
Vai ser a décima-quarta emenda revogada? Eu aposto que não. Não existe clima político algum para se revogar a décima-quarta emenda. Zero.

”Depois, o argumento do cumpra-se a lei pq é a lei é ótimo, mas falacioso. A lei pode ser deixada de ser cumprida em vários momentos, pq pode ser inconstitucional, pq pode ser desvalida de equidade, pq pode ser injusta. Basta ler aquele autor anarquista, o Santo Tomas de Aquino, que vc verá que seu argumento é fraco, pois parte de uma pobre tautologia.”

Se Deus existir, ele é um puta sacana de mandar para o mundo um calhambeque sem motor como você... Ciao, não vou mais falar bom-dia para jumento. Às vezes, eles respondem.

"“O, diz aí ao menos um reconhecimento que vc teve dos seus pares?”

Por acaso você acha que o Alex me empresta a chave do blog dele porque estou chantageando-o?"

Vc está mesmo considerando este blog como reconhecimento do seus pares? Este é o seu grande mérito? Escrever na internet?

Não achei que este post fosse dar tanto pano pra manga. Parece claro que o atigo do Gaspari é mesmo uma porcaria, um ajuntado de idéias mal concebidas e pensamentos mal cozidos.

Mas pelo visto o blog está recebendo visitas brasilianas. E omo sempre nestes casos, me divirto com a paciência e as respostas do "O" mas desconfio de sua sanidade e sabedoria em discutir.

Meus caros,
Só um pequeno comentário inocente sobre esta discussão do "O" com outro sujeito.
Não sou constitucionalista, não conheço a constituição americana nem a décima quarta emenda. Mas esta discussão ficou muito engraçada.
Discute-se se seria possível mudança constituicional que tirasse a cidadania de filhos de imigrantes ilegais nascidos nos USA.
O Gaspari diz ser um absurdo. O "O" levanta que isto só seria um absurdo caso isto fosse cláusula pétrea. Normal até aqui (pelo menos, para um leigo).
A discussão vai, então, para o terreno constitucionalista ("existem cláusulas pétreas na constituição americana?") e alguém declara que esta discussão existe e não tem solução/definição (leia-se jurisprudência) ainda. Até aqui, o leigo seguiu a discussão.
Aqui aparecem as coisas realmente gozadas (o blog também é humor).
- O sujeito, ao defender a existência desta indefinição jurídica, não cita algum caso complexo que tenha chegado à suprema corte e seu respectivo debate jurídico. Ele CITA RAWLS, SÃO TOMÁS DE AQUINO, ETC. Claramente, ele não sabe do que está falando.
- Na resposta do "O", vêm a segunda parte hilária (não devido ao "O"). O tal direito seria garantido pela emenda constitucional #14!!!!! UMA EMENDA GERANDO CLÁUSULA PÉTREA???????? A parte imutável da constituição (em sua promulgação) é definida por mudança constitucional pós-promulgação sem ruptura institucional???? Há, Há, Há. Neste caso, acredito que não existe discussão jurídica nenhuma. Realmente, o sujeito não tem noção do que está falando.

No Brasil isto acontece todo dia...cada novo direito individual que pinta vira cláusula pétrea...

A definição do âmbito da cláusulas é da CF88, mas o teor delas é mutável, ou melhor, pode aumentar apenas, não diminuir (o país do direitos...com deve ser um bom país).

E mais, a interpretação da amplitude da proteção destas cláuslas é definido, no limite, pelo STF...

Ronaldo

”Elio Gaspari faz parte da esquerda brasileira”

De que Elio Gaspari você está falando? Eu não usaria o adjetivo ‘esquerdista’ para definí-lo. Gaspari está mais para ‘direitista iliberal’ (a la Delfim Netto) do que para ‘esquerdista’.

"...basta olhar na profissão de economistas, num país com uma proporção de negros muito maior que os EUA, quanto economistas, acadêmicos ou profissionais, são negros"?
Anônimo de 13 de janeiro de 2011 21:35, o problema não está nos níveis superiores. Está na quase impossibilidade de cidadãos pré, adolescentes e adultos, concluírem os níveis de ensino fundamental e o médio. De todo modo, o cidadão negro no Brasil parece inexistente. Entrar num ônibus ou num vagão de trem ou metrô e contar quantos negros vê-se em qualquer horário em qualquer dia em qualquer cidade, denota isso. Ou mesmo quantos estão andando pelas ruas perto de onde se mora. Mesmo nas periferias mais longínquas.
Dawran Numida

jccmeirelles

“Depois, o argumento do cumpra-se a lei pq é a lei é ótimo, mas falacioso. A lei pode ser deixada de ser cumprida em vários momentos, pq pode ser inconstitucional, pq pode ser desvalida de equidade, pq pode ser injusta. Basta ler aquele autor anarquista, o Santo Tomas de Aquino, que vc verá que seu argumento é fraco, pois parte de uma pobre tautologia.”

Como ensina Plutarco, você padece de um mal: a diarréousi, diarreia da língua.

Confira aqui o diagnóstico: A Tagarelice e Outros Textos. Plutarco. Tradução Mariana Echalar, Ed. Landy.

Você apenas mostra que nada sabe de Tomás de Aquino. Vai estudar para não passar vergonha. Em Tomás de Aquino o que se nota é uma acentuada hesitação a respeito do tiranicídio. Tomás entraria na “briga” se fosse o caso de discutirmos aqui as doutrinas da resistência aos poderes tirânicos, o que nem de longe é o caso. Tomás distingue os tiranos. Há os usurpadores e estes podem ser mortos. Mas não diz o mesmo sobre os tiranos em exercício. Nesse caso, ele está próximo do apóstolo Paulo de Tarso (Romanos).

Nas doutrinas eclesiáticas, João de Salisbury é sim bem explícito quando se trata do tiranicídio: é lícito matar os tiranos. Mas no Policraticus (1159) o autor refere-se aos tiranos por usurpação que tomaram poder por astúcia e violência.

“O”

“Se Deus existir, ele é um puta sacana de mandar para o mundo um calhambeque sem motor como você...”.

Não é assim. Como dizia Agostinho, repetindo por outras palavras a crítica de Platão (República) dirigida aos mendazes deuses homéricos, Deus é inocente de toda tramóia ou falsidade e Ele não precisa das nossas mentiras. Ainda no Paraíso nossa vontade decidiu-se pelo mal e pela mentira. Logo, no mundo finito tudo é pervertido.

Satã este sim é o mentiroso supremo.

Abs.

E o Brasil tem identidade nacional???

Vejo que vc trocou o seu argumento: inicialmente Palin, ao retirar o quadro, o fez por ser uma pessoa sensível e com senso comum; agora só sabemos que ela retirou o quadro depois que a deputada levou o tiro. Será que foi mera coincidência? Como eu disse, vc adora criticar o Gaspari pelas suposições que ele faz mas age igual a ele... Taí o seu exemplo.

Doutra parte, vc tem dificuldade de ler o que os outros escrevem, preferindo ler o quer no que os outros escrevem.

Não disse que Rawls ou mesmo Dworkin podem ser classificados de constitucionalistas; aliás, não os qualifiquei como nada além de autores que escreveram sobre direito constitucional.

De qualquer forma, o problema continua só no nível teórico, pois não se sabe como eventualmente a SCOTUS iria decidir ou não o tema. E sim, o problema tb é legislativo, pois deve ser aprovada uma emenda que retire um direito da Constituição Americana, no caso o de ser cidadão americano por ter nascido em solo americano, mas enquanto isso não ocorrer, primeiro é uma questão teórica.

A partir disso, o que se nota é que vc não gosta de ser interpelado, estando certo ou não seu interlocutor, de modo que, ao invés de responder aos argumentos que ele expôs, vc o ataca qualificando-o de algo que vc considere ofensivo: no meu caso calhambeque sem motor e jumento.

Por isso, vou tomar esses impropérios como elogio, pois ao invés de me responder com inteligência, usando o que diz um Hart ou um Kelsen ou outro grande autor, ou mesmo algo que considere válido, vc preferiu me ofender.

Mas fique tranquilo, seus elogios serão motivo de muita risada entre meus amigos, quendo tiver jogando conversa fora. Até eles tem sua utilidade.

Aquele abraço.

Resposta ao dito leigo sobre cláusulas pétreas, mas que parece estar inteirado do debate no Brasil:

- primeiro não falei de cláusulas pétreas, falei de direitos inatos, depois citei autores importantes para o debate americano, Dworkin e Rawls. De qualquer forma, gostaria de entender pq esses autores não são relevantes para o debate.

Já Santo Tomas foi citado em razão de cumprir-se ou não uma lei.

E quanto a existência ou não de casos da SCOTUS que tratem do tema, eu alego que eles não existem, portanto um fato negativo, que não precisa ser provado: é vc precisa provar o contrário. No mais, fica a minha posição de que enquanto não houver tal caso o debate é eminentemente teórico.

- segundo, o problema das cláusulas petreas está colocado nos EUA, pois por exemplo, é vedada qualquer emenda que vise tirar a igualdade de representação dos estados no Senado Americano.

Nesse caso o texto é expresso, mas fica a questão de saber se emendas tb poderiam ser pétreas, expressas ou não, como por exemplo a XIIIª Emenda, justamente a que aboliu a escravidão. E aí, essa emenda poderia ser abolida?

Aliás, diga-se de passagem que o texto da XIVª Emenda, acima aludida, foi votado justamente para evitar o debate de dar-se ou não aos ex-escravos a cidadania americana.

"De que Elio Gaspari você está falando? Eu não usaria o adjetivo ‘esquerdista’ para definí-lo. Gaspari está mais para ‘direitista iliberal’ (a la Delfim Netto) do que para ‘esquerdista’ "

Pode até ser, mas não muda o fato de que ele é um baita de um ignorante...

Alex/ "O"

O que vcs acham da afirmação heterodoxa de que países com moedas ditas "inconversíveis" terem de implementar medidas de controle de câmbio pq nao conseguem conviver com liberação da conta de capital devida à volatilidade q isso traz?

Não me parece ter o menor embasamento científico/empírico..

"Pode até ser, mas não muda o fato de que ele é um baita de um ignorante.."

Nao iria tao longe, pois no universo do pungira brasileiros ele esta longe de ser o pior. Vide o Clóvis Rossi, por exemplo.

" Mas fique tranquilo, seus elogios serão motivo de muita risada entre meus amigos, quendo tiver jogando conversa fora. Até eles tem sua utilidade."

jccmirelles,

o que fez os meus amigos rirem foi o seu post sobre a taxa de juros fixada pelo Copom.

DIREITOS SOCIAIS E AUTONOMIA DO BANCO CENTRAL

Como é malvado este Copom!

"o que fez os meus amigos rirem foi o seu post sobre a taxa de juros fixada pelo Copom.

DIREITOS SOCIAIS E AUTONOMIA DO BANCO CENTRAL"

Ri um bocado. O sujeito não sabe a diferença entre amortização e juro...

Espera só que ele já vem com citação de Sao Tomas de Aquino sobre usura...

Eis que a Lusitana volta...

Achei este vídeo com um trecho de uma entrevista da Maria da Conceição Tavares, onde ela dá conselhos aos jovens economistas.

Recado de Maria da Conceição Tavares para os jovens economistas

Quem ela acha que é para definir o que cada um pode ou não fazer com o seu diploma de economista? Ou deu a ela poder para definir o que é relevante ou não para a formação do economista?

JC,
vc é advogado, promotor, jurista?


"No mais, fica a minha posição de que enquanto não houver tal caso o debate é eminentemente teórico."

;^?

Dworkin, SCROTUS (sic), tomas de aquino, clausula pétrea, plutarco.....pra discutir um texto boçal do Eremeildo!?? Quanta babaquice...

O Gaspari eh so mais um sujeito que pretende que seus preconceitos e suas soluçōes rápidas e erradas pra problemas complexos sejam finos pensamentos liberais-humanistas.

André

A Tavares e os ex alunos dela sao melhores que vc's todos.
Soh o que ela escreveu eh mais do que vc's jah leram na vida.

"Soh o que ela escreveu eh mais do que vc's jah leram na vida."

O Gabriel Chalita também, mas nem assim pretendo ler os livros dele...

“O senhor "O" deve ser Deus.”

"Non-sense. Eu existo, ele não."

Você morre. Ele não.

Ele nao morre porque nao existe, nao passa de um figmento de mentes supersticiosas. Bela vantagem.

Ele não morreu lá pelo ano 30?

" nao passa de um figmento de mentes supersticiosas"

Nossa "O", profundo e original. Você pensou nisso sozinho?

André

Mudando de assunto, segue post sobre Friedman e QE do DeLong:

http://delong.typepad.com/sdj/2010/11/milton-friedman-suppors-ben-bernanke-on-qe.html

Fui ilegal nos EUA, entrei pelo méxico, lá existe sim muito racismo. Mas lá eu comprei e assegurei um carro, aluguei casa (podia até comprar) familiares montaram empresas e prosperaram mesmo estando ilegais, abri contas em banco e ainda cursei UMA matéria na Harvard Summer School (de antropologia), recebia salário por hora e consegui grande reconhecimento pela boa produtividade e fiz um monte de outras coisas, mas de fato não me deixaram tentar ser o "Presidente dos Estados Unidos da América", me frustrei e voltei pra estudar numa Top 10 Brazilian Business School.
Fui Pobre, voltei classe média baixa, a diferença é que antes de eu ir culpava FHC/FMI/USA por meu destino, e via como algo justo os pobres Brasilianos "invadirem a América", quando já regresso, fui comprar um lap top, e o encontrei 5 vezes mais caro do que nos EUA, tentei culpar os EUA, mas não colou, e senti como uma mãe que no programa do Ratinho escuta a música "ele não é o pai, ele não é o pai"

Os EUA está cheio de anti-americanos que ainda os culpam exclusivamente pela sua desgraça (tenho um amigo assim palestino, mas essa é outra estória)
Gostaria eu de ver o Brasil pelo menos tentando copiar o "American way of racism", já pensou? empresas de construção civil com mão de obra barata boliviana competindo no mercado?
Abraço

Gostei: tanto "O" quanto "o", ambos anônimos, concordam com a imortalidade divina.