teste

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Jumentena

Graças ao grande Reinaldo Azevedo, fiquei sabendo desta fala jumentica da Professora Mensalena Chauí (aquela mesma de infame notoriedade pelo episodio do plagio de Claude Lefort) no Largo São Francisco.





Primeiro, nega que a liberalização do aborto fosse parte do programa do PT... Mas tudo bem, deixa para lá, vai que eles mudaram o que eles pensam, é o direito deles. Já fizeram isso quanto ao regime de metas de inflação, a lei de responsabilidade fiscal, o PROER, a reforma da Previdencia, o calote da dívida pública, as privatizações, o apoio ao agronegocio etc.

Mas o fim da picada foi mesmo a fala ignorante ou mentirosa, bucéfala, tão estúpida que não consigo nem ver saindo do teclado de um Luis Nassif (nem ele é tão ignorante ou mente tão descaradamente), que José Serra teria sido vitorioso em todas as regiões de agroindústria, portanto latifúndio (a partir do minuto 4:45)... Impressionante... Os dois estados que melhor podem ser caracterizados como intocados pelo latifúndio no Brasil, Santa Catarina e Paraná, votaram em Serra.

Os estados que votaram em Serra são melhor caracterizados como aqueles em que as únicas forças que em toda a história da humanidade melhoraram permanentemente a condição de vida das massas – o capitalismo e os ganhos de produtividade na agricultura – fizeram o seu trabalho. São exatamente os estados onde a erradicação da miséria rural está completa ou mais perto de completa.

Pior ainda, mais que isso, mais patético ainda, sendo Mensalena uma professora de Filosofia, foi o argumento com que fechou sua fala. Acredite se quiser (o link para o vídeo está aí em cima), mas ela teve a desfaçatez de argumentar que como teria dedicado sua vida a estudar Spinoza, nós deveríamos – passivamente - aceitar que sua opinião sobre democracia e liberdade de expressão vale mais do que um quilo de bosta em compota.

Marilena Chauí, tu és uma aparatchik sem talento, és ignorante sobre Brasil ou mentirosa, não sei qual o pior.

Este é o jumento Juvenal. Como ele não acha que Santa Catarina é uma província dominada pelo latifúndio de herança colonial, ele é certificadamente melhor conhecedor do Brasil do que alguns intérpretes de Spinoza.

Reações:

22 comentários:

uma coisa é ela afirmar que o Serra foi vitorioso nos estados em que há maior concentração de terra - afirmação de que eu duvido, tendo em vista alguns aliados do PT, mas preciso conferir os resultados em tais estados.

Outra coisa é ela dizer que Serra NÃO obteve a maioria dos votos dos estados de Santa Catarina e Paraná - não há nada que o impeça de ganhar a maioria dos votos em estados tradicionalmente latifundiários E em estados menos atrasados. Eu não tive coragem de assistir ao vídeo para saber se ela falou sobre os estados de Santa Catarina e Paraná.

Em que pese a professora ser mais viesada ou estúpida que uma porta quebrada, devo dizer que esse ataque não se justifica pelos motivos apresentados.

abraços,

Maurício.

só pode ser a alfafa transgenica, O, a culpa não é dela mas sim da banca e das multinacionais que favorecem a chegada de alimentos geneticamente modificados ao prato do nosso glorioso povo brasileiro..

by the way, seu candidato, O, contra os números e a realidade, acaba de afirmar na tv que o país passa por um processo de desindustrialização e que a culpa disso é da política monetária e da falta de investimento em ciencia e tecnologia, bla bla bla..

complicado..



Doutrinador

Tio "O" tava fuçando o blog e vi que certa feita você falou algo como "não se deve dar crédito ao M.H. Simonsen" . . Eu tenho lido algumas coisas dele e tenho visto comentários muito elogiosos de gente como Gustavo Franco. Ele era uma economista "fraco"? Digo isso pq sou aluno de graduação e ouço falar dele como parte da nata dos economistas brasileiros.

O "O" é normalmente inspirado. Mas ele fica melhor quando perde a paciência e as estribeiras. A expressão "um quilo de bosta em compota" pela como equivalente a uma opinião de Marilena é muito, muito boa. Obrigado pelas risadas.

Não vejo motivo na fala da Marilena para a reação do “O”. Ela está se referindo às regiões dos estados do Norte e do Centro-Oeste em que José Serra foi bem votado. O mapa de votação a que ela se refere foi difundido por vários petistas, e se encontra aqui , e tem como objetivo ganhar votos ambientalistas, algo que ambos candidatos estão tentando no segundo turno.
Como o próprio “O” faz questão de frisar, no sul tudo se deu de forma distinta. No Paraná, em S. Catarina e no Rio Grande do Sul não se observa o Agronegócio como continuação do tal latifúndio, e lá, no RS, por sinal, Dilma venceu as eleições... mas por questões estritamente políticas: o fracasso do governo do PSDB naquele estado.
Parênteses: Quanto ao sul do país, a sua colonização e seu desenvolvimento agrário diferenciado do resto, conhecido por todos, um dos maiores especialistas no assunto é justamente FHC, referência no assunto, mesmo para petistas. Fecho parênteses.
O Alex, que é uspiano e com certeza já atravessou a Av. Luciano Gualberto vez ou outra, sabe que “do lado de lá” não há tamanho grau de animosidade entre tucanos e petistas. Afinal o atual ministro da economia é cria da sociologia econômica da usp, tendo como tutor ninguém menos que FHC. E ministros de relevo nesses 16 anos que se esgotam agora, como Weffort (sociólogo, ministro da cultura de FHC) e Haddad (filósofo, ministro da educação de Lula da Silva), são professores das humanas da usp também. E na própria “fefeléche”, onde estudei, o que não falta é tucanos como Demétrio Magnoli e Artur Gianotti. E nenhum deles nunca recebeu tratamento de tamanho mal gosto por parte da esquerda uspiana como o exposto aqui.
Assim que, caro “O”: a Marilena forçou ao se utilizar de um argumento de autoridade (no caso sua própria obra) para “provar” ser alguém que sempre defendeu a democracia e a liberdade, valendo-se de Espinosa. Já você, recorreu a escatologia mais tosca para rebaixar a posição de sua oponente no debate, o que também é não cheira nada bem, convenhamos. Ambos saem perdendo.
Como alguém que tenta ver a política para além dos partidos, como projeto de país, é triste ver que o debate entre os dois grandes projetos estabelecidos (tucanos X petistas) acabe por se igualar e se diminuir em argumentos tão pobres como os que nos tem sido apresentados nesta campanha tanto pelos próprios candidatos como por aqueles que os defendem, seja na academia ou na blogosfera.
Estranho é que como uspiano me sinto algo culpado por isso, sendo esta universidade berço de tantos intelectuais públicos, de ambos os lados, e vendo eu próprio em meio a ex-colegas de curso que não conseguem romper com essa forma de atuar politicamente.
Fazer o que né? Sigamos. Como tudo isso está inserido num contexto de campanha (e o NPTO não está também assim tão legal de ler), não resta muitas opções.
Mas um pouco de classe nunca fez mal a ninguém.
Abs.

Não desvalorize a maior contribuição da Marilena Chauí, que é ao estudo da física:

"... a teoria da relatividade mostrou que as leis da Natureza dependem da posição ocupada pelo observador... para um observador situado fora de nosso sistema planetário a Natureza poderá seguir leis completamente diferentes".

Ou seja, a filósofa pode raciocinar por leis físicas diferentes de nós mortais, porque ele estuda Spinoza. Faz sentido, mesmo que o Einstein desaprove.

Rafael

Eu não duvido que Marilena conheça e muito bem a vida e a obra do filósofo sefardita. E é exatamente por esse conhecer que o que ela diz torna-se, para dizer o mínimo, chocante. Quando lhe é conveniente, Chauí “esquece” Spinoza, que em toda a sua vida recusou-se a entregar seu pensamento a outra pessoa ou a ideologias, sobretudo as poderosas do momento. Spinoza pagou em vida alto preço por ser o que foi.
Jamais se viu saindo de Spinoza adulações como as que Chauí dirigiu ao seu todo-poderoso:

"Adorei. Quando o Lula fala, o mundo se abre, se ilumina e se esclarece".

O jornal FSP publicou reportagem sobre a visita de Marilena Chauí a Lula, em 3/6/2003. O repórter citou uma frase que desagradou a professora. Ela teria dito que viera ao Planalto para “dar um puxão de orelha no presidente”.

Vamos lembrar o que querem esquecer. Sabemos que Chauí foi a maestrina no coral dos intelectuais que repudiaram a “Carta aos Brasileiros” de 2002 e a indicação de Palocci para o MF.
Em carta à FSP, ela negou o dito e acusou a mentira da “mídia”. Recebeu do repórter Vinicius Torres Filho a seguinte resposta:

A crítica a Chaui (‘abdica da condição de intelectual’ e ‘comadre áulica’) continua válida. A filósofa não contesta ter dito coisa como: ‘Adorei. Quando o Lula fala, o mundo se abre, se ilumina e se esclarece’. Quem ‘adora’ é fiel em culto religioso ou ‘miss’. Sobre mentir: Chaui falou, sim, com um repórter após a reunião com o presidente. Mas, se Chaui nega a autoria da frase, resta dizer que a citação no meu texto está errada, embora seja estranho que a filósofa tenha reagido a tal erro apenas após ter sido criticada.

(Painel do Leitor, Folha de S. Paulo, 13/6/03)

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/asp170620039.htm

Registro duas passagens esclarecedoras para o tipo de homem e filósofo que foi Spinoza. O contraste com a professora especialista é evidente. Antes, um comentário do professor Roberto Romano, estudioso da obra de Spinoza:

"A função do intelectual não é apoiar, aderir. É pesar as palavras, pesar as idéias e mostrar caminhos" [...]. O objeto mais flexível do universo é a espinha dorsal dos intelectuais. É infinita a capacidade que eles têm de se curvar diante do poder, seja ele fascista, seja socialista. Basta que seja poder.“

http://veja.abril.com.br/160205/entrevista.html

Em 1656 Spinoza foi excomungado pela comunidade israelita e expulso da sinagoga de Amsterdã, acusado de “heresias praticadas e ensinadas”. Mas antes da excomunhão lhe foi oferecida uma prebenda em troca de ao menos na aparência manter-se fiel à sinagoga e à velha fé. “Espinosa recusou a oferta - e a 27 de Julho de 1656 foi solenemente excomungado de acordo com o rito hebreu” (Durant, W. História da Filosofia. Lisboa, p. 160).

Foi nessa época também que sua fama de grande filósofo começou a se espalhar pela Europa. Amigos que conheciam a importância do seu pensamento tentaram lhe conseguir uma vaga em na Universidade alemã de Heidelberg para lecionar filosofia. Porém, em respeito à sua liberdade de ação e pensamento ele recusou o convite.

Ao convite foi anexada uma singela ressalva: era-lhe garantido "ampla liberdade de filosofar, desde que não criticasse a religião estabelecida". A educada recusa do filósofo: “Desconheço os limites do meu pensamento e não posso garantir que nunca irei incomodar a religião estabelecida".

Este foi o verdadeiro Spinoza e esta é a verdadeira Marilena Chauí.

“uma coisa é ela afirmar que o Serra foi vitorioso nos estados em que há maior concentração de terra - afirmação de que eu duvido, tendo em vista alguns aliados do PT, mas preciso conferir os resultados em tais estados.”

Não precisa olhar não, porque o “O” olhou para ocê: quanto mais desigual o estado, maior o voto para Dilma. Ergo, os três estados mais igualitários segundo o gini de renda na PNAD 2009 votaram para Serra (vide Santa Catarina, São Paulo, Paraná). Mais que isso, entre os estados mais igualitários, 5 votaram em Serra (Mato Grosso e Rondônia são quinto e sexto no ranking de igualdade, Rio Grande do Sul é o quarto). Ao mesmo tempo, entre os 14 estados mais desiguais, apenas um (Acre) votou por Serra.

“Outra coisa é ela dizer que Serra NÃO obteve a maioria dos votos dos estados de Santa Catarina e Paraná - não há nada que o impeça de ganhar a maioria dos votos em estados tradicionalmente latifundiários E em estados menos atrasados. Eu não tive coragem de assistir ao vídeo para saber se ela falou sobre os estados de Santa Catarina e Paraná.”

Eu acho que você está assumindo uma inteligência ou honestidade intelectual fictícia para a Mensalena. Ela claramente iguala a agroindústria ao latifúndio, portanto é ou mais burra ou mau caráter do que você assume. Eu, corajoso que sou, ouvi a fala da megera bucéfala, da qual transcrevo o trecho a que você se refere:

“José Serra foi vitorioso em todas as regiões de agroindústria. Portanto, ele foi vitorioso nas regiões que em meu tempo, não chamava... quando eu era jovem não chamava agroindústria, se chamava latifúndio. Ele foi vitorioso no latifúndio e num latifúndio que ataca o meio-ambiente e que impede a reforma agrária, então não é pouco, não é pouco, não é pouco o que eu, hãm, isso se refira à estrutura da terra criada desde a colonização, que isto esteja ligado aos obstáculos sob a forma do crime contra a reforma agrária... esta aí [inaudível] que não vai me deixar mentir, mas que seja também na forma do atacamento [sic], portanto é preciso conversar com os ambientalistas pelos quais tenho o maior respeito...”

A frase

"Mas antes da excomunhão lhe foi oferecida uma prebenda em troca de ao menos na aparência manter-se fiel à sinagoga e à VELHA fé."

A palavra "velha" tem a conotação de ultrapassada, o que não é o caso. Eu a usei com o significado de "antiga". Então a frase fica melhor assim:

"Mas antes da excomunhão lhe foi oferecida uma prebenda em troca de ao menos na aparência manter-se fiel à sinagoga e à ANTIGA fé."

Por falar em Pistoleirismo, alguém leu a "carta aberta ao Fernando Henrique Cardoso" escrita por um tal de Theotonio Dos Santos? Alguém leu a "análise econômica" que esse "economista" fez? Se forem ler, preparem o estômago...

“Não desvalorize a maior contribuição da Marilena Chauí, que é ao estudo da física:”

Isso aí, Pait!

A Mensalena faz parte de uma geração cuja picaretagem sub-intelectual foi perdoada porque era de oposição à ditadura. Hoje em dia, a megera plagiadora contra a ditadura é apenas a megera plagiadora que quer censurar a imprensa. E deve ser tratada como tal.

O meu comentário 26 de outubro de 2010 10:58

Foi antecedido por outro, ainda não publicado. Foi este

Registro duas passagens esclarecedoras para o tipo de homem e filósofo que foi Spinoza. O contraste com a professora especialista é evidente. Antes, um comentário do professor Roberto Romano, estudioso da obra de Spinoza:

"A função do intelectual não é apoiar, aderir. É pesar as palavras, pesar as idéias e mostrar caminhos" [...]. O objeto mais flexível do universo é a espinha dorsal dos intelectuais. É infinita a capacidade que eles têm de se curvar diante do poder, seja ele fascista, seja socialista. Basta que seja poder.“

http://veja.abril.com.br/160205/entrevista.html

Em 1656 Spinoza foi excomungado pela comunidade israelita e expulso da sinagoga de Amsterdã, acusado de “heresias praticadas e ensinadas”. Mas antes da excomunhão lhe foi oferecida uma prebenda em troca de ao menos na aparência manter-se fiel à sinagoga e à antiga fé. “Espinosa recusou a oferta - e a 27 de Julho de 1656 foi solenemente excomungado de acordo com o rito hebreu” (Durant, W. História da Filosofia. Lisboa, p. 160).

Foi nessa época também que sua fama de grande filósofo começou a se espalhar pela Europa. Amigos que conheciam a importância do seu pensamento tentaram lhe conseguir uma vaga em na Universidade alemã de Heidelberg para lecionar filosofia. Porém, em respeito à sua liberdade de ação e pensamento ele recusou o convite.

Ao convite foi anexada uma singela ressalva: era-lhe garantido "ampla liberdade de filosofar, desde que não criticasse a religião estabelecida". A educada recusa do filósofo: “Desconheço os limites do meu pensamento e não posso garantir que nunca irei incomodar a religião estabelecida".

Este foi o verdadeiro Spinoza e esta é a verdadeira Marilena Chauí.

É verdadeiro que na Usp não há muita animosidade de tucanos para petistas, tanto que o Fernando Henrique convidou o Weffort para o ministério, e o Paulo Renato elogiava o trabalho do Haddad, pelo menos até começar a campanha eleitoral.

Agora, quem acha que não há animosidade dos polpotistas que votam na Dilma em relação aos tucanos, não conhece ninguém que fez um concurso de cartas marcadas pela extrema esquerda. Nem foi chamado de fascista por questionar a autoridade dos funcionários públicos. Existe também animosidade contra o PT da parte dos malufistas, que hoje votam no Serra por falta de opção e tentam levar a campanha para o mesmo nível de imundície dos polpotistas.

Meus caros,
Como ninguém respondeu o anônimo acima, eu respondo. Mário Henrique Simonsen foi um dos maiores economistas brasileiros e extremamente respeitado entre seus pares. Se você ver qualquer um de seus livros em um sebo, COMPRE!!!!!
Um abraço.

“É verdadeiro que na Usp não há muita animosidade de tucanos para petistas, tanto que o Fernando Henrique convidou o Weffort para o ministério, e o Paulo Renato elogiava o trabalho do Haddad, pelo menos até começar a campanha eleitoral.”

Eu acho que a animosidade tradicionalmente teve mão única. Os tucanos e peemedebistas sempre consideraram o PT uma espécie de irmão mais novo, desgarrado. Daí a nomeação do Weffort, a acolhida da Erundina pelo governo Itamar etc. Mas os petistas nunca aceitaram se associar como sócios iguais ou minoritários. Tanto que expulsaram a Erundina por ter participado do governo Itamar (mas não expulsaram a Marta por ter queimado o filme do PT para sempre em São Paulo).

Outro exemplo foi o apoio do PT ao plebiscito pelo calote na dívida em 2000. Duvido que exista um membro sequer da executiva do PT que não soubesse que o único objetivo daquele plebiscito era aumentar o risco soberano do Brasil e sabotar o governo FHC.

Alex,

com tantas críticas ao PT, por que você aceitou um cargo no BC em u governo petista?

Spinoza e a religião

“Nada é tão libertador quanto a alegria” (Spinoza)

Para Spinoza o que está presente é a comunhão entre Deus e a natureza. Spinoza critica a religião no que ela está alimentada pelo medo e a superstição. Isso lhe causou os sérios problemas.

Pode-se conhecer um pouco do pensamento de Spinoza pelo belo conto de Isaac Bashevis Singer “O Spinoza da Rua do Mercado”:

“Sim, quando o Dr. Fischelson olhava para os céus ele tinha noção dessa extensão infinita que é, de acordo com Spinoza, um dos atributos de Deus. O Dr. Fischelson sentia-se confortado ao saber que, apesar de ser apenas um homem débil e fraco ele era mesmo assim uma parte do cosmos, feito da mesma matéria dos corpos celestes, uma permutação da Substância infinita absoluta; na medida em que era uma parte da Divindade, ele sabia que não podia ser destruído.”

Em entrevista, Singer disse que se fosse para inventar uma religião esta seria uma religião de protesto:

“Muita da nossa moralidade é fazer coisas contra a natureza. A natureza diz que se vires uma mulher bonita, jogue-a no chão e a estupre. Isto pode ser a natureza humana. Mas algo maior que isto nos diz que se fizer isto, você destrói a sociedade, destrói a si mesmo, seus filhos e muitas gerações adiante.

Por isto, de certa forma, não podemos agradecer a Deus a todo momento, louvá-lo e dizer “Você é bom”. Nós temos este sentimento de revolta. Por que ele criou esse imenso ordálio para sofrermos? Acredito que alguém pode admirar Deus, admirar sua sabedoria, e ao mesmo tempo protestar contra sua neutralidade. Não acho que a religião seja contra isto. Os grandes líderes religiosos protestavam cada um à sua maneira. O livro de Jó é um livro de protesto. E assim são muitos grandes livros e grandes revelações.”

A íntegra da entrevista

http://antonioaraujo.wordpress.com/2010/08/20/entrevista-de-singer-a-salon/

Íntegra do conto de Singer, em tradução de Nuno Guerreiro Josué

http://ruadajudiaria.com/?s=spinoza+e+a+rua+do+mercado

(1) Alex é um indivíduo, “O” é outro.

(2) Ao que me consta o Banco Central é um órgão do Estado – qualquer pessoa que achar que deve fazer os desígnios de um partido político no Banco Central merece ser encaminhada para um curso durando 10 anos de introdução à filosofia para aparatchiks com a Professora Mensalena “Copy-Lefort-Paste” Chauí.

Burrice é uma coisa. Uma condição inescapável.

Mau-caratismo e desonestidade, inclusive intelectual, são coisas diferentes, indefensáveis.

Não acho que dê para afirmar que a Marilena sofra do primeiro mal. Já dos demais ...

AHAHAHAHAA

SENSACIONAL, O JUVENAL!

Não tem vídeo dele dando sua réplica?

Traduzindo a fala da pseudofilósofa:
1) o PT é a favor do aborto;
2) o PT é contra a liberdade de imprensa e das demais liberdades;
3) o PT é contra o agronegócio no Brasil.