teste

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Ganhei a aposta

Não sobre a inflação, é claro (eu esperava "entre 5-5.5% (mais perto dos 5.5%)" [ver comentário de 7/junho, às 15:58] ) e ela fechou o ano a 5,84%. Fui otimista demais.

Mais, se sou um otimista incorrigível nas questões econômicas, sou absolutamente pragmático nos meus julgamentos de (falta de) caráter. No mesmo comentário acima respondi ao Anônimo de 6/junho às 22:35:

Aposto que você não voltou aqui quando a inflação surpreendeu para cima em abril e tenho certeza que não voltará a aparecer em janeiro de 2013, quando ficar claro que a inflação de 2012 ficou entre 5-5.5% (mais perto dos 5.5%).
E, querem saber? O fulano não deu as caras mesmo! Errei a inflação, mas a (falta de) caráter foi na mosca...

Reações:

85 comentários:

Você está um pouco apressado, não? Tem ideia de quão distante é a dimensão "Z"?

"Nos meus números, os juros reais ficarão entre 2% e 7% (...) inflação entre 6% e 3%. Como sabemos em qual pedaço da banda o governo gosta de ficar, a Selic ficará perto/abaixo de 8% até aonde a vista alcança(...)
Claro tem o fiscal, indexação, o inexorável aquecimento global e a campanha para Libertadores. O fato é: good times are gone pro CDI! E quem tava no volante foi o Tombini, que assim como o Lula ficará na história como o cara.
Maradona"
Isso faz pouco mais que 6 meses, acertei CDI e a inflação, acertei tb o fiscal ruim e sinalizei a libertadores pro Curintia. Vou fazer meu blog!
Maradona

Como vc saberia quem é o cara se ele é Anônimo? Não adianta muito ele voltar, vc nao acha?

Caro careca, aqui estou eu.

Fique tranquilo, admito meu erro, a falta de caráter não é uma característica de minha pessoa.

Não querendo tirar seu mérito, acho que ao invés de me chamar de mau caráter, deverias me caracterizar como um otimista em excesso (soa menos pejorativo). afinal de contas, a contra parte da minha aposta também errou.

Att,

E mais, tal como no comentário original (de onde você tirou minha afirmação para se vangloriar, não com tanta razão assim), a gente está com a inflação fugindo do controle?

No lo creo... Reitero minha confiança no que o BCB vem fazendo em meio a atual conjuntura...

Também sei que é chato, mas olha só:

O Elfo Vidente Margarina apareceu!

"Caro careca, aqui estou eu.

10 de janeiro de 2013 12:59"

Quais as previsões para esse ano Sr. Elfo?

Ou será que devo lhe chamar de Thinker Bell chiliquenta do Tombini?

Anônimo, ou vc é parente do Mantega ou vive de bolsa companhero. Só pode ser...

Alexandre,

Existe alguma evidência de que inflações de um dígito restringem o crescimento?

Tudo que encontrei diz respeito a inflações superiores a dois dígitos. Nesse sentido, por que você está tão preocupado com a inflação (se ela está em 5%, 5,5% ou 6%)?

Você sabe que o BCB não vai permitir qualquer ameaça à estabilidade...

Mais perto do 6% ou do 6,5%?

Na distrib. de freq. do Focus vc está lááááá´na cauda. O q pensa diferente dos medianos (mercado)?

meu deus, não sabia q vc era tão rancoroso

O nome dele é Ulisses que se chamava "Ninguém". O nome diz muito sobre a pessoa.

Décio

podem falar o q quizer... a inflacao eh o preco do desenvolvimento!

"meu deus, não sabia q vc era tão rancoroso"

Como é que você percebeu?

"Você sabe que o BCB não vai permitir qualquer ameaça à estabilidade..."

Sei, claro. Basta ver o que andaram fazendo para ter tamanha certeza...

"Mais perto do 6% ou do 6,5%?

Na distrib. de freq. do Focus vc está lááááá´na cauda. O q pensa diferente dos medianos (mercado)?"

Mais perto dos 6% do que dos 6,5%.

Já o que eu penso diferente é o mesmo que me fez prever inflação mais próxima dos 5,5% do que dos 5% quando o consenso se encaminhou para 4,9%.

Parabéns, Alex!

Lembra dessa entrevista? http://maovisivel.blogspot.com.br/2012/01/mais-globonews.html

You've nailed it!

Att,

João Bosco

Compro inflacao a 6% p/2013

financeiro pequeno q eu sou pobre.

abs
Xian

"Você sabe que o BCB não vai permitir qualquer ameaça à estabilidade..."


Hahahaha...

Alex, você já fez a conta de quanto a inflação seria nesse ano se a ponderação fosse a mesma e o IPI não tivesse sido reduzido?

E você acredita que essa queda do juro real veio para ficar ou acha que quando os europeus e americanos se recuperarem os tradables vão subir o suficiente para que o juro nominal volte a dois dígitos?

"Hahahaha..."

Posso entender a risada do baba-ovo???

Caro Alex,


Não sou economista ,sou médico ,mas a minha previsão para crescimento desse lixo de país no quarto trimestre vai ser negativo...recessão a caminho!!!

Abç

"Tudo que encontrei diz respeito a inflações superiores a dois dígitos. Nesse sentido, por que você está tão preocupado com a inflação (se ela está em 5%, 5,5% ou 6%)?"


Já passou pela sua cabeça que inflação é cumulativa? Que 10 anos de inflação a 5% é bem diferente de 10 anos a 5,5% e ainda mais diferente de 10 anos a 6,5%? E pelo amor de deus, variável econômica não tem nenhuma relação com consenso. É daí que vem aqueles números otimistas que o Ministro usa em começos de ano ou é só uma embriaguez das Festas de Fim de Ano? Quem está na cauda da distribuição do Focus e mais próximo do resultado final é quem acertou, quem não está é porque errou. Maioria só serve para democracias, não tem nada a ver com o mercado e no final para os eleitoreiros de plantão isso é a única preocupação e que se dane o LP. Esses números que demonstram as expectativas dos agentes só servem para que se saiba a expectativa da geral e saber se os números surpreendem eles, ou não. É assim que funciona, e não como os elfos do IOF gostariam que fosse.

Outro detalhezinho, esse bem chato para os que querem ver os dados como uma briga partidária. E vindo do próprio IBGE: "Dos grupos pesquisados, o mais elevado foi o das despesas pessoais, que atingiu 10,17%, enquanto o mais baixo foi o grupo transportes, com 0,48%." Reparem para o fato de que o grupo transportes está tendo suas maiores variáveis modificadas por congelamento no preço dos combustíveis e pelo desconto no IPI dos automóveis (que interfere no preço dos usados também). Muito gostam de falar da nova classe C nos aeroportos mas as passagens aéreas aumentaram absurdos 26%, fora seguros e tarifas de ônibus que também subiram muito.

E isso para não falar nos alimentos, onde só o Frango e o Leite subiram menos que o IPCA. O resto foi de 6,28% no queijo até 91,51% na farinha de mandioca, e vale lembrar, pra aqueles que só pensam em eleição, que a farinha de mandioca é justamente o alimento preferido nos grotões e currais eleitorais. Que é como eles chamavam pejorativamente o Nordeste. Sim isso faz tempo, coisa antiga mesmo de quando lá era área do antigo PFL e eles ainda se denominavam de "o partido da ética".

Mas claro, quem errou foi a Economist. Podiam pelo menos não matar o mensageiro. E, já ia quase esquecendo, como seriam esses números se o IPCA não tivesse sido modificado? Seria ainda pior! Ah tá, mas a inflação é o preço do crescimento né? Só que mesmo com esse preço tão alto o país não cresceu quase nada? Pagaram meio caro não acham? E daí eu já sei que as desculpas vão para o tal "Tsunami monetário", coisa fictícia de quem ignora que os agregados monetários não possuem tanta liquidez assim e finge que não vê que a inflação dos países de onde se origina esse tal "Tsunami" não é tão alta.

Com grande risco que minha incipiente reputação virtual se torne ainda mais insipiente vou apostar na outra cauda: IPCA em torno de 5%. Alea jact est .

A taxa de juros tem caído e seus impactos na economia demoram pra se fazer sentir (nas minhas estimativas, onze meses de defasagem).

A taxa de câmbio desvalorizou cerca de 25% e, como se sabe, seus efeitos sobre o produto são ainda mais demorados (vide fartas estimativas de curva J).

A política fiscal também tem sido expansionista. Desonerações e elevação do nível de gastos dão a entender impulso positivo da política fiscal.

O produto não reagiu. Pelo menos não até agora. As vendas do varejo e o faturamento das empresas estão muito bem obrigado.

Não temos dados de estoque no país minimamente confiáveis. Tudo indica que realmente as empresas estão desovando estoques frente a demanda que se observa.

Tão logo esse movimento termine (espero que logo), a produção deverá se elevar.

O lado ruim dessa história é que a produção vai voltar a ganhar dinamismo num cenario de inflação em cima da meta (embora ainda dentro do intervalo aceitável).

Daí, teremos duas opções:

1- crescemos mais e convivemos com uma inflação ameaçando estourar o teto da meta.

2- BCB reage elevando a taxa de juros, fazendo a economia desaquecer.

Portanto, querem crescer agora e ignoram a inflação. Até acho que vai crescer. Só que ali na esquina a inflação vai abortar esse crescimento pela elevação da taxa de juros (que, pela assimetria existente em seus efeitos, tende a contrair mais a economia do que sua queda tende a expandir).

Em suma, nao seria melhor criar as condições para crescer agora ao invés de tentar crescer de qualquer maneira agora, mesmo sabendo que deve haver um stop-and-go ali na frente?

Claro, isso pode não ser possível, mas faz sentido essa análise, não faz Alexandre?

essa inflação é explicavel pelo cambio? pelo que eu entendo (sou graduando ainda) a inflação predominante é de custos e como a importação ficou mais cara

a inflação aumentou - check
o salario real diminuiu, diminuindo a demanda - check
ninguem investe porque maquinas são bonitas, mas porque tem demanda alta = baixo investimento - check
poupança é irrelevante pois na vida real (é so conversar com qualquer industrialista) investimentos são criados do nada por bancos, criando depositos no processo

Alex,

Como pode o BCB ter reduzido tanto a Selic nos ultimos tempos e a inflação ter desacelerado?

Se não estou errado, ela passou de 6,5% em 2011 para 5,8 em 2012.

1- Qual o pulo do gato?

2- Por que estar tão preocupado com inflação?

1) A inflação em 2012 não desacelerou relativamente a 2011: a mudança dos pesos no índice é que fez a inflação (aparentemente cair);

2) Houve alguma queda na medida em 12 meses quando medida na mesma metodologia, de um pico de 7,3% sem set-11 para 5,4% em jun-12, refletindo o aperto monetário até ago-11;

3) Porque com baixo crescimento a inflação está alta. Com um pouco a mais de crescimento, vai ficar ainda mais alta.

A mudança no índice não foi feita para se ajustar o índice a verdadeira cesta de consumo das famílias de 1 a 40 salários mínimos?

Portanto, a passada superestimava a inflação. Como ficaria a inflação do ano passado segundo composição atual do índice? Acelera ou desacelera?

Artigo hoje do excelentissimo presidente da AKB (parece até órgão russo), Sr. Luiz Fernando de Paula

www.valor.com.br/opiniao/2966122/estagnacao-e-heranca-maldita

"Não faz qualquer sentido comparar o Brasil - uma economia de grande mercado interno - com economias de pequeno porte como Chile, Colômbia e Peru, cujo dinamismo é derivado primordialmente da exportação de commodities e produtos agrícolas."

Mas justificar o fraco crescimento brasileiro porque o mundo está desacelerando vale? Que consistência! Que inteligência! Que genialidade! Estou estupefato com a capacidade argumentativa.

Att,

João Bosco.

"Como ficaria a inflação do ano passado segundo composição atual do índice? Acelera ou desacelera?"

Use a lógica: se ela cai apenas pela mudança de pesos, com o mesmo conjunto de pesos (seja o antigo, seja o novo) ela se manteria constante...

O careca tem razão

O BC tinha que ter subido os juros para 12,25%.. Assim a inflação convergiria para o Santo Graal do centro da meta... nem que para isso tivéssemos que jogar o Brasil na recessão....

A inflação esta fora de controle... vamos todos para hiper.... teremos uma fuga para ativos reais...

O PSDB voltara ao poder e Chico Lopes (ou Gustavo franco) reassume o BC ... Será que o Alex arruma uma diretoriazinha ??

Que saudades que tenho da aurora da minha vida, da minha infância querida que os tempos não trazem mais...

Mas justificar o fraco crescimento brasileiro porque o mundo está desacelerando vale?

Onde isto está escrito no artigo?

"O careca tem razão

O BC tinha que ter subido os juros para 12,25%.. Assim a inflação convergiria para o Santo Graal do centro da meta... nem que para isso tivéssemos que jogar o Brasil na recessão...."

Errou e quer errar mais uma. Tem um encontro marcado para admitir o erro em janeiro de 2014. Se não aparecer vou ser obrigado a te chamar na chincha de novo...

Alex,

vc ta confundindo os anonimos. O da aposta fui eu, nao esse que falou de Santo Graal etc...

att,

PS: algum comentario sobre o artigo do Luis Fernando de Paula?

tudo errado o IPCA foi de 6,44%

Saschida do IPEA:

Verdadeiro IPCA de 2012 ficou ao redor de 6,44%
De acordo com o IBGE a inflação medida pelo IPCA fechou 2012 em 5,84%. O governo esta comparando este número com a inflação de 2011 (que ficou em 6,5%) para afirmar que a inflação desacelerou. Contudo, o IPCA de 2012 NÃO É DIRETAMENTE COMPARÁVEL ao de 2011. Isso ocorre pois o IBGE mudou a metodologia de cálculo do IPCA. Estimativas preliminares indicam que, com base na metodologia antiga, o IPCA de 2012 ficaria em torno de 0,3% mais alto.

Também deve-se lembrar que o governo usou e abusou de desonerações tributárias com o CLARO OBJETIVO de reduzir a inflação. Sem tais desonerações a inflação medida pelo IPCA teria ficado algo em torno de 0,3% mais alta. Isto é, a verdadeira inflação medida pelo IPCA ficou ao redor de 6,44% em 2012. Valor muito próximo ao de 2011, e que comprova uma vez mais o pouco interesse que o Banco Central tem demonstrado em combater a inflação.

Algum de vocês se deu o trabalho de calcular em quanto ficaria o IPCA se fosse adotada a metodologia anterior?

hahaha lamentável esse comentário de 18:02 de um blog aí

Vanmos comparar a inflação desse ano com a cesta de consumo de 1920. 30, 40, 50, 60, 70, 80, 90 e ver no que dá? assim vamos falar mais mal ainda do governo!

A inflação está medidnod a cesta atual...não a da era do descobrimento, da independencia, da ditadura, do fhc....

Agora tambem nao pode desonerar haha as contas publicas tiveram algum problema com isso? estamos em deficit? a divida publica em relação ao pib esta explosiva? ah ta

É inflação de custos,depois ela baixa.

"Algum de vocês se deu o trabalho de calcular em quanto ficaria o IPCA se fosse adotada a metodologia anterior?"

Em torno de 6,5% (há imperfeições na conta, porque a cesta não é 100% igual)

"A inflação está medidnod a cesta atual..."

OK. Então faz a conta de frente para trás (use os pesos de 2012 com os dados de 2011) e vai descobrir que a inflação medida deste jeito não caiu também...

Ou seja, a "queda" da inflação, comemorada pelo BC, é um artefato estatístico.

"estamos em deficit? "

Sim, ou você não sabe ler?

"a divida publica em relação ao pib esta explosiva? "

Não diria explosiva, mas crescente com certeza(era 54,5% do PIB em dez-11 e atingiu 59,7% do PIB em nov-12). Na verdade, desde dez-10 a dívida-PIB só cresce (e isto pelo conceito novo: na metodologia original está em 66% do PIB contra um mínimo de 52% em 2008).

Sabe, olhar os dados antes de fazer papel de imbecil iria te poupar de um bocado de risadas...

O ideário destas pessoas é bem conhecida. Soluções antigas (algumas sem perigo de darem certo) para problemas que mudaram ou já não existem mais.
"Deveremos estimular o investimento de capital estrangeiro se dermos a este mesmo capital uma compensação justa. Quando eu falo justa, é exatamente para expressar o pensamento do país de justiça. Ela não pode ser também, não pode obter também lucros excessivos, lucros que a enriqueçam muito depressa em detrimento do interesse nacional ou a custa do empobrecimento do país. Por isto desejamos encontrar um termo justo, em que elas tenham uma remuneração justa, razoável, pelo seu capital, que possam obter lucros, mas que, se dedicando a atividade de interesse nacional, esses lucros possam também trazer benefícios ao país." Jango Goulart em reunião na ONU em abril de 1962.

O anônimo que apostou com o Alex levou um merecido "cascudo" porque deveria ter reconhecido que tinha perdido antes da publicação do post. Em tempos de mediocridade e de tanta gente mal caráter no poder, é bom comentar sobre o que é certo.

Uma vez (fim do ano passado) eu sentei numa mesa (de bar) repleta de pessoas que estavam se formando em economia na UFRJ.

Desde esse dia não me recuperei para voltar a ter disposição para participar de um discussão acadêmica de nivel razoável. Agora só acompanho quieto.

Invejo o Alex quando tem paciência de se manifestar sobre certas afirmações.

Esse Luiz Fernando de Paula e' um fanfarao. O PT esta ha 10 anos no governo e ele quer argumentar que so' agora estamos pagando a conta de anos de pol economica ortodoxa?
O texto e' pobre na logica, na teoria e nas evidencias empiricas. Suspeito que ele nao entendeu as proprias referencias. Mas como sou um economista ortodoxo-liberal preguiçoso nao vou perder tempo rebatendo.

me deparei com esse blog hoje.. por que tanta insegurança e ataques a heterodoxia?

eu sei que tu é irrelevante, mas acho que a falta de debates na economia é a mais latente em todas as ciencias.

denovo, tu é um ze merda qualquer sem relevancia alguma, mas se os debates começarem pelo mais merdão zé ruela (ou seja voce) maior a chance de ocorrerem debates com pessoas influentes

"me deparei com esse blog hoje.. por que tanta insegurança e ataques a heterodoxia? "

Para atrair uns bostinhas que nem você, ué?

"Para atrair uns bostinhas que nem você, ué?"

kkkkkkkkkk

Poesia da heterodoxia

minha terra tem palmeiras
onde canta o sabiá

no campus da praia vermelha
tem argentino pra daná

o ministro de la mandou
ler kalecki e franklin serrano
"Além de Karl Marx, de Keynes e de Prebisch, o ministro apoia a maior presença de textos do professor (brasileiro) Franklin Serrano e do (polaco Michal) Kalecki", disse."

inflação é meu piru
mas cresceu 7% ao ano

unicamp só faz imbecilidade
cambio : cadê as elasticidades?

ufrj nessa porra
deixa o cambio valorizar

politica fiscal expansionista
aí as elasticidades vão demonstrar

cambio causa inflação
e salario vai baixar

serrano pra ministro
unicamp pode vazá


O problema do artigo do De Paula no Valor é que ele foi abertamente cretino, nem se preocupou em disfarçar através das teorias pós-bizarras que tanto defende. Mas de certa forma, pela gritaria de outros inflacionistas ( ex. Bresser), algo não cheira bem para o Guido. Vamos torcer para que estes ignorantes saiam de lá.

Alex,
Você conhece esse livro de macroeconomia?

http://www.degregorio.cl/

A inflacao de 2012, segundo os pesos do IPCA de 2011, estaria ao redor de 6,5%. Numero elevado, nao? Sim, muito elevado.

Este numero elevado, no entanto, superestima a inflacao de 2012, pois nao reflete a cesta de consumo de 1 a 40 salarios minimos em 2012. Esta forma de mensurar a inflacao em 2012 e' incompativel com a definicao do IPCA.

O compromisso do BCB e' com o IPCA. Em 2012, ele desacelerou. Pronto, simples assim.

Se quiser, pode continuar falando "se fossem mantidos pesos antigos", "se nao tivesse ocorrido politica fiscal de desoneracao" "se nao tivesse ocorrido a contencao de precos da Petrobras". Eu, todavia, nao te recomendo fazer esse papel de palhaco. Soa meio chororo...

Este comentário foi removido pelo autor.

""Este numero elevado, no entanto, superestima a inflacao de 2012, pois nao reflete a cesta de consumo de 1 a 40 salarios minimos em 2012. "

Eu fiquei com uma dúvida: você é burro mesmo, ou está só fingindo?

A questão nunca foi se a número de 2012 superestima ou subestima a inflação de 2012, mas sim se houve queda da inflação entre 2011 e 2012. Como mostrei, a queda da inflação de um ano para outro é um artefato estatístico: medida sob os mesmos critérios a inflação de 2012 ficou igual à de 2011.

A versão para colorir será publicada na revista Recreio; reserve já seu exemplar...

Discutir com jumento enche o saco...

ai alexandre vou mandar tua foto pro DOPS flw abs

Cara na boa só sou um observador do blog, mas não entendo por que o dono do blog e "o" anonimo abaixam tanto o nivel das discussões. Quando ha um debate num tom de respeito é muito agradavel ler o blog, mas cada "jumento" "jegue heterodoxo" etc, da uma dorzinha no pancreas e da vontade de parar de ler.
Eu sei que tu vais responder com algum sarcasmo ou vai me ironizar, mas de boa, é dificil achar um blog com tanto debate, e sinceramente, na maioria das vezes são xingamentos gratuítos que partem de voces.. Mas enfim, me queimem vivo agora

"Mas enfim, me queimem vivo agora"

Eu, hein?

Mais um pouco vai pedir para jogar na parede e chamar de lagartixa..

"Cara na boa só sou um observador do blog"

Mais uma chiliquenta pintando por aqui!

Vulgo ...

Veja o lado bom,segundo o focus a tendencia de crescimento do pib esta em queda,isso abre espaco para um IPCA menor.

Foda-se o "medido pelos mesmos critérios". Não interessa o medido pelos mesmos critérios!

O IPCA desacelerou de 2011 para 2012! O compromisso do BCB é com o IPCA!!!

Pegue a versão para colorir e busque nela mais argumentos para vc criticar o BCB. Do jeito que tá, tá difícil...

Galera,

na boa, deixem o Krk se divertir com esses otários.

O que esta turma heterodoxa finge não entender (foge de explicações racionais) é que conseguiram fazer inflação (e crescer o PIB em 1%) com uma conjuntura favorável ao controle dos preços. Atingir a meta nunca foi tão fácil, tanto que o presidente do BC sempre comprometeu-se e prometeu repetidamente os 4,5% em 2012. Fizeram tanta bobagem que conseguiram que não conseguiram cumprir a MISSÃO DO BC: assegurar o poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente (vide as quebras de bancos e a CEF doando bilhões para a turma do PanAmericano.).

eu postei o blog do Sachida, economista do governo, do IPEA, mostrando que o IPCA de 2012 foi maquiado e recebi uma salva de criticas, desde chororo até dizer que estou vivendo do passado.

poisbem vamos aos fatos, o que mudou de 2011 para 2012 que justificasse a alteração de pesos???

se formos ver item por item, diminuiram os pesos do que mais subiu e mantiveram o peso do que mais caiu, simples assim.

Ou algum imbecil seria capaz de acreditar que o brasileiro passou a tomar menos cerveja em 2012, do que em 2011.

Eu gosto dos insultos.

abs
Xian

" Não interessa o medido pelos mesmos critérios!

O IPCA desacelerou de 2011 para 2012! O compromisso do BCB é com o IPCA!!!"

Carma, santa, não precisa dar chilique. Já sanou minha dúvida: é burrice mesmo...

Alex,

Isso aí e a versão infatilóide de O Principe: os fins justificam os meios.

Foda-se como fizemos, o importante é que fizemos.

(esquerdopatia = esquizofrenia+comunismo+psicose)

Seguindo esta toada, qdo estourará a bolha imobiliária?

André

Sobre a polêmica afirmação do "O":

"Se o teste de raiz unitária diz que a taxa real de juros é I(1), isso significa apenas que o teste deve ser ignorado."

o Carlos Cinelli fez uma postagem comentando sobre testes e a rejeição de hipóteses no blog dele e que vale a pena acompanhar.


Livros de estatística pesam 0Kg.

No meu ipca o aluguel tem peso de 30%. ..moro no Rio de Janeiro, então já viu quanto subiu rs

Em nenhum momento li algo no blog sobre a inflação de 2012 superar a de 2011, ao contrário sempre foi dito que a inflação seria menor.

A questão é que o BC não objetiva trazer a inflação à meta e com isso não consegue ancorar as expectativas de curto, nem de médio e já pode estar perdendo a de longo prazo. Com isso o regime de meta para a inflação fica comprometido e o BC cria espaço para as arbitragens no mercado financeiro, traz incertezas aos investidores, ofusca a capacidade de planejamento dos empresários e compromete alguns elementos de longo prazo para o crescimento sustentável.

meu deuuuus ainda tenho que ler esse papo de taxa real de juros negativa
pqpqpqpqpq

pior é ter que ler o krugman errar coisas basicas como confundir "armadilha da liquidez" que é uma LM horizontal com "pessimismo de elasticidade" que é a IS vertical

Alex,

Poderia mostrar por que as expectativas de inflacao constituem o cerne do Regime de Metas?

Se nao tiver tempo, tem referencias?

Grato,

Marcos Jr

Marcos: o abaixo é do Banco Central (do Meirelles ou de antes).

REGIME DE METAS DE INFLAÇÃO:

a) A eficácia da política monetária depende em grande medida da sua CREDIBILIDADE;

b) Uma COMUNICAÇÃO eficaz e o compromisso com a TRANSPARÊNCIA são fundamentais;


c) A coordenação das EXPECTATIVAS exige explicações racionais e consistentes por parte do BC;

d) O BC determina a taxa de juros de curtíssimo prazo (TAXA SELIC), mas a transmissão da política monetária se dá por meio das taxas de mercado em diferentes horizontes, que não são controladas pela autoridade monetária;

e) é possível ocorrer um descasamento entre a taxa selic e as taxas de mercado, se os agentes antecipam mudanças da política monetária, ou em períodos de incerteza ou ainda em períodos em que a política monetária perde CREDIBILIDADE.

Acho maneiríssima a corrente teórica que está se desenvolvendo nos comentários desse blog, em torno da raiz unitária da taxa de juros.

Vou tentar ajudar com o pouco conhecimento que tenho:
O "O" levantou uma questão teórica: não faz sentido uma série de juros ter raiz unitária. O que ele quis dizer é que não há modelos vindos da teoria macro em que apareça uma raiz unitária nos juros. Para entender esta afirmação, basta entender o que é um processo com raiz unitária.

Qualquer teste econométrico depende da correta especificação do modelo usado (i.e. o teste pressupõe hipóteses sobre formatos funcionais). Caso a especificação não seja correta, o parâmetro estatístico que o teste identifica não passa disto - uma conta estatística, mas sem relação com economia. Este discernimento é o que separa a econometria de outros tipos de análise estatística.

Concluindo: um teste de raiz unitária pressupõe um modelo para o processo estocástico (ainda que de forma reduzida) que pode não ser adequado à situação específica do Brasil. Se o teste diz que há uma raiz unitária nos juros quando a teoria sugere que esta raiz não existe, é bem razoável supor que o teste é quem está mal especificado.

Um exemplo de diferença entre estatística e teoria que poderia explicar o erro do teste já foi citado pelo "O": a existência de quebras estruturais na economia brasileira, ou outras mudanças de regime, durante o período analisado. Se modelo do teste estatístico não leva em conta essas coisas e elas existiram, não há porque confiar no teste.

"Concluindo: um teste de raiz unitária pressupõe um modelo para o processo estocástico (ainda que de forma reduzida) que pode não ser adequado à situação específica do Brasil. "

Esses discursinhos a la Unicamp, de que o Brasil tem um ciência econômica distinta do resto do mundo, me enojam!

Colega anônimo de 00:38.

Para facilitar sua compreensão, pense num modelo macroeconômico básico de 3 equações.

As três equações são dadas pela curva IS, pela regra de política monetária (regra de Taylo, por exemplo) e pela curva de Philips.

Neste modelo, o produto efetivo tende a se ajustar ao potencial pela ação da autoridade monetária.

Quando o produto se iguala ao potencial, a inflação se iguala as expectativas de inflação.

Logo, condução da política monetária faz com que a taxa de inflação seja igual as expectativas de inflação. Isto voce consegue enxergar por uma Curva de Philips simplificada do tipo:

pi = pie + dy + e

Se y=0 e inexistem choques de oferta, entao pi = pie.

Portanto, manter as expectativas bem coordenadas é o cerne do regime de metas, basicamente porque da capacidade de o BC manter as expectativas na meta (credibilidade) é que resulta o cumprimento da meta de inflação. Por isso, como bem notou o MEGAECONOMIA:

"A eficácia da política monetária depende em grande medida da sua CREDIBILIDADE"

Leia-se, a capacidade da inflação ficar na meta depende da boa ancoragem das expectativas de inflação.

Em economias abertas dá para chegar ao mesmo resultado, mas é um pouco mais complexo. Para uma análise mais aprofundada do assunto, recomendo Svensson (1996).

Economista X




Um outro jeito de se pensar no problema requer apenas bom senso.

Quando uma série é I(1), a variância condicional de sua previsão em t+h cresce indefinidamente com h:

Var(Y(t+h)|t) -> infinito quando h-> infinito.

Se você acredita que a variância de sua previsão sobre a taxa de juros real em 2050 é maior do que a variância de sua previsão em 2040 e menor do que em 2060, boa sorte, você pode continuar acreditando que a taxa real de juros é I(1).

"Se nao tiver tempo, tem referencias?"

Marcos Jr,

Working Paper # 1 do BC é um bom lugar pra começar... Um dos autores é o Tombini


Oh, wait...

http://www.bcb.gov.br/pec/wps/ingl/wps01.pdf

Att,

João Bosco

"Para uma análise mais aprofundada do assunto, recomendo Svensson (1996)."

Subscrevo.

O BC (se procurar bem) tem muita literatura de boa qualidade.
Todo modelo matemático tem que ser baseado em teoria de boa qualidade (bom senso, pensamento racional). Os modelos por mais bem feitos que sejam serão sempre uma simplificação (um reducionismo) e devem ser entendido assim. Isto não retira nem um pouco a validade deles (o BC utiliza bons modelos).
Uma regra geral: se não conseguir utilizar o vernáculo e redigir com clareza (um modelo ou pensamento), significa que ainda não dominou o assunto.
PENSAMENTO CLARO = REDAÇÃO CLARA..

Alex

se a gente somar a maquiagem da inflação, com a do desemprego (gostaria de ter tempo pra desenvolver) a do Pib, a das contas do governo, ..., vamos perceber que todo o conjunto forma um grande palhaço.

Não é a toa que a participação do BR nos fundos estrangeiros vem despencando desde o ano passado.

Se eles estão indo embora, quem vai financiar a farra ???

Obrigado, Economista X. Muito clara a explicação.

Obrigado também pela referência.

Marcos Jr.

achei mt boa a explicação do B10 tb.

abçs
Daniel