teste

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A solidariedade das bestas-fera

O maior ditador da América Latina, Fidel Castro, a.k.a. a puta velha torturadora e assassina de Havana, escreve em defesa de Gaddafi, a puta velha torturadora e assassina de Tripoli:

Poderá estar-se ou não de acordo com Kadafi. O mundo foi tomado por todo tipo de notícias, empregando especialmente os meios de informação de massas. É preciso esperar o tempo necessário para conhecer com rigor o quanto há de verdade ou mentira, ou uma mescla de fatos de todo tipo que, em meio ao caos, ocorreram na Líbia. O que para mim é absolutamente evidente é que ao governo dos Estados Unidos não preocupa em absoluto a paz na Líbia, e não vacilará en dar à Otan a ordem de invadir esse rico país, talvez em questão de horas ou muito breves dias.

Fidel: Tua hora está chegando, assassino filho-da-puta, degenerado, psicopata. Que você viva para ver seu legado na lata de lixo da história. Que você viva para ver seus descendentes renegando o seu nome.

A monarquia [*] caiu no Egito, deve cair na Líbia, e vai cair em Cuba, na Coréia do Norte em breve também. Viva Fukuyama!


[*] Segundo o Wikipedia, monarquia é um tipo de regime político que reconhece um monarca (rei de forma hereditária ou abdicada) como chefe do Estado. Castro, Assad, Gadafi só não são monarcas no nome.

Reações:

21 comentários:

Caro Alexandre,

Torço pelo fim das ditaduras no Oriente Médio e pela libertação de cubanos de um regime assassino que dura há décadas....mas não posso parabenizar a linguagem aqui utilizada.

A oposição ao mal, tem que utilizar a linguagem do Bem.

Eduardo
Santo André-SP

Tá... implico com o anonimato o "O", discodo dele no debate com o Adolfo, mas esse post foi perfeito!

abs

José Carneiro

Direcionei minha crítica ao Alexandre, mas retifico..é para o Anônimo...mantenho a crítica.

Eduardo
Santo André-sP

Um post estratégico para alinhar os esforços. Era mesmo necessário o freio de arrumação aqui nessa porr@ kralh$.

O tratamento respeitoso não é obrigação que um indivíduo tem para com todos os outros membros de uma sociedade. Sempre devemos iniciar contatos com desconhecidos de forma educada, porém, a mediada que obtemos mais informações sobre o outro, a forma de tratamento passa ser endógena.
Respeito se mercê ou não! Creio que por vezes o “O”, assim como eu, é pouco educado com pessoas que merecem um tratamento digno e educado, o que faz com que nós muitas vezes deixemos de merecê-lo. Porém, esse não é o caso do Fidel e desses ditadores.
Esses animais não merecem tratamento civilizado, pois atacam todas as bases fundamentais da civilização. São porcos, são assassinos, são genocidas e é assim que devem ser tratados! Assim devem ser chamados, pelos nomes aos quais seus ATOS fazem jus!
Nesse post, eu apoio totalmente o “O” Anônimo. Creio, inclusive, que faltam ofensas disponíveis em nossa língua para o tratamento apropriado a essas personalidades desprezíveis.
Abs
José Carneiro

Por que nao "viva Fukuyama!"?

E' possivel imaginar uma confirmação mais forte das teses de Fukuyama do que a chegada da democracia liberal ao Oriente Médio? Esta' acontecendo agora. Assim como o comunismo foi para a lata de lixo da história, Gaddafi e outros tiranos vao fazer companhia a Che, Stalin e outros demônios no inferno.

"Direcionei minha crítica ao Alexandre, mas retifico..é para o Anônimo...mantenho a crítica."

Caro Eduardo,

Estou feliz que voce tambem gostaria de ver o fim das ditaduras em Cuba e no Oriente Medio.

Abs,

"O"

"A oposição ao mal, tem que utilizar a linguagem do Bem."

A boa redação não permite a separação de sujeito de verbo por vírgula, caro Eduardo.

A bárbarie parece imperar entre os de bom coração...

“Esses animais não merecem tratamento civilizado, pois atacam todas as bases fundamentais da civilização. São porcos, são assassinos, são genocidas e é assim que devem ser tratados!”

Menos, menos... Fidel não é um genocida. As palavras têm significado e não devemos subverter seu significado.

Discordo “O” (para não perder o hábito). A palavra está muito bem aplicada.

Genocida pode ser, segundo o Houaiss, :” quem perpetra ou ordena um genocídio”, sendo que genocídio poder definido como: “extermínio deliberado, parcial ou total, de uma comunidade, grupo étnico, racial ou religioso” ou “aniquilamento de grupos humanos, o qual, sem chegar ao assassínio em massa, inclui outras formas de extermínio, como a prevenção de nascimentos, o sequestro sistemático de crianças dentro de um determinado grupo étnico, a submissão a condições insuportáveis de vida etc.”

A taxa de aborto em Cuba está na casa dos 60%, você acredita que boa parte dessa mulheres escolhe livremente seguir ou não com a gravidez?

Adicionalmente, em 1960, com auxílio de Régis Debray, ele instalou o primeiro campo de trabalho forçado na ilha, conhecidos como Campos de Trabalho Corretivo.

Posteriormente, o centro G -2 de Santiago de Cuba foi especialmente preparada para submeter seus detentos, em regra presos políticos, a temperaturas extremas, que oscilavam de muitos baixas para muito altas. Aos detentos não eram permitidos mais de 30 minutos de sono. Um prisioneiro do G-2 poderia ser submetido a esse tratamento por meses e em muitos casos os danos psicológicos eram irreversíveis.
Apenas em El Manbu (1980), mais de 3.000 pessoas eram mantidas e sistematicamente agredidas ou mortas. Em 1986, 3.000 mulheres estavam detidas em Potosi, acusadas desde prostituição a crimes políticos. Em Aro Iris eram 1.500 adolescentes. Em todos esses campos as condições de vida eram insuportáveis.
Fontaine (junto com Courtois, Werth et al) estimam as execuções diretas do regime de Castro em 30.000 mortos e outros 70.000 que morreram tentando fugir do regime. Só em 1994, foram 7.000 mortos na tentativa de fuga.
Fidel Castro é sim um genocida! Esse é um título conquistado por ele com todos os méritos possíveis.
Abs
José Carneiro

"O"

Eu fico com o Houaiss, que adotou as variantes "linguagem formal", "linguagem informal" e "tabuísmo" ["palavra, locução ou acepção tabus"].

Perguntando ao Gugo a respeito de "filho da puta" na língua portuguesa, ele me enviou um link. No entanto, sabendo que o Gugo responde o quer e do jeito que mais lhe convém, há que se desconfiar [paronomásia não tem nada a ver, no caso]. Mas a análise é interessante.

QUINTA-FEIRA, 9 DE SETEMBRO DE 2010

Aula de Língua Portuguesa

Filho da puta é:

Adjunto adnominal (ou paronomástico), se for "Conheci um juiz filho da puta".
Se for "O juiz é um filho da puta", daí é predicativo.

Agora, se for "Esse filho da puta é um juiz", daí é sujeito.

Porém, se o cara aponta uma arma para a testa do juiz e diz:
"Agora nega a liminar, filho da puta!" - daí é vocativo.

Finalmente, se for:
"O ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, aquele filho da puta, desviou o dinheiro da obra pública tal"
- daí é aposto.

Que língua a nossa, não?

Filho da puta pode ser tanta coisa!!!

Pode ser até Presidente da República

[Pena que a caixa de comentário não aceite a cópia da imagem que ilustra o post...]

http://salinopolitano.blogspot.com/2010/09/aula-de-lingua-portuguesa.html

Quanto ao Kadafi ser uma puta velha, acho que não.

Ruy Goiaba escreveu certa vez que “todos os acontecimentos da vida cultural, política, desportiva etc. do Bananão existem para ser comentados com algum dos bordões do Paulo Silvino. Melhor ainda, são definidos à perfeição por eles”.

http://puragoiaba.apostos.com/2007/08/20/paulo-silvino-comenta/

Vendo as fotos recentes do Kadafi e pegando essa carona com o Ruy: “Mas, doutor, isso não é o ditador da Líbia. Isso aí é uma bichona!”

E tem tambem a corja do PT que se associa ao Fidel e ao louco desvairado no Ira.

(e que ainda faz besteiras como aquele acordo tri-lateral com o Ira e a Turquia)

PIG

Minhas fontes em Brasília afirmam categoricamente que a era de imbecil-power no Itamaraty acabou com a saída do Amorim e entrada do Patriota.

"chegada da democracia liberal no Oriente Médio"
Torço para que você esteja certo e democracias se implantem na região. O que dá para ver é o desejo de mudança , mas para onde vai essa história.

Acredito na força da palavra. O insulto não é mera força de expressão. Sim, devo melhorar a mminha redação. Principalmente quanto ao uso da vírgula.

Eduardo.

"A monarquia [*] caiu no Egito, deve cair na Líbia, e vai cair em Cuba, na Coréia do Norte em breve também. Viva Fukuyama!"

"O", pena que isso no brasil(com b minúsculo mesmo), não serviu para muita coisa, a monarquia já se foi a muito tempo, mas a corte não!

Bush "Son", tbm dizia que quando o primeiro ditador daqueles lados fosse enforcado, mais cedo ou mais tarde outros seriam, tinha razão?

"Bush "Son", tbm dizia que quando o primeiro ditador daqueles lados fosse enforcado, mais cedo ou mais tarde outros seriam, tinha razão?"

Estava certo. Daqui ha 20 anos o Oriente Medio vai ser um lugar 'normal' e com pracas com o nome de George W. Bush na maioria das capitais.

Bush "Son", tbm dizia que quando o primeiro ditador daqueles lados fosse enforcado, mais cedo ou mais tarde outros seriam, tinha razão?

Sim. Nisto e em outras coisas.

Roberto

P.S. Não em tudo, é claro.

Prefiro o neologismo filho-de-uma-mãe-perversa, estatisticamente mais verdadeiro, vide muitas dignissimas senhoras com alianca nos dedos criando dignissimos psicopatazinhos. As sacerdotisas de afrodite, profanas em um contexto patriarcal, muitas vezes atendendo e trazendo algum conforto fisico e espiritual a altos executivos, não raro - em toda sua indignidade - são mais saudáveis e transmitem essa sanidade a sua prole do que as já citadas dignissimas senhoras.