teste

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Eterno retorno


Já nos livramos do mediocrérrimo Ciro Gomes, mas algumas de suas propostas ainda nos assombram, como o uso das reservas internacionais para financiar obras no país, também apropriada pela agenda econômica de Fernando Haddad. Parece, à primeira vista, um negócio para lá de razoável, mas não sobrevive a 27 segundos de reflexão séria.

Há, de fato, quem defenda que o país detém hoje mais dólares do que precisaria para manter suas contas externas em ordem caso sobrevenha nova crise internacional. Sou agnóstico a este respeito, mas, como ponto de partida, podemos admitir que seja verdade. Neste caso, o que deveríamos fazer com o presumido excesso de reservas, no programa estimado em US$ 40 bilhões?

Dado que as reservas nos rendem 2% ao ano, enquanto pagamos 6,5% ao ano sobre nossa dívida interna, uma das possibilidades seria vender a parcela excedente e usar o dinheiro para reduzir a dívida e o pagamento de juros sobre ela. No câmbio atual, US$ 40 bilhões permitiriam reduzir a dívida do governo em R$ 150 bilhões, de 77,3% do PIB para 75,1% do PIB, cortando nossa conta de juros em quase R$ 7 bilhões/ano (4,5% ao ano sobre R$ 150 bilhões).

Alternativamente, poderíamos adotar a agenda petista e emprestar o dinheiro aqui dentro, ao invés de usá-lo para reduzir o endividamento do governo. Para que esta escolha seja superior precisará render mais que a economia de juros resultante da opção de abater a dívida. Isto significa que os gestores dos recursos retirados das reservas terão que empregá-los em projetos cujo retorno seja maior do que o custo da dívida, nosso custo de oportunidade no presente contexto.

Isto nos leva a duas considerações.  A mais geral é que, se existissem tais projetos, nada impediria que o setor privado usasse seus próprios recursos, não os do Tesouro.

A réplica habitual a esta crítica aponta para alguma hipotética falha de mercado, supostamente corrigida por meio da cobrança de juros abaixo dos pagos pelo Tesouro Nacional, como foi feito de forma avassaladora pelo BNDES entre 2008 e 2014.

Naquele período empréstimos do BNDES saltaram de pouco mais de R$ 300 bilhões para R$ 800 bilhões (a preços de hoje), uma transferência maciça de recursos para empresários bem conectados, que gozaram do benefício devidamente apelidado de Bolsa-Empresário, bem mais generoso que o Bolsa-Família, com resultados conhecidos.

Deve ficar claro, pois, que se trata de alternativa inferior à redução do endividamento, dado que o retorno neste caso é, por construção, inferior ao custo da dívida.

A segunda consideração diz respeito gerenciamento da bolada. Quem garante que os incentivos serão os corretos, ou se, a exemplo do ocorrido com o BNDES, o dinheiro será direcionado por critérios não relacionados à eficiência econômica, mas determinados por causas nada republicanas, como financiamento de um projeto de poder, na forma de recursos para campanhas, “construção” de maiorias parlamentares e outros aspectos da corrupção que assola o país?

A bem da verdade, apelar às reservas internacionais como fonte de financiamento é apenas um disfarce. Trata-se, em última análise, de replicar os mesmos mecanismos usados à exaustão pela assim chamada Nova Matriz Econômica, cujo legado ainda pagamos, muito provavelmente com o mesmo grau de fracasso.

Posso apostar que, ao escrever sobre o eterno retorno, não era isto o que Nietzsche tinha em mente.


Fazendo a economia girar...


(Publicado 10/Out/2018)

Reações:

34 comentários:

Em relação a crítica à Bolsonaro,ele possui uma boa equipe econômica,e honesto, defende Deus da família e o estado de Israel.

"defende Deus da família"

E o que a família de Deus fez para que o Bolso O defenda dela?

O senhor desconsidera em suas analises que no congresso foram eleitos muitos liberais,se comparado a legislatura anterior,e esses deputados irão cobrar de Jair Bolsonaro um posicionamento em relação as reformas,fora a equipe econômica que o assessora que tem um posicionamento liberal.

"O senhor desconsidera em suas analises que no congresso foram eleitos muitos liberais,se comparado a legislatura anterior"

Desconsidero porque é irrelevante.

"e esses deputados irão cobrar de Jair Bolsonaro um posicionamento em relação as reformas"

Nome dos deputados do PSL que defendem a reforma previdenciária, por favor

Os oito do Partido Novo,kim Kataguiri,Joice Hasselman,Luiz Felipe de Orleans e Bragança,Eduardo Bolsonaro,Beatriz Kicis,Carolina De Toni.

"Os oito do Partido Novo,kim Kataguiri,Joice Hasselman,Luiz Felipe de Orleans e Bragança,Eduardo Bolsonaro,Beatriz Kicis,Carolina De Toni."

Que bom! Faltam só 299 para aprovar uma emenda constitucional...

Eu não entendo esse pessoal que mal sabe escrever, vem aqui soltar um bando de bobagem infantilóide e, mesmo depois de confrontado, continua insistindo nas besteiras.

Segue a reportagem do estadao:https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,bancada-do-psl-e-pro-reforma-e-armas,70002553802?utm_source=facebook%3Anewsfeed&utm_medium=social-organic&utm_campaign=redes-sociais%3A102018%3Ae&utm_content=%3A%3A%3A&utm_term&fbclid=IwAR1swPvvPeHpNpdB4a4kC6Qga4Fmg8AcFuAfm-bweq94HzY1X17R8pZEzD0

"Segue a reportagem do estadao"

Pena que você não a leu, não é mesmo?

Alex, qual seria a sua ordem de prioridade para as seguintes agendas: Reforma Pevidenciária, Tributária, Administrativa?
Qual delas é mais factível de trabalhar no Congresso? Você acha que a criação de um IVA único tem alguma chance?
Grande abs

23 deputados favoráveis a reforma.

"23 deputados favoráveis a reforma."

De quantos mesmo?

Alex qual seria então uma maneira de usar essas reservas, partindo do princípio que seria melhor utilizar parte delas do que ver elas se deteriorando pela inflação. Há como converter esses dólares em reais para serem usados para abater a dívida ou melhor seria investimento externo, sob o risco de novamente fazer investimentos furados sob motivações políticas?

Sério mesmo que esse cara não se toca que tá passando vergonha?

Alex, vc critica o PT, o que me deixa tristonho. Mas vamos à pauta do dia.
Bolsonaro quer reduzir o tamanho do estado. Quer diminuir o imposto de renda. Quer diminuir a carga tributária em geral. Onde é que a conta fecha com reformas e higiene fiscal?

Que eu saiba, o déficit anual só piora a cada ano em função dos gastos fixos e dos gastos previdenciários. Sem falar que na aposentadoria dos "privilegiados" das carreiras de estado não serão mexidas pelo capitão, que adora um espírito de corpo com o dinheiro do contribuinte.

Dirão alguns, venderá estatais. Ok, vender patrimônio para cobrir despesas correntes. Em 4 anos não haverá estatais e nem superávit. E nem conjuntura internacional tão favorável.

Votar no Haddad é a alternativa perfeita? não é, claro. O Meirelles talvez fosse o mais indicado para entrar na presidência agora. Porém, o PSL no poder talvez não se mostre tão liberal quanto se pensa. Teremos saudades do que teria sido o governo Haddad.

Quem possui plano melhor ... que se pronuncie ... com idéias.

https://www.gazetadopovo.com.br/blogs/guido-orgis/2018/10/19/o-que-sera-do-choque-paulo-guedes/

Até agora ... nesses 30 anos depois do Sarney ... não apareceu nada de concreto, melhor qu eisso; se é que física pode ser chamada de economia ... Se bem que ...

"Teremos saudades do que teria sido o governo Haddad."

A análise está correta, mas a conclusão não se segue. Com o PT o desastre econômico seria certo e a democracia também estaria ameaçada.

Honestamente, neste ponto eu vou de Haddad. Vou odiar o Bozo o resto da vida por me fazer apertar 13, mas esse negócio do Bozo e irmãos falarem qualquer atrocidade que brote na cabeça deles, junto a essa paranoia que se instalou na sociedade, essa profusão de militares dando pitaco, para mim não dá. Os analistas políticos erraram um monte de coisas: achavam que daria uma candidatura de centro, não esperavam renovação no congresso, subestimavam o Bozo, esperavam uma guinada ao centro por agora. Não vou confiar que o governo vai seguir o ritual democrático.

Não sei até que ponto o PT realmente tem intenções venezuelísticas - certamente a turma não é das mais maduras (pun not intended) - mas a velocidade de deterioração democrática parece que será maior com os Bozos.

Agora... o duro é que, mesmo que o Haddad vença (cada vez mais difícil), se o plano Pochmann for posto em prática, cedo ou tarde a direita maluca ganha uma eleição.

Cacete! O país mudou muito nesses últimos 10 anos. Isso aqui é outro lugar agora.

abs, Zamba

"A análise está correta, mas a conclusão não se segue. Com o PT o desastre econômico seria certo e a democracia também estaria ameaçada."

vc entende que o governo Haddad na prefeitura por exemplo foi irresponsável? Algo me diz que ele não repetiria as teorias da NME.. da Dilma, etc.

Ele chamaria o Marcos Lisboa, ouvi dizer.

"Ele chamaria o Marcos Lisboa, ouvi dizer."

Marcos Lisboa na Fazenda. Papai Noel no BC, a Fada do Dente no Tesouro, o Coelhinho da Páscoa no MDIC e o Saci Pererê no Itamaraty

O Haddad até gostaria de chamar o Lisboa, mas o PT não deixaria e ia ficar sabotando ele o tempo todo que nem fizeram com o Joaquim Levy

Em meu ver, o Haddad (ele como pessoa, não falo o partido, claro) é um dos melhores nomes para uma modernização do estado. Ele tem se declarado muito mais moderado e responsável do que os demais candidatos (tirando o meirelles/alckmin).

Sobre o Lisboa, porque não? Alex conhece ele, pelo jeito que fala, entendo que ele não aceitaria o convite, talvez por temer não ter autonomia, talvez por temer disputas interministeriais de poder.

Aí fica difícil, teria que dar autoridade para ele trabalhar.

Olá Alex, você podería, por favor, explicar em que consiste a "nova matriz econômica"? De onde ela veio, e em quais livros posso me aprofundar no assunto.
Desde já agradeço.

Olá Alex, você podería explicar em que consiste a "nova matriz econômica"? E onde posso me aprofundar no assunto?

Desde já agradeço.

Haddad já desautorizou publicamente Pochmann e Dirceu nesta campanha. Ele deixa claro que é centro moderado. Ele é de uma linha independente de pensamento e muito mais ligado ao "livro" do que ao "curandeirismo".

Um país com um presidente maluco só se desgasta.. os EUA estão fazendo barbeiragem. A isenção de repatriação vai causar aumento de impostos daqui a 3 anos.. aí será uma medida contracionista num período já de elevação das taxas básicas. Ou seja, barbeiragem.

Atc, Jairo

" Ele é de uma linha independente de pensamento e muito mais ligado ao "livro" do que ao "curandeirismo"."

http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2018-10/haddad-promete-limitar-preco-do-gas-de-cozinha

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/eleicoes/2018/noticia/2018/10/02/em-campanha-no-rio-haddad-diz-que-pretende-acabar-com-teto-de-gastos-e-elevar-investimento-em-saude.ghtml

https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,em-reuniao-com-cnbb-haddad-se-compromete-a-revogar-reforma-trabalhista-e-teto-de-gastos,70002543703

http://spbancarios.com.br/10/2018/haddad-assume-compromisso-com-os-trabalhadores-de-nao-privatizar-eletrobras

Certo, resposta coerente de sua parte.

O que ele afirmou sobre o gás: que limitar o preço do gás é mais moralmente justificável do que subsidiar o diesel. e apenas 25% do valor do subsídio do diesel.

Sobre o teto de gastos, ele diz que deixou a prefeitura com Investiment Grade.

Agora, veja bem, você não acha possível ser responsável financeiramente porém sem o teto? Talvez não uma revogação, uma flexibilização para as áreas de saúde e educação, limitada a 10% ao ano. Sabe? Coisas no meio do caminho.

Se a gente for esperar purismo austríaco ficaremos decepcionados.

Mesmo o Bolsonaro, provável eleito, irá revogar o teto. Como você mesmo dizia no programa da CBN com o Sardenberg, sem reformas, o teto cai em 2 ou 3 anos.

Eu sei que você publicou um artigo explicando que vai votar nulo. Não estou querendo "mudar" ou "convencer", estou querendo ouvir e entender.

Eu sei que você acha o Ciro um embuste econômico. Então, na sua visão, como se compara o Haddad com o Ciro nesta questão?

Perguntando de outra forma, na sua interpretação, é impossível um governo progressista mesmo com um moderado como Haddad, é inviável economicamente?

"O que ele afirmou sobre o gás: que limitar o preço do gás é mais moralmente justificável do que subsidiar o diesel. e apenas 25% do valor do subsídio do diesel."

Vc acha que seria apenas 25% da Nova Matriz?

"ele diz que deixou a prefeitura com Investiment Grade"

Porque empurrou o problema da dívida de volta para o governo federal

" Talvez não uma revogação, uma flexibilização para as áreas de saúde e educação, limitada a 10% ao ano. Sabe? Coisas no meio do caminho."

Como mostra a experiência, isto é o começo do fim. Nos governos Lula/Dilma começaram tirando certas despesas da meta fiscal. Terminou onde terminou. Isto dito, não há teto para saúde e educação. Só piso.

"Se a gente for esperar purismo austríaco ficaremos decepcionados."

E quem é austríaco aqui, cara-pálida?

"Como você mesmo dizia no programa da CBN com o Sardenberg, sem reformas, o teto cai em 2 ou 3 anos."

Se eu não emagrecer, sofrerei um ataque cardíaco em 2-3 anos. É melhor meter uma bala na cabeça hoje?



hoje dia 30 de outubro o ultraliberal Paulo Guedes disse que vai usar as reservas cambiais para pagar uma parte da dívida pública.... afinal ele tem inveja do Ciro Gomes ou não aprendeu nada no seu PHD em Economia na escola monetarista de Chicago?

"Se eu não emagrecer, sofrerei um ataque cardíaco em 2-3 anos. É melhor meter uma bala na cabeça hoje?"

Eu ri. Ok, discutir com uma pessoa refinada intelectualmente como vc, é gratificante, mesmo que no final haja algumas posições divergentes.

Posso sugerir uma pauta: Escreve um artigo dizendo qual proposta econômica de esquerda é viável?

Por exemplo, Haddad saindo do PT e fundando um novo partido social democrata. Qual proposta econômica seria viável para ainda ser de esquerda e não ser irresponsável do ponto de vista econômico / fiscal?