teste

domingo, 9 de maio de 2010

A entrevista ao Blomberg

May 10 (Blomberg) - It is Mother's Day for most people. But for an investigative reporter like me, that is the day to go undercover, travel to faraway lands and, who knows, do the footwork that will earn me a Pulitzer. For this is the day when cognoscenti as well as commoners return to their ancestral grounds to pay homage to their mothers, and as Professore Aprile Uno wrote in the classic “The Idiot’s Guide to Stalking”: 'it is stake out time!'

So off I went to a small town in an old coffee producing area of South America, hopeful to find the story of my lifetime: the hunting of Mr. “O”.

Yesterday I may or may not have accomplished it, but for the sake of my own physical well-being, I publish the transcript of my interview with the man I believe to be a famous éminence grise of global finance.

[Saturday night, in the Bar do Rubião, a non-descript bar with red lamps in the façade]

Q: Senhor! I have been dreaming about this interview for so many years! I have so many questions to ask...

A: [with a dismissive movement of his right hand] Un minuto! [After 5 minutes...] What do you want?


Q: An interview, Senhor O! I have so many questions, my research indicates that you are one of the...

A: [interrupting briskly] Do not say that word. Do not write that name. Get it? Now, you are in great luck, because I will grant you three questions, so think thoroughly before asking. There are enormous tectonic shifts happening in the world, much more important than the secret identity of who-the-[expletive]-you-think-I-am. Now make sure you record each word and publish the transcript accurately, or else.

Q: [I pause, I cannot think about how to start, concerned with the consequences...] Senhor, all my readers would like...

A: [interrupting briskly] ... like to know about Europe? So that is what I will talk about. Nowadays I would not waste my time with anything else. Our friends in Europe put themselves in a corner. See, there is an immediate problem, the financing needs in Greece. But that is only the surface. Even if we could make Greece’s debt disappear, there is an underlying problem: the differences in saving patterns between Southern Europeans in one side, and Northern Europeans in the other. When the likes of Greece and Germany joined together under the same monetary policy, interest rates were too high for Germany, too low for Greece. As a result both Mr. Kanopaybackis and his government went into a splurge and ended up with more debt than they are willing to handle. [Sips on his drink, perhaps a martini] As you can see, the fundamental problem is that Germany and Greece should not have the same currency.

Q: So you think that Greece should quit the euro?

A: That was your second question. And the answer is no. If Greece abandons the euro, there would be terrible balance sheet effects as their government would earn revenues in drachmas and still owe in euros. If they convert their debt into drachmas, this would raise all sorts of legal problems besides the hole it would make in the balance sheet of investors in Greek bonds. There is no exit for this corner with Greece abandoning the euro. But a different solution is possible. If the likes of Germany and the Netherlands issue their own currency, the Buba, we could reach a win-win solution. Germans would be able to keep pursuing their goal of low inflation. Greeks and Italians would be able to control their own monetary policy and maybe live with higher inflation if that is what they want. Investors in euro denominated Italian or Greek bonds would have their balance sheet protected. Finally, without German membership, the euro would devalue sharply and Southern Europe would be able to recover its competitiveness and adjust their fiscal position without going through unnecessarily painful deflationary processes and high unemployment.

Q: But is that going to happen?

A: You just got to your final question. I have no idea. Who do you think I am, after all? Now I have to do what I came here for. [He nods to a woman in her twenties] Print this: “I only do it because I love her”. She will know it. Not the girl here, she is only my co-author, a graduate student. Now I have to go upstairs work on my next AER.

Reações:

59 comentários:

Professore Aprile Uno é primo do Guido?

One day when the stars align who knows, uh?

Alex, o que eu mais gosto em seu blog eh a perspicacia dos leitores...

"O"

O que eu mais aprecio aqui é a modéstia dos editores.

Non descript bar?? With red lamps in the facade?? Wasn't it non-descript??

Este comentário foi removido pelo autor.

Non descript among the other bars with red lamps in the facade, I guess...

Olá:

Parece que vs. se divertem muito entre vs. mesmos. Pai e filho e filho consigo mesmo. Seria falta de leitores? Eu sempre leio o Sr. Alexandre na Folha. Mas o pessoal é meio lerdo para escrever, vero? Eu sei porque tenho um blog e escrevo para outro.

Bem, mais do que a situação da Grécia, eu gostaria de conversar sobre a situação econômica do Brasil.

Antes porém, quero me apresentar. Sou designer industrial (www.sacchidesigners.com.br) e como tal, tenho que me interessar pela economia.

Minha pergunta é: o que anda acontecendo com as indústrias nacionais (tipo eletrodomésticos ou moda) que estão 1. comprando peças na China e montando aqui
2. fazendo os produtos na China e trazendo pronto para vender aqui.

Como ex. posso citar uma torradeira Arno que comprei e quebrou antes de completar um ano de garantia. Ao invés de consertarem, trocaram por uma nova e levaram para reciclagem(?).
Entretanto se tivesse quebrado depois de um ano. Eu teria perdido 120,00 reais que paguei e estaria ver navios.
Sei que existe toda uma política de impostos mas não sei muito bem como ela é.
Sei também que todos os produtos que vem da China, são super baratos, quase sempre feitios com mão de obra escrava, não possuem design; e portanto não têm valor agregado e estão por aí nos nossos supermercados ganhando cada vez mais espaço. É uma concorrência férrea e desleal que é difícil de combater.

Vocês poderiam explicar melhor este mecanismo?

Agradeço uma resposta.

Suzana

O mecanismo é que como o Brasil hoje é mais rico, então é caro demais para consertar a torradeira. Fossemos hoje tão pobres quanto éramos vinte anos atrás, você encontraria algum artesão, provavelmente um pai de família, disposto a receber um salário por hora tão miserável que você poderia contratar por algumas horas e ainda seria mais barato do que comprar uma torradeira nova.

Suzana

Se sua torradeira custou 120 pilas, vc gastou 0,11 por torrada/ano, fora o "custo da mercadoria comida", e demais custos ( pão, margarina, eletricidade, limpeza, etc). Fiz este cálculo supondo uso dela em 75% do ano fazendo 4 torradas/dia.

Supondo que vc gastaria uma base de 1,50 pilas na padoca mais próxima, só com o pão na chapa, sem contar elevador, sapato, tempo e possibilidade de furtos e outros no trajeto, vc não acha que foi muito barato a torradeira?

Isto posto se sua torradeira durasse 1 ano certinho. No seu caso, seu custo foi menor ainda. Vc ganhou uma nova (+ 1 ano), podendo abater no custo o tempo que vc utilizou "digrátis" (a 1ª).

Vc não acha fantástico? Afinal de contas torradeira é arame ligado em rede elétrica. Vc acha que existe capital intensivo (valor agregado)capaz de salvar milhares de empregos nessa carcaça com arames ligados a um fio? Ou vc acha que a torradeira nacional precisa de um plano de proteção contra as importadas?

PAC das torradeiras? BNDES apóia a indústria brasileira de torradeiras!!!! FINAME nelas!!!

Sendo rápido, nós podemos liberar capital (escasso) para fazer outras coisas + importantes. Assim espero!

Vc deveria vender serviço de design. Ele vale mais que manufaturas.

Brados
Martins

"O que eu mais aprecio aqui é a modéstia dos editores."

Ah, mas, sem dúvida, esta é a maior dentre nossas muitas (e enormes) qualidades.

MARTINS:

De fato! É o que nós designers achamos correto e pretendemos¡ Vender serviço. Continuaremos vendendo design tb. mas os fabricantes deverão deixar de conceber-se como vendedores de produtos para serem prestadores de serviços por intermédio de bens altamente duráveis e passíveis de aperfeiçoamento, como por ex. os filtros de água da Brastemp, que eu tenho em casa. Depois de 6 anos ele apresentou defeito e foi trocado por um novo em troca de uma mensalidade.

Martins:

V.tem muito humor! Mas a questão não se resolve somente com números ou estatísticas. V. deve saber que uma indústria de eletrodomésticos não produz somente torradeiras.

Uma Arno da vida faz de tudo...ventiladores, torradeiras, liquidificadores etc. etc., são muitos produtos e muitos empregos.

Porque temos que ter toda esta quinquilharia vinda da China? E com um design medonho? Aliás...design nenhum! E se ainda sabemos que é um design insustentável (que não toca questões dos limites dos recursos naturais, de qualidade, de ética)

Afinal e o fator estético para v. não vale nada? Só vale o fator utilitário? Duvideo dó...

Nós aqui estamos falando de vários pontos. Valores econômicos, sociais, estéticos, culturais.

Um país que não tem design não tem cultura.

Para que eu vou querer ter tanto lixo e ficar jogando fora tantas coisas? DAí vem o discuro do serviço e do design de qualidade.

Suzana, vc é uma representante da dimensão Z no mundo dos designers?

Here is my forth question for you: Are you the second son of Judah, younger brother of Er, who was killed by God Himself, Mr. "O"?

Pequenas consideracoes...

1) Porque vc nao gastou mais e comprou uma torradeira italiana com design sofisticado?
2) Se vc acha que existe uma oportunidade de mercado e know how...porque vc nao fabrica a sua torradeira com design e fica rica...olha que vc nem precisa fabricar no brasil heinnn...contrata um empresa que ela faz la na china pra vc
3) COncorrencia ferrea e desleal? Competicao , pelo menos para mim, quanto mais ferrea melhor! Nao vejo motivo para pagar mais para fabricantes de torradeiras brasileiros ...eu como consumidor fico muito feliz de poder comprar torradeiras chineses, mesmo sem design. Se quisesse comprar uma com design compraria uma chique europeia....que com certeza tem por ai...
4) Aposto que quando a economia era fechada e vc nao tinha opcao de produtos importados vc adoraria ir para Miami fazer compras....e vc nao ligaria de `dar` dinheiro para lojistas e fabricantes estrangeiros...
5) Vc nao era obrigada a comprar a tal torradeira...se vc a comprou e pq para vc ela valia pelo menos os 120 reais que gastou...
6) entendo suas precoupacoes com desemprego e tudo mais.... mas apesar de nao ser o mais baixo do mundo...o desemprego nao parece ser o maior problema brasileiro... eu estaria mais preocupado com a qualidade da educacao dos nossos filhos por exemplo...e acredito que esse problema e bastante nao correlacionado com a competicao no mercado de torradeiras.

Suzana,

Pra muitas pessoas, que não têm muito dinheiro, as quinquilharias da China ajudam muito. Não é que elas não queiram ter uma torradeira de dois andares com design futurista, é que não podem mesmo. Mas não se preocupe, à medida que nossa renda vai crescendo, e mais pessoas se tornam de classe média, elas preferirão a sua torradeira. Mas não se engane! Vais ter que competir com torradeiras de alto valor agregado vindo de outro lugar também...

abraços, Zamba

Prezada Suzana,

Você por algum acaso estaria um pouco perdida?

Eu acredito que esse blog seja um pouco especializado...

ps: Quem decide o design de um produto não é o fabricante? Você já ouviu falar de teoria da escolha sob o âmbito de características?

A.

"Are you the second son of Judah, younger brother of Er, who was killed by God Himself, "

I can take this one. No, he is not Shelah's elder brother.

Pergunta rapida. Quando eh que vcs vao parar de escrever "Bloomberg" errado?

E aí Alex quem é que vai salvar os governos? Jogar mais demanda resolve o problema?

"Quando eh que vcs vao parar de escrever "Bloomberg" errado?"

Tragam rápido a versão para colorir!

"Jogar mais demanda resolve o problema?"

E aí Ivo. Jogar menos demanda resolve o problema?

Tragam rápido mais uma versão para colorir e 200ml de adrenalina. Temos um cerébro morrendo aqui!

"Blomberg" boa piada... Deve ter sido engracado na hora, do tipo "tinha que estar la pra rir".

Vcs estao com muito tempo livre.

"4) Aposto que quando a economia era fechada e vc nao tinha opcao de produtos importados vc adoraria ir para Miami fazer compras....e vc nao ligaria de `dar` dinheiro para lojistas e fabricantes estrangeiros..."

Muito Bom!!!

Suzana,

Vaza daqui com seus Factóides.

Este comentário foi removido pelo autor.

O,

O Serra em entrevista à ML hoje mostrou bem a que vem...

O sucesso do modelo economico de hoje pelo jeito não afastará o próximo presidente de mexer no cambio, sistema de metas..


Doutrinador

"O sucesso do modelo economico de hoje pelo jeito não afastará o próximo presidente de mexer no cambio, sistema de metas.."

Chance de Serra mexer no sistema de metas -> 0.

Chance de Serra mexer na competicao no sistema financeiro para reduzir os spreads -> 1.

Prezado anonimo:

Inicialmente fiz uma pergunta de ordem economica e não acho que estava perdida absolutamente.Nemacho que obtive resposta.

Afinal, este é o modo como vs. respondem aos leitores? Tirando um sarro da cara deles?

Quem decide o design de um produto não é o fabricante.

È o fabricante dentro de toda uma sua estrutura industrial que inclue vários departamentos entre eles o marketing, a engenharia etc. que juntamente com o trabalho do designer irão chegar à forma de um produto.

Estou de saida para uma viagem a trabalho para um cliente nacional.

Na volta tentarei reponder aos seus comentários ironicos.

Calma, galera!
A questão levantada pela Suzana é a típica questão perguntada por qualquer pessoa na rua. Usar de agressividade com ela é absolutamente desnecessário, pois o passo seguinte é ela refazer essa pergunta a um quermesseiro, e ele responder concordando com ela.

Indo ao mérito da questão... a China, hoje, produz torradeiras mais baratas que o Brasil. Ótimo, vamos comprar as torradeiras chinesas e nos especializarmos no que fazemos melhor. Assim, os brasileiros vão receber mais (trabalhando no que sabem fazer bem) e, ao mesmo tempo, poderão comprar as torradeiras a um preço menor. Se proibissem a importação de torradeiras da China, uma empresa brasileira as fabricariam, só que a um preço maior, e menos brasileiros estariam comprando as torradeiras. Um efeito secundário é que a menor importação de torradeiras apreciaria o câmbio (no caso, me refiro a câmbio real), e a compensação seria uma queda na exportação ou aumento de outra importação. Na prática, o Brasil estaria trocando produzir coisas onde, hoje, é competitivo, por coisas onde, hoje, não o é. E obviamente isso é muito ruim. Protecionismo é a típica política Denorex: Parece solução, mas não é. Pelo contrário, não resolve nada e ainda cria outros problemas.

Que competição no sistema financeiro? O Brasil não tem nem meia dúzia de bancos...

É poxa... galera agressiva. Esse troço aqui é mó clube do bolinha. Agora que nós temos a Lu e a Suzu participando do boteco, vcs as espantam...

A explicação do Galego foi boa.

Nós entendemos que você se preocupa com a indústria nacional, Suzana, porque quando os produtos chineses invadem nossas prateleiras, fábricas nacionais se fecham e sai no jornal que muita gente perdeu emprego. Só que existe um movimento subsequente a esse de realocação de capital e trabalho. A grana que a fábrica de torradeiras pegava emprestado no banco para expandir a produção agora vai parar na mão de outra empresa que está apta a competir. Os trabalhadores demitidos vão procurar outros trabalhos. Alguns, antes desempregados, agora encontram emprego na nova fábrica.

Quanto à questão dos valores estéticos, bem... acho que fica por conta de cada um. Eu também acho o Tom Jobim melhor que o Luan Santana, mas duvido que vc ache que o governo deva subsidiar o CD do Tom ou sobretaxar o show do Luan para promover os valores estéticos.

abraços, Zamba

" Minha pergunta é: o que anda acontecendo com as indústrias nacionais (tipo eletrodomésticos ou moda) que estão 1. comprando peças na China e montando aqui
2. fazendo os produtos na China e trazendo pronto para vender aqui."
Achei valioso o questionamento. A minha consideração é simples: porque é mais barato fazer assim. Por que chegamos a essa situação? Fruto de politicas industriais protecionistas que se arrastam há tempo e que só trazem ineficiência econômica, gerando cartórios empresariais. Competição neles!

"Quem decide o design de um produto não é o fabricante.

È o fabricante dentro de toda uma sua estrutura industrial que inclue vários departamentos entre eles o marketing, a engenharia etc. que juntamente com o trabalho do designer irão chegar à forma de um produto."

Cara Suzana,

quem decide o design é o fabricante(a intituição empresa). Independente do departamento responsavel por determinada etapa do processo, é com a empresa que o consumidor se relaciona na hora que toma sua decisão de consumo. Por enquanto não é possivel comprar o design do dep. de criação da Oster, a assistencia tecnica da brastemp e o preço da marca (&¨*&(. Vc compra um produto e com ele todas as decisoes de seus criadores.

Pense bem...
Vc comprou a torradeira pq quis.
Podia ter comprado uma europeia. Podia ter trazido uma do "extrangero". Podia ter procurado (e pagado mais caro) um de alguma marca com padroes sustentaveis de produção.
A decisão foi sua. Exclusivamente sua.
E este é o cerne da questão. Liberdade de escolha. Devemos ter liberdade para escolher qual caracteristicas valorizamos mais no produto.
Se acha que as escolhas estão erradas (e em alguns casos estão)...

vamos investir em educação para termos cidadãos que respeitem as regras, gostem de trabalhar, não queram se aposentar cedo(nem trabalhar em emprego publico sendo sustentado pelos recursos de nossos impostos), consigam interpretar questões lógicas elementares e não façam tanta merda na hora de escolher governantes.

Alguem ai ja mandou alguma carta (email, sinal de fumaça, etc) para seu congressita questionando-o sobre sua opniao/posicionamento em relação a algum ponto da politica economica? Eu mandei. Não obtive resposta. Que bom ne?
A população nao sabe escrever, interpretar o que le então...
nem pensar.

Saber que o caboclo que ta la no cngresso trabalha pre ele e deve prestar contas e fornecer informações com tal... acho dificil.

Cobrar que a contabilidade publica seja feita com honestidade (sem essas artimanhas feitas nos emprestimos do Tesouro ao BNDES para engordar o Superavit Primario...) ...
Impossivel!!!! Só num futuro distante. Acho que antes disso o Eike entrega alguma coisa das promessas q tem feito.
2029, por ai...

HAHAHAHHA.
Mto boa!!


"Little Johnny wanted $100.00 very badly and prayed for weeks, but nothing happened Then he decided to write God a letter requesting the $100.00 When The postal authorities received the letter to: God , USA , they decided to send it to the President. The president was so amused that he instructed his secretary to send the little boy a $5.00 bill. The president thought this would appear to be a lot of money to a little boy. Little Johnny was delighted with the $5.00 bill and sat down to write a thank-you note to God, which read: Dear God: Thank you very much for sending the money. However, I noticed that for some reason you sent it through Washington, DC . . . and those assholes deducted $95.00 in taxes."

Alex e "O",

Conhecem o novo livro do Sebastián Edwards "Left Behind: Latin America and the False Promise of Populism" (2010)

http://www.press.uchicago.edu/presssite/metadata.epl?mode=synopsis&bookkey=7897467

Se puderem, façam comentário sobre ele.

Valeu!

A

Galego sua análise me parece válida para uma economia em pleno emprego, e isto acontece em qual dimensão mesmo?

"Chance de Serra mexer no sistema de metas -> 0."

Prezado "O",

Não foi isso exatamente o que ele declarou em entrevista a rádio CBN.

Vejam:

http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2010/5/11/serra-critica-bc-telebras-belo-monte-mercosul

Alex, solta o minotauro. Tem donzela para o sacrifício.

"Galego sua análise me parece válida para uma economia em pleno emprego, e isto acontece em qual dimensão mesmo?"

Brasil, maio de 2010, ou você ainda não conseguiu perceber?

“Não foi isso exatamente o que ele declarou em entrevista a rádio CBN.”

Então vamos apostar. A resposta certa vai ser revelada em 2011. Eu afirmo que Serra não vai mudar o sistema de metas de inflação.

“Conhecem o novo livro do Sebastián Edwards "Left Behind: Latin America and the False Promise of Populism" (2010)”

Eu li alguns capítulos que foram publicados como NBER Working Papers, achei interessante, bem rico em exemplos.

Este comentário foi removido pelo autor.

Careca e Otario, voces tem é muita enveja do Oreiro!

na boa o melhor e...

`` não possuem design; e portanto não têm valor agregado``

AHAM!!!!

"Careca e Otario, voces tem é muita enveja do Oreiro!"

Não, eu tenho "enveja" da "iscola" que você frequentou.

Vocês num publicam porra nenhuma, o Oreiro é uma istrela nos encontros da Anpec, 5 papers dele foram asseitos em Foz!

"5 papers dele foram asseitos"

...rs

Não é possivel! Alguém deve inventar esses anônimos defendendo o Oreiro, em português errado. Não tem outra "explicassão"...

"vamos investir em educação para termos cidadãos que respeitem as regras, gostem de trabalhar, não queram se aposentar cedo(nem trabalhar em emprego publico sendo sustentado pelos recursos de nossos impostos), consigam interpretar questões lógicas elementares e não façam tanta merda na hora de escolher governantes."

Anônimo das 15:43h

Não é problema que cidadãos não gostem de trabalhar ou que queiram trabalhar em emprego público (exatamente para não trabalhar), desde que internalizem os custos dessa atitude.
Vamos combinar, gostar de trabalhar quase ninguém gosta. O que as pessoas gostam é do resultado gerado pelo trabalho.
Concordo que temos que investir em educação, mas também temos que ter um arcabouço institucional que valorize quem produz e não quem busca transferências.

Hahhaa...o alex fica criando esses anonimos ficticios ai só pra animar o blog....

Será que o Serra ta jogando para a torcida? As suas recentes declarações possuem certo tom novo-desenvolvimentista, berrando contra a "Santa Sé" . . . São os ecos de seus velhos tempos no Chile? Fica a dúvida - Quem vai compor a música - A Casa das Garças ou a turma da GV São Paulo? - A torcida anda agitada nas arquibancadas, mas honestamente aposto na Casa das Garças . . .

Esse blog é pura diversão.

Jogamos fora todos os livros de administração e economia e o governo faz a sua própria economia, produzimos navios que custam quatro vezes mais para gerar os empregos que o governo quer, seria melhor para a economia que o governo fizesse uma bolsa desemprego para todos estes empregados da indústria metalúrgica e comprassemos os navios de quem faz melhor e mais barato, é o básico em economia, será que o governo não vê que a longo prazo esta bolha estoura? mas o povão gosta!!!!fazê o qê?

"O"

"O mecanismo é que como o Brasil..."

Essa foi de uma sintese memorável..matou a pau, com requintes de crueldade, em menos de 50 palavras.

André Lima