teste

sábado, 12 de maio de 2012

Na telinha

Hoje, sábado (12/maio), estarei no Painel da GloboNews. Tema: crise europeia, com a presença de ninguém menos do que Celso Lafer. Quando der, posto também o link para o vídeo.

P.S.

Os links para o programa:

Parte 1 de 2

Parte 2 de 2

Reações:

37 comentários:

olá Alex

raro exemplo de programa instrutivo !
pena que foi pouco tempo para assunto complexo.
Parabéns!
JCW

Alex, me tira uma dúvida?

Bancos comerciais captam recursos tipicamente pagando o CDI, certo?

O CDI varia de acordo com a Selic. Portanto, a depender da variação da Selic, a taxa de juros cobrada pelos bancos em suas operações de crédito deve se alterar, pois se altera o custo de captação.

Embora em algumas modalidades de crédit isso, de fato, se verifique, quando coloco em um grafico taxa Selic e taxa média das operações de crédito livre, veremos que uma não segue a outra... Pq será?

Será que quando a Selic cai, o spread aumenta? Ou entao, os bancos usam isso para elevar seus prazos e manter as taxas? (os prazos vem se elevando à medida que a Selic vai caindo)...

O que acha?

Responde por favor....

Marcos Junior

Alex,
creio que foi superestimado o resultado das urnas francesas.
Praticamente os eleitores ficaram divididos meio a meio. Então não se pode dizer em tendência forte.
E, mais ainda, o que de fato pesará serão as eleições parlamentares de junho.
O que você acha?

Décio

Responde ai Alex... Fiquei curioso...

PT

Mmmmm. Porque bancos tomam pós e dão pré. E, como já disse aqui, é por este motivo que banco (ou qualquer um dado em pré) ganha quando quando a Selic cai...

Mmmmm. Porque bancos tomam pós e dão pré. E, como já disse aqui, é por este motivo que banco (ou qualquer um dado em pré) ganha quando quando a Selic cai...

Alex, ótimas ponderações sobre o atual dilema europeu. Gostaria que vc desenvolvesse, em suas colunas, a tese de Krugman (impulso fiscal para animar a economia) vs mais austeridade a qquer custo.

Gostei da sua distinção: estímulos fiscais é pra quem pode (EUA, Alemanha, Reino Unido), não pra quem quer (Brasil, por exemplo...)

contudo, austeridade não vem funcionando na Grécia e Irlanda, vc não acha?

Bem, o que não funcionou na Grécia não foi austeridade. Foram exatamente os gastos.

Já no Brasil, vide: http://migre.me/95RxE

A política expansionista gera isso? Se sim, não serve. Se não, também não serve. Isso porque esses dados são levantados e analisados por uma empresa que analisa demonstrativos de empresas. Ou seja, atinge ali a base, pelo que dá a entender.

Parabéns por sua participação no programa. A possibilidade de solução que explicou é racional: chegou a hora da Alemanha (o país que pode) flexibilizar os gastos públicos (a demanda), para que os outros consigam ter uma possibilidade de sair da crise. A dúvida: conseguirá a Grécia beneficiar-se disto (ou é carne podre que não adianta salgar?)? A Itália deve conseguir beneficiar-se. A França com certeza. Mas tenho dúvidas quanto a Portugal e Espanha.
Os irreponsáveis fiscais (quebrados?) têm direito de exigir mais irresposabilidade para manter seus privilégios (gastos públicos de qualidade duvidosa)?
Responsabilidade fiscal é a mesma coisa que austeridade? Responsabilidade fiscal é mais simpático. Assim como, para os leigos, "desenvolvimentista" é mais simpático do que monetarista.

A Espanha teve responsabilidade fiscal até 2008. O endividamento foi privado. Parece-me que o endividamento estatal veio como forma de segurar a quebradeira bancária.

O QUE PROVA QUE IRRESPONSABILIDADE FISCAL PIORA AS COISAS. O desemprego, os juros, quase tudo piorou. E ainda querem mais disto. Não vejo ninguém comprometer-se, livremente, com a melhoria dos gastos públicos. Déficit público para pagar ladroagens, sustentar privilégios, provoca é busca de paraisos fiscais. A escolha é: convivo com moeda estável e responsabilidade fiscal ou com irreesponsabildade fiscal e moeda que se desvaloriza. Querer viver às custas do contribuinte alemão é que não conseguirão. Transformar o EURO em uma moeda inbflacionária? Quem gastou demais e errado não tem saida sem redução de privilégios (e algum sofrimento, o de adequar-se ao possível, trabalhar mais.), ou conseguir alguém que pague por ele (a proxima geração ou algum trouxa). O contribuinte alemão não vai concordar em pagar irresponsabildades de outros povos. Não existe saída de crise sem sofrimento (pode ser maior ou menor. mas algum sofrimento sempre terá.).

"Parece-me que o endividamento estatal veio como forma de segurar a quebradeira bancária."

Ou veio para substituir a falta de um emprestador de última instancia, como ocorreu nos EUA.

Deixem-me fazer um esclarecimento:
1. sou a favor da responsabilidade fiscal e fã da nossa LRF, que deveria ser aprofundada, não sabotada, como muitos sugerem nos altos escalões.
2. Espanha, Irlanda e Islândia tinham desempenhos fiscais impecáveis antes de serem destroçadas pela crise que elas não iniciaram.
3. Uma vez no olho do furação, medidas de austeridade pioram a situação, e não melhoram, como adoram dizer os adeptos da fada da confiança (essa fadinha...). Assim, estando um país em queda livre, como a Grécia, medidas de austeridade podem matar o doente na UTI.

Essa a tese de Krugman e Stiglitz, que gostaria de ver o Alex comentar, com a técnica e percuciência que lhe é peculiar.
Abraços.

Alex,

Sei que o tempo esta curto mas quando puder comente por favor essas declarações. Segue o link:

http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/5/17/para-guru-dolar-nao-escapara-de-um-colapso

"Essa a tese de Krugman e Stiglitz, que gostaria de ver o Alex comentar, com a técnica e percuciência que lhe é peculiar"

Vale um comentário mais longo. Como preciso sempre de temas para o artigo, agradeço a dica. Em breve...

"Sei que o tempo esta curto mas quando puder comente por favor essas declarações"

Queria ver o desempenho do fundo... Se apostou no colapso do dólar nos últimos anos deve ter perdido dinheiro...

Espanha, Irlanda e Islândia, também tiveram sua dose de responsabilidade nessa crise, infelizmente.

Espanha e Irlanda, passaram a ter paisagem de grandes guindastes construindo prédios comerciais e residenciais, provavelmente embolhecidos.

Os bancos islandeses, começaram financiar sem muita parcimônia. No filme "Inside Job", fala-se a respeito da afrouxada que os bancos islandeses deram e forma pegos em 2007/2008, com ativos podres.
Num programa do Anthony Bourdain, em viagem pela Irlanda, esse aspecto da construção civil foi citado pelo guia irlandês.

Agora, se Angela Merkel é criticada pela dureza em abrir os cofres sem contrapartida de responsabilidade fiscal, não pode ser condenada só por isso.
Talvez, hoje na UE, seja a Alemanha a única economia com capacidade de "meter um pouco o pé na jaca".
Mas, caso ela o faça, quem será a referência em parcimônia fiscal?
Ai, o negócio poderia desandar de vez.
Por outro lado, a Alemanha compra mais produtos dos pequenos da Europa ou prefere os produtos chineses, mais baratos e de elevado consumo no mundo todo?
Caso expanda, deixaria de comprar da China para comprar da Grécia, Espanha, Portugal, Islândia, Irlanda?

Quer dizer que Espanha fez tudo certinho e mesmo assim entrou em crise? Isto não existe. Em responsabilidade fiscal tem que ser considerada a qualidade dos gastos públicos. Sabemos que gregos (enfiaram o pé na jaca), italianos (menos um pouco), espanhois e portugueses gastaram mal. Tem duas maneiras destes povos vítimas de políticos corruptos perder rendas (e qualidade de vida): 1) sair do EURO e perder com a inflação; b) continuar no EURO, moeda estável, abrindo mão de privilégios e rendas insustentáveis com moeda estável). Enfim não tem mágica (de todas as maneiras irão perder). Uma outra maneira seria fazer inflação com o EURO (quem tem estoque de moeda irá pagar para quem deve.). Os alemães terão que concordar. Como bem escreveu Gudin: inflação é alguém tirando de alguém. Ou os gregos e outros aceitam perder rendas e continuar honestos ou dão o cano e saem do EURO (vão pagar mais caro ainda).
O máximo que se pode fazer com o EURO é a Alemanha aumentar os seus gastos (já deve muito) e aumentar a demanda (os beneficiados serão os gregos ou a China?). O mais correto é quem mamou agora pagar (reduz a renda por uns anos, vira honesto e volta a crescer).
E os USA? eles podem aumentar os gastos, a moeda é de um mesmo país (e ainda é reserva mundial). Mesmo assim os republicanos irão vetar para derrotar os democratas.

Para rir um pouco... pérola do humor involuntário!

http://lfb.org/today/brazil-and-the-spirit-of-liberty/

Inacreditável (levaram o cara para o Paulistano?)

"Queria ver o desempenho do fundo... Se apostou no colapso do dólar nos últimos anos deve ter perdido dinheiro..."

Como assim? Quem se precaveu com ouro e commodities ganhou MUITO dinheiro nos últimos dez anos.

Alex,

Veja a opinião do Arminio.

"Para Armínio Fraga, presidente do BC entre 1999 e 2003, apesar de a diretoria do BC não ter um mandato formal, de certa forma, já possui autonomia. "É algo que passa pelo Senado, é um mandato informal. O governo não vai demitir alguém do BC com objetivos políticos não declarados", afirmou. De fato, há muitos anos não acontecem demissões com essa motivação. Fraga é favorável à abertura dos votos, uma vez que ela pode trazer maior respaldo para os diretores. "Com a nova medida, num momento em que haja pressão por parte do governo para não aumentar o juro, por exemplo, um diretor pode se sentir defendido sabendo que seu voto vai aparecer".

Vai lá e diz que a Grécia está como está porque gastou mais do que podia, a exemplo de seu amigo Paulo Rebello de Castro.

A Grécia está como está porque gastou muito e muito mal. Viram a notícia de aposentadorias de falsos cegos em uma ilha linda grega (70% eram falsos cegos)? E os deputados ganhando mais do triplo do um alemão?
Há uns 1o anos (ou mais) vi a declaração de rendas de um deputado de um estado da federação (renda anual da assembléia legislativa:
R$1.450.000,00). Hoje não sei como está a situação. Acredito que melhorou um pouco.

Alex, sim levaram o Jeffrey Tucker ao Paulistano, ele veio a SP para a III Conferência de Escola Austríaca, e era um dos palestrantes junto com Peter Schiff(economista austríaco famoso nos EUA - http://www.youtube.com/watch?v=8lpSnECTKW8 ), Walter Block,PHILIPP BAGUS, Helio Beltrão...um excelente evento. Ele conviveu com o pessoal do Instituto Mises Brasil e vários jovens(por volta de 300) que através da internet formaram grupos de estudos de economia austríaca em vários estados brasileiros, já que essa escola é praticamente ignorada na academia. Veja o que um membro do Mises Brasil escreveu sobre o fato: "Puta negada escrota, viu.

O cara escreve um artigo cobrindo o povo brasileiro de elogios, dizendo que somos trabalhadores, que sabemos como construir coisas bonitas, modernas e funcionais, que somos simpáticos, que ele gostou de tudo o que viu aqui e - suprema ousadia! - que vislumbrava uma chance de um florescimento da liberdade por aqui, e como o povo reage? Invadindo tanto o Facebook do sujeito quanto a seção de comentários de seu artigo e o enchendo de insultos.

Outra coisa, o Tucker lidou diretamente com gente simples, principalmente no mercado de São Paulo. É a estas pessoas que ele está se referindo quando fez elogios ao país e disse que somos trabalhadores. Mas estes “liberais” de Facebook, que paradoxalmente parecem achar que é impossível empreender sem estado, pelo visto entenderam que o Tucker estava elogiando a política brasileira. Ficaram analfabetos funcionais.

Em suma, o brasileiro ficou ofendido porque foi elogiado! Aí quando os europeus - e até mesmo os argentinos - dizem que somos macacos e índios, a negada reclama. Ora, como classificar um povo que sequer sabe se portar ao ser elogiado? Pior, que xinga quem o elogiou? E olha que estamos nos referindo à elite intelectual, hein? Estamos falando de liberais e conservadores!

De fato, ainda não saímos do estágio da barbárie mais primitiva. O Tucker realmente errou ao cobrir de elogios um povo que sequer é digno de receber insultos.". Não sei se já conhece o site do Instituto, mas segue: http://www.mises.org.br. Sobre o tema do Painel da Globonews, há vários artigo interessantes de Phillip Bagus, autor do livro "A Tragédia do Euro" - http://www.mises.org.br/SearchByAuthor.aspx?id=161&type=articles Queria saber o quão você conhece a Escola Austríaca de Economia e o que acha dela?, abraço.

Alex,

Existe alguma proxy para preco dos imoveis no Brasil?

Estou estimando uma Curva IS e penso que esta seja uma importante variavel explicativa do modelo (pelo menos e para outros paises, segundo diversos estudos empiricos).

Att,

MML

Alex,

De maneira simples, de que forma os termos de troca influenciariam na evolucao da demanda?

Att,

PT

Para o anônimo de 20:51.

Pela argumentação dele, se eu for para Cuba e sair elogiando o povo cubano e a livre-iniciativa dos restaurantes da Ilha, apontando para o fato de que lá as pessoas podem fumar charuto à vontade sem as restrições aos fumantes impostas pelo Estado, eu estaria fazendo um ótimo serviço à causa da liberdade. E, se algum cubano fosse reclamar do meu texto, eu teria que dar piti porque ele falou mal de quem o elogiou.

Em relação à minha opinião sobre a Escola Austríaca... Hayek era genial. A ideia da sinalização dada pelo sistema de preços é muito boa. A ideia de ciclos econômicos poderem ser agravados por maus investimentos realizados por uma política monetária frouxa é algo que eu vejo como o futuro (ironicamente, a ideia vem da década de 20 ou antes) de uma teoria de ciclos econômicos completa.

O que pesa contra a EA é a total falta de formalismo de sua ideias, e a total falta de aceitação das técnicas empíricas. Isso prejudica muito o desenvolvimento de suas ideias. E o porquê dela não ser levada a sério nos meios acadêmicos.

Inacreditável o relato do anônimo "19 de maio de 2012 20:51"

hahahahahahahahaahahahahahahahahah

Os comentários do artigo são ótimos, o Tucker se passou por charlatão e otário mor!

MAGECONOMIA-17 de maio de 2012 14:19, não sei se referiu-se ao meu comentário, logo acima do seu.

Contudo, se observar lá está escrito "embolhecido", referindo-se à expansão imobiliária na Espanha.

Não está dito em nenhum lugar que a "Espanha teria feito tudo certo".

Aliás, cabe registrar que fez muito mais do que certo, por civilizado, quando concedeu cidadania espanhola a brasileiros vitimados por um atentado a bomba em Madrid.

Dawran: o comentário foi genérico, mais no sentido de defender a tese de que quem faz tudo certo não entra em crise muito forte. Não podemos considerar apenas o total dos gastos em relação ao PIB, a qualidade dos mesmos tem que ser considerada também. A Espanha errou em algo, o desemprego é muito grande, os bancos estão na balança (acho que o Alex previu isto). Mas é uma situação menos grave do que a Grécia e Portugal (um pouco pior do que a Itália, que é grave.). Quanto ao tratamento aos brasileiros não é o que a mídia divulga. O Min. do Exterior está até dando tratamento semelhante aos espanhóis. Nada contra o país. É apenas uma tese de que qualidade de gastos públicos também devem ser considerados.

Responde as perguntas Alex...

Por favor...

MAGECONOMIA-21 de maio de 2012 19:45, correto, sim.
Está em concórdia.
Bem lembrado do caso da reciprocidade em termos de migrações mútuas.

"Responde as perguntas Alex..."

Dá uma mão: que perguntas?

Te dou duas maos:

Existe alguma proxy para preco dos imoveis no Brasil?

De maneira simples, de que forma os termos de troca influenciariam na evolucao da demanda?

Abs

1) Existe alguma proxy para preco dos imoveis no Brasil?

Sim, há o Sinduscon e no Relatório de Estabilidade Financeira há estimativas da relação preço-aluguel

2) A melhora dos termos de troca leva a dois efeitos (discutidos nas últimas semanas com meus alunos):

a) Cada unidade exportada compra mais importações, ie, tudo o mais constante a oferta total aumenta, o que permite uma expansão maior da demanda doméstica relativamente ao PIB ;

b) Há um aumento da renda doméstica, que sob determinadas condições (principalmente a percepção de quão persistente for o choque), leva ao aumento da demanda;

Note que (a) abre condição para elevação da absorção relativamente ao PIB, mas (b) é o estímulo propriamente dito.

OK?

Alex,

Perfeito! Muito Bom!

Obrigado pelas respostas...

Anonimo