teste

sexta-feira, 23 de julho de 2010

O freak show está chegando!!


Nos dias 11 a 13 de agosto, várias dezenas de saltimbancos e deviantes exibirão suas artes e peculiaridades em um teatro fulo em pleno centro de Sao Paulo. Como de costume, eles vão se vestir de pesquisadores, franzir as sobrancelhas, e receber os cumprimentos gentis de seus pares após apresentarem ainda mais um artigo não-original, com texto medíocre, coalhado de erros metodológicos e muitas vezes internamente incoerente.

O anfitrião, o professor emérito de epidemiologia batava Luiz Carlos Bresser Pereira, célebre bem-humorado mambembe e autor de frases clássicas do repertório bufo brasileiro (*) vai reinar supremo entre manadas de puxa-sacos e zerões.

E o Tio “O” talvez visite para dar um alô amigos!

Ou talvez não.

Mas certamente não vou perder a oportunidade de me divertir com as dezenas de trabalhos que vão ser apresentados (veja o programa do encontro aqui). Não vai ser surpresa alguma se uma meia dúzia dessas pérolas aparecer como tema de artigos neste blog. Já aviso, o primeiro artigo a ser abordado vai ser Gala, Araújo e Bresser Pereira. Vocês nem imaginam o que eles produziram inadvertidamente. Tem gente que não lê o próprio trabalho antes de imprimir o PDF.

P.S. Pelo menos por alguns poucos dias, os pais de meninos pré-adolescentes em Brasília vão ter um problema a menos para preocupá-los.

(*) Por exemplo:

"If inflation is inertial, if it is not the result of an excess of demand, but rather of the ability of economic agents to automatically pass on increases in their costs to their prices, the natural solution to break this cycle is administrative price controls. This solution becomes even more natural when we learn that this ability to automatically reproduce past inflation in the present would become greater not only if inflation is higher, but also as the market for goods and services as well as the labor market are oligopolized and nationalized."

"The conditions necessary for the success of the Cruzado Plan are clear. Actually, the Plan is already an extraordinary success, a great conquest of theory and economic policy. The predominantly inertial nature of Brazilian inflation before the shock is indisputable.”

Reações:

10 comentários:

"P.S. Pelo menos por alguns poucos dias, os pais de meninos pré-adolescentes em Brasília vão ter um problema a menos para preocupá-los."

Já eu, se morasse nas imediações da 9 de julho, não deixaria rapazez pré-pubescentes saírem de casa.

"O", vc esqueceu uma frase dele que tb é mt boa. Ele disse que a inflação do Brasil tinha "inércia acelerada". Só um economista quermesseiro para inventar este termo, porque para um físico, que não passa de um cientista menor, isso seria uma contradição em termos...

Eu tenho vergonha que um sujeito limitadamente inteligente e completamente confuso como o professor emérito consiga ter passado por intelectual respeitado por tantos anos no Brasil.

Nós temos um problema de capital humano gravíssimo---não é de surpreender que nossos pensadores do desenvolvimento achem que progresso tecnológico pode ser alcançado via política cambial. Também não é por terem inveja do Cristo Redentor que os velhinhos da Suécia nunca nomearam um brasileiro para o prêmio Nobel.

Como mudar isso? Paciência, muita paciência, mas lentamente o aumento da renda devido à melhora secular de nossos níveis de vida vai se tornar demanda por educação e de pouco em pouco vamos reduzir a distância. Tome suas vitaminas que você pode viver para ver...

Concordo com todas as críticas ao professor emérito. Agora, o que será que explica o sucesso de uma revista há 30 anos editada por ele?

abs

Como eu disse antes, não é por terem inveja do Cristo Redentor que os velhinhos da Suécia nunca nomearam um brasileiro para o prêmio Nobel.

O e Alex, apesar do freak show existe um artigo com uma questão importante ao meu ver para a evolução do estudo da macroeconomia. O texto é "Anotações para uma crítica a uso da modelagem DSGE para deifnição de políticas macroecnômicas". É claro que o autor não passa nem perto das discussões interessantes que envolvem os DSGEs. Mas me parece que a academia, pós-crise, está procurando uma alternativa para melhorar a análise e as previsões macro (fica claro no discurso do Kocherlakota de um tempo atrás). Minha questão é o que vocês acham da aplicação dos DSGEs? E para onde a macro caminha na opinião de vocês (alternativas)? E, Alex, onde está o SAMBA do BC? Faz anos que ouço falar e nunca vi nada...
Obrigado e abs

Eu nunca vi um chute tão bem dado, sem duplos sentidos, para ficar claro.

Você viram o depoimento do Solow frente ao congresso norte-americano?

Literalmente, ele disse que os modelos DSGE não passam no "smell test".

Isso não é novidade. Desde o início da revolução novo-clássica Solow tinha o pé atrás com os modelos DSGE. Me lembro que disse que não discutiria com o Lucas porque achava o modelo dele "silly" e a partir do momento que passasse a discutir poderia dar a entender que levava o modelo a sério.

Mas o que me intrigou foi ao final do depoimento ele dizer que "há maneiras melhores de se fazer macroeconomia".

Será que ele se refere à velha síntese?

Mais tarde eu vou escrever sobre Solow e DSGE,

Ótimo "o"

Estou no aguardo.

(desabafando... não sei mais como aguentar a academia brasileira, 9 em cada 10 é analfabeto funcional com título de Dr. Como vocês aguentam? Acho descobri a razão de ser do Blog, hein!)

Abs.