teste

sábado, 9 de janeiro de 2010

Coincidências

Vejam este post do Krugman, em particular o penúltimo parágrafo. Não parece algo que já encontramos?

Reações:

23 comentários:

Como tem picareta neste mundo.

Então explica: por que os habitantes do hemisfério Norte da dimensão Z são "de direita," e os do hemisfério Sul, que nos divertem com suas aparições nesse blog, são quase sempre "de esquerda"?

Há picaretas de direita por aqui também, mas a pergunta procede e eu não sei a resposta.

Eu acho que tem a ver com uma guinada republicana à direita (não sei por motivos demográficos) que deteriorou muito a qualidade da liderança, inclusive intectual, dos conservadores.

Mas é chute: alguém tem uma ideia melhor?

Existem picaretas à esquerda nos EUA também, ainda que menos que à direita. Creio que parte da explicação é o fato que os EUA são a mais bem-sucedida economia de mercado. Nada mais natural que haja mais extremistas ultra pró-Mercado do que pró-Príncipe.

Não existe mais "direita" nos EUA.O que existe é um partido de social democracia e outro partido de esquerda nacionalista.

Até 1929 os EUA eram um país de direita,depois disso nunca mais foram.

Por mim, é por causa do campo magnético.
Como 99% da produção dos picaretas merecem o vaso sanitário, eles precisam seguir a orientação do redemonho da descarga. Como os redemoinhos são no sentido anti-horário nos EUA e no horário no hemisfério sul, o pensamento anedótico vem da direita nos EUA e da esquerda no Brasil.

Verdade, existe uma esquerda estranha nos Estados Unidos, concentrada nos entornos de Harvard e Berkeley :-) Acho que os argumentos sociológicos de vocês são certos. No Brasil a palavra "direita" ficou desacreditada pela ditadura, então os picaretas migram para a esquerda. Estou certo?

Acredito que você esteja falando do superficial e não do essencial. Caso contrário quero crer que você seria um social-democrata ao invés de um liberal (nas palavras). Eu só sei que invejo a sociedade européia. Se pudesse, seria para lá que iria e esqueceria dos arroubos de política a que me submeto cotidianamente. Um abraço

Rush Limbaugh nunca enganou o Ivo...

o laureado colunista do NYT tá com tudo: além de estar entre os modernos liberais, de ser um afetado defensor de td q vem do Obama, é bastante persuasivo, gosta muito de zoar os outros e acusá-los daquilo q ele...FAZ!

no artigo q segue ele até alivia no tom, mas prefere deixar de fora aquilo q não convém:
http://www.nytimes.com/2010/01/11/opinion/11krugman.html

felizmente há gente como o Mankiw:

http://gregmankiw.blogspot.com/2010/01/learning-from-europe.html

Ele é de direita conservadora (de esquerda).

Antes da grande depressão EUA não tinham salaro mínimo,previdencia social,Fannie Mae e Freddie Mac.

Os Gastos sociais em 45 era de 4,5% do PIB,saltou para 8,5% em 75.

Gastaram 5% do PIB para salvar os bancos.

2% do PIB vai para financiar pesquisadores,coisa que o mercado pode fazer.

Era bom você rever seus "valores".

Careca,Krugman se esqueceu de abordar a baixa eficiencia da economia americana.

Os Asiaticos superam e muito a economia americana em termos de eficiencia.

Lucrecio

"Ele é de direita conservadora (de esquerda)."

I rest my case...

"Ele é de direita conservadora (de esquerda)."

Como, às vezes, na margem os extremos se encontram, pode-se dizer que ele é de esquerda progressista (de direita).

Que coisa esquisita.

Arlequim...

O mankiw tambem so esqueceu de colocar na listinha dele os paises europeus que tem renda similar ou maiores que a dos EUA...

O debate na blogsfera americana ta feio demais...

"O mankiw tambem so esqueceu de colocar na listinha dele os paises europeus que tem renda similar ou maiores que a dos EUA..."

"A", covenha-se q ele explicou q se tratava dos cinco mais populosos e pos o link para a lista completa. mas ok, ficou enviesado. de qq forma, como o próprio Alex (se não me engano) já falou, o Mankiw é o caboclo que tem sido mais equilibrado nessa baixaria, promovida sobretudo pelos progressistas PK e Brad de LOng.
a proposito, vale a pena dar uma olhada nas entrevistas que o reporter da New Yorker fez com o pessoal de Chicago:

http://www.newyorker.com/online/blogs/johncassidy/?xrail

Eu vi o post do Mankiw e os comentários, mas (com uma ressalva que exploro a frente) o Krugman e o Mankiw estão falando de coisas distintas.

O Krugman afirmou que o ritmo de crescimento do PIB per capita da Europa é semelhante ao americano (e me lembro de ter visto uma coluna da The Economist afirmar a mesma coisa). Os dados do Mankw mostram que o nível do PIB per capita nos países europeus (ajustados por PPP) é menor que os americanos.

Traduzindo, é como se um dissesse que dois corredores andam a mesma velocidade e outro dissesse que o corredor 1 está à frente do corredor 2. Ambas afirmações podem ser verdadeiras sem desmentir a outra, o que não nos leva muito longe.

Continuando as analogias teríamos o seguinte diálogo:

A: Laranjas são frutas
B: Mas algumas maçãs são vermelhas.

Isto dito, há uma ressalva importante: uma das poucas regularidades empíricas que sobrevivem a todos os testes de robustez no que se refere a crescimento é a CONVERGÊNCIA CONDICIONAL, isto é, controlando um conjunto de fatores (educação, instituições, etc), economias de renda per capita mais baixa tendem a crescer mais do que economias com renda per capita mais alta (o segundo ensaio da minha tese foi o teste desta hipótese entre estados brasileiros).

Se isto é verdade, então a Europa deveria - tudo o mais constante - crescer um pouco mais rápido que os EUA. Não muito, porque a diferença de renda per capita é relativamente modesta, mas deveria ser maior.

Caso a taxa de crescimento seja a mesma, pode-se argumentar que as demais variáveis (o "tudo o mais constante") favorecem os EUA sobre a Europa, isto é, haveria outras variáveis que impulsionariam o crescimento americano, compensando o efeito (negativo) de um PIB per capita mais elevado.

Assim, parece que o Mankiw tem certa razão, mas, a bem da verdade, não explicitou o argumento acima (que, diga-se, ele conhece como poucos, tendo sido co-autor, com o David Romer e o David Weil, de um dos estudos empíricos sobre crescimento mais citados da literatura (“A Contribution to the Empirics of Economic Growth.” Quarterly Journal of Economics 107, no. 2 (1992): 407–437.)

Você é um caso sério,mais tudo na vida tem concerto.

Todo conservador tem idéias nacionalistas,que vão contra as liberdades individuais.

Ele defende a supremacia americana no mundo,é contra o aborto,é nacionalista.

O Partido republicano não tem nada de direita.Defendem subsidios agricolas,gastos militares elevados,deficit publico elevado.


s conservadores que desconfiam da eficiência de um governo interventor demais no cenário doméstico, mas depositam enorme fé na capacidade desse mesmo governo apresentar excelentes resultados mundo afora. Sem falar que essa concentração de poder para as metas ambiciosas imperialistas acaba inevitavelmente se voltando contra o próprio povo. Basta lembrar o que o Patriot Act após o atentado de 11 de Setembro representou em termos de perda de liberdades individuais. Os governos sempre procuraram monstros externos para combater, justificando assim seu aumento de poder. Sob as condições de tempos de guerra, as propostas socialistas sempre têm se tornado a regra. Os grandes empresários “amigos do rei” aproveitam essa simbiose entre governo e economia para obter privilégios à custa do povo.


A política externa americana tem um custo de manutenção excede US$ 1 trilhão por ano. O governo americano possui tropas na Coréia por mais de cinqüenta e cinco anos. Existem tropas americanas na Europa e no Japão pelo mesmo período.

A direita existiu nos EUA até 1929,depois disso quem predomina é a esquerda.

"Você é um caso sério,mais tudo na vida tem concerto."

Eu adoro concertos. Pode ser Beethoven ou Pink Floyd; apareceu um concerto, eu estou nesta, exceto na terra onde as conjunções adversativas foram exiladas pelos advérbios. Aí eu não vou mesmo.

Isto dito, imagino que, na definição do Ivo, Hitler não seria um direitista. Aquele comuna nunca me enganou!

A respeito das entrevistas da New Yorker... Becker e Heckman sao monstros...mas o Fama parece que ficou meio maluco apos a crise...ainda negando bolhas...destoando muito dos seus companheiros de chicago (menos um pouco do Cochrane)...parece que ta perdendo o bonde dos acontecimentos...triste

Krugman deve ter passado uma temporada no Hatzerim,quando retornou aos EUA deve ter ficado encantado com o sistema "socialista".

Não existe remédio que cure cretinismo.


Hitler chegou ao poder pelo Partido Nacional socialista dos trabalhadores.Precisa de mais uma explicação?

"Hitler chegou ao poder pelo Partido Nacional socialista dos trabalhadores.Precisa de mais uma explicação?"

É, e nem perseguiu, nem matou os comunistas. Realmente "Não existe remédio que cure cretinismo.". Temos aí uma prova viva.

Hmm is anyone else encountering problems with the images
on this blog loading? I'm trying to determine if its a problem on my end or if it's the blog.
Any feedback would be greatly appreciated.

Also visit my web site debt consolidation loans government
Here is my blog : unsecured loans in michigan