teste

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Jornal das 10

Pequena participação, mas prestem atenção ao Sérgio Vale: na mosca.

Reações:

12 comentários:

Realmente o Sergio Vale foi direto no ponto!

Que pena que isso não chega ao Planalto!

Duas opiniões racionais.
Mas em ano de eleições o que impera é a demagogia.
Taxa básica inadequadamente baixa, com autoridades econômicas que não passam segurança (a credibilidade é pequena)não faz crescimento sustentado (faz bolhas nos preços dos ativos).
ESSA TURMA CONSEGUE FAZER INFLAÇÃO ATÉ COM QUEDA DAS ATIVIDADES.
Estão querendo fazer a taxa básica baixa esconder a queda do crescimento e o retorno da infação.

"desde 2004 não temos reformas", "estamos colhendo o que plantamos".
Essa fatura não pode ser espetada no BC, nesses 12 meses evitamos um hard-landing, uma crise de crédito e mais bancos indo pro vinagre, graças ao BC.
Em 2013 a coisa poderá ser diferente e a redução da inflação poderá voltar ao radar.
O Brasil cresce pouco por motivos claros, mas a culpa é nossa, naõ deles! Qualquer crise econômica, fuga de capitais, seca no Nordeste, enchente no Sul etc não tem no BC um aliado.
Maradona

Frase lida agora: "País sofre concorrência das exportações". com esse ministro, com essa cabeça, o Tombini é o ponto fora da curva.
Maradona

Maradona

Em nenhum momento o Sérgio joga a culpa da falta de reformas no Bacen!

Abs

Mas a política econômica não pode vir do BC. Talvez as coisas não seja assim, tão rígidas e existam certas intervenções no rumo do ciclo.
Mas o BC é o guardião da moeda. Se tivermos Presidência da República, Fazenda e BC na mesma toada, quem é que vai resolver os problemas?
Isso está ficando claro cada vez mais: a crise de 2007/2008, não fora debelada como vendido pelo governo. Na realidade, os gastos já estariam subindo. Com crise, foi dito que seriam medidas anti-cíclicas.
Mas, o quanto isso foi mais pró-cíclico do que anti-cíclico?
Com a piora do cenário externo, Euro Zona, China, EUA, ficou claro que a capacidade de ir contra o ciclo não fora assim tão eficaz.
Crescimento baixo e inflação em alta. Esse é o tom da economia desde 2009, passando por 2010 e 2011. 2012 já está estabelecido. 2013, ano eleitoral. Dai para frente, ainda é incógnita.

"Em nenhum momento o Sérgio joga a culpa da falta de reformas no Bacen!"
Devo ter me comunicado mal, nem ele nem o Alex falaram isso.
Só que a escolha do BC não era ter ou não reforma, o BC não escolhe se vamos crescer 2, 3 ou 4, se o fiscal vai ser vituoso ou não, se o salário mínimo vai ter elevação real pro resto da vida ou não etc. Ele escolheu tentar as macroprudenciais e menos juros, e mesmo com a inflação rasgando ele viu o tombo chegando, o crédito indo pro vinagre e meteu a faca na Selic. Se ele não cortasse os juros no 2° sem de 2011 ou tivesse subido mais forte no início do ano estaríamos melhor? Inflação estaria rodando pelos 4,5% e crescendo mais essa que a maravilha de 0,4% no 2° tri?
Maradona

Concordo Maradona!

Alex da pra clarear mais o debate?

"For this government inflation is not an issue"

Alex, frase pouco criativa, porém boa para seus relatórios.

Abraços

Estagnação do pib + inflação acima da meta = estagflação. A inflação só não está mais alta porque diversos preços administrados estão sendo controlados politicamente pelo governo federal. Esta história nós conhecemos...

Maradona:

Se o problema do baixo crescimento for o comportamento da oferta a redução da Selic não ajudou em muito.

Abs

Pô Alex, que desânimo é esse!? A queda dos juros, no caso brasileiro, é um fim em si mesmo, quase como a liberdade de expressão, democracia...
Abs
Maradona