teste

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Vantagem comparativa e absoluta

Ia escrever sobre a brincadeira fiscal de ontem, mas:

1) Não tenho tempo; e

2) Muito mais importante, nada que sou capaz de escrever alcançaria a profundidade e a contundência deste post do Mansueto.

Dado o caso clássico de vantagem absoluta (e também comparativa), fica minha sugestão para quem estiver interessado no assunto.

Reações:

3 comentários:

Meu entendimento do que aconteceu ontem foi que o pronunciamento do ministro chegou ate a ser ofensivo. Dizer que vai cortar 50 bilhões de custeio e nao explicitar de que rubricas e' equivalente a botar o dedo na cara de outrem e dizer: "ei, eu acho que voce e' um imbecil".

Agora eu ainda fico bem surpreendido que o ministro depois de tantos anos em Brasília nao tenha entendido ainda que "talk is cheap" e nao funciona.

"O"

Falando de "coisa" mais séria:

http://riskreport.weforum.org/

Brados
Martins

Mas o Mantega, assim como todos os membros do governo Lula só jogaram palavras ao vento. O país planou como uma aeronave que está sem combustível, mas está em altura de cruzeiro e foi planando, uma hora começaria a cair, essa é a hora. Outra coisa o orçamento é peça de ficção, o corte idem.