teste

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Anais da idiocracia: a última de Natália e Benito

Os professores Oreiro e de Paula produziram uma obra-prima, talvez algo inédito na literatura econômica: um texto de idiotice fractal.

Para se entreter, sugiro visitar o blog do professor Oreiro.

Mas se você estiver com preguiça, curta essa frase inesquecível (negrito meu):

Além disso, parece ser pouco plausível que o problema do juro elevado no Brasil se deva à escassez de poupança doméstica. Com efeito, se essa explicação fosse correta, então a taxa real de juros de longo prazo deveria ser muito alta para os padrões internacionais, o que não acontece. Com efeito, o contrato de DI futuro/swaps com vencimento em julho de 2014 estava pagando um juro real ex-ante de 7,4% ao ano no dia 14/06/2011.


E viva la Oreiro!



E quem esqueceu do Benito?

Reações:

61 comentários:

7,4%???
De onde vem essa informacao?

Perto desse cara, devo estar colocando um spread absurdo nos trade de Swoptions que faco. Bom pro meu bolso! ahah

Nelson

Cacilds, essa é pior que a do piso gradual pra câmbio.

Quer dizer que vivo em um país que não tem fome, educação e saúde são de primeira, não há violência e ainda por cima tem juros real japonês? "Chose de loque!" como diria aquele personagem do Jô.

Fractal porque cada pequena parte é tão idiota quanto o todo?

http://pt.wikipedia.org/wiki/Conjunto_de_Mandelbrot

"O crédito externo para a economia brasileira migrou do curto para o longo prazo, como resultado da elevação para 6% do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nos financiamentos com prazos de até dois anos. Embora já estivesse ocorrendo em abril, o movimento ficou ainda mais evidente pelos dados das contas externas do mês de maio.

Essa trajetória levou o Banco Central (BC) a fazer significativas revisões nas suas previsões de fluxo de empréstimos externos para o País. A expectativa do BC para o ingresso de recursos decorrente de créditos de longo prazo em 2011 saltou de US$ 49,8 bilhões para US$ 71,9 bilhões. Enquanto isso, a projeção para as operações de curto prazo despencou de US$ 27 bilhões para apenas US$ 5,5 bilhões."

Comentários?

É impressão minha ou o Marcelo Neri virou mesmo garoto-propaganda do PT?

Leram a coluna do Marcio Holland?

Meu dels, por que só brasileiro tem que aguentar isso???

Não. Absolutamente, não, Anônimo de 28 de junho de 2011 13:32. O Marcelo Neri criou um país só para o Lula e o PT.

Pois bem. E onde estaria o Estado de Bem-Estar Social, citado no texto, como sendo um dos objetos de escolha?

Alexandre,

Vc pega no pé de alguns caras, com razão (apesar de exagerar um pouco na dose). Só que na minha opinião você só comenta as asneiras de uma ala. O que falar da nova identidade contábil criada pelo André Lara na coluna dele no valor(Déficit público = Poupança privada + Poupança externa)??? Será que ele também deve voltar a ler o Blanchard?
Sds


Fonte: http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/6/16/a-curto-prazo-remedio-para-o-juro-alto-e-cortar-o-deficit-publico

Qual o problema com o marcelo Neri??

A crítica é ao resultado da pesquisa ou ao simples fato do seu resultado ser benéfico ao governo Lula ???

"Só que na minha opinião você só comenta as asneiras de uma ala."

Tenho que escolher, não? Meu tempo também é um recurso finito e eu tenho que maximizar minha utilidade dentro desta restrição orçamentária. Por outro lado, quem quiser pode comentar, ou, se preferir (e eu encorajo) pode me mandar um texto com as críticas e, conforme for, será publicado com os devidos créditos.

Topa?

Abs

P.S.

No máximo 3800 caracteres, com espaços (é o tamanho da minha coluna na Folha) e meu e-mail é:

alexandre.schwartsman@hotmail.com

"A crítica é ao resultado da pesquisa ou ao simples fato do seu resultado ser benéfico ao governo Lula ???"

A crítica é ao fato dele não explicar direito as causas dos ganhos dos mais pobres nos últimos anos. Prato cheio para o PT, uma vez que os ganhos aconteceram a partir depois de 2003 ( na verdade 2004).

"Leram a coluna do Marcio Holland?"

Li. Um horror. Parece uma crianca argumentando. Que pais triste.

"Fractal porque cada pequena parte é tão idiota quanto o todo? "

Exatamente. Dificil encontrar uma parte do texto que nao transpire idiotice.

Certamente para os economistas, basta reproduzir a frase para evidenciar a estupidez dos professores. Mas para nós, leigos, falta a explicação...

Em outras palavras: ao escolher zombar, vocês (O e Alex) desperdiçam a oportunidade de ensinar.

"Em outras palavras: ao escolher zombar, vocês (O e Alex) desperdiçam a oportunidade de ensinar."

Falou e disse!

Essa boçalidade do Oreiro me lembrou de outro argumento tão idiota quanto esse. Tem a ver com a TJLP.

Diz-se por aí que a TJLP é baixa porque ela é uma taxa de longo prazo, logo não se justificaria cobrar tanto quanto as taxas de prazos curtos. Não sei se foi o Oreiro que proferiu essa, mas alguem do mesmo grau de conhecimento.

O professor errou, na minha opinião, ao asseverar que a taxa de juro brasileira não é tão superior ao padrão internacional; primeiro, por ela o ser, segundo, pela atual condição econômica internacional, à beira de um precipício (vide América, Europa, Japão [todos no padrão fraqueza, baixa atividade econômica e com superdívidas = downgrade título público] e China [bolha e câmbio 'fixo']).
Quanto ao Delfim Netto, eu gosto do modo que ele se expressa, quando entrevistado, por canais de TV, embora eu não possua conhecimento sobre economia.
Ele escreveu um artigo que eu gostei, hoje, no Valor Economico.
Achei a escrita dele, neste artigo, mais sofisticada do que a costumeira.
Um abraço.

Mais um artigo meia boca na serie do valor. Enrolou, enrolou e nao disse nada o Octavio de Barros...

"É impressão minha ou o Marcelo Neri virou mesmo garoto-propaganda do PT?"

Até onde eu sei o Marcelo é um pesquisador sério e tem achado resultados que sugerem uma mudança importante na distribuição de renda.

Isto dito, se isto favorece o discurso do PT, o que o Marcelo deveria fazer? Esconder os resultados?

Uma sugestão para uma análise mais profunda: BNDES o que estão fazendo com o banco de investimento?

Parece até perseguição, mas o professor Oreiro merece. Agora ele tem um artigo inane com o professor Bresser Pereira sobre o euro. Pergunto-me: será possível que o professor Oreiro está em uma campanha aberta para expor a UNB e a AKB ao ridículo?

"Em outras palavras: ao escolher zombar, vocês (O e Alex) desperdiçam a oportunidade de ensinar."

Às vezes assumo que para bom entendedor meia palavra basta.

A idiotice dos professores foi dizer que a taxa real de juros no Brasil não “é muito alta para os padrões internacionais”. Tal afirmação beira a surrealidade.

Meus caros,
o Marcelo Neri é muito sério. Não li este artigo recente dele e houve um bate-boca dele com o jornalista Augusto Nunes algum tempo atrás. O ponto básico desta discussão (para quem não sabe) se refere às fortes melhorias que temos observados em anos recentes em uma série de indicadores sociais (forte aumento de renda da população mais pobre, maior formalização do mercado de trabalho, menor desigualdade, etc). Estas melhorias ocorreram e vão continuar acontecendo. O problema é que os estudos sérios sobre o tema (Marcelo Neri incluso, não estou fazendo nenhuma ironia) mostram que a grande maioria destes efeitos positivos podem ser creditados à universalização do primeiro grau ocorrida no governo FHC (a qual, diga-se de passagem, o PT foi contra). O impacto disto é muito lento (ocorre cada vez que uma geração antiga pouco educada sai do mercado de trabalho e entra uma nova mais educada). Assim, estes efeitos benéficos ocorrerão ainda nas próximas duas décadas, pelo menos. Em 2002, pós esta universalização, tinhamos dois problemas, universalizar o segundo grau e melhorar a qualidade do ensino. Ambos os problemas não foram atacados pelo governo federal (a título de exemplo, a taxa de cobertura do segundo grau no Brasil é de 50%!!!!).
Pois bem, este fato é muito pouco divulgado. O PT e o lulla ficam arrotando por aí como foram eles responsáveis por esta melhoria (e como o FHC e o PSDB são malvados, elitistas, anti-povo, estas bobagens) - em um processo de desconstrução histórica absurda e perigosa. Ao mesmo tempo, NÃO FIZERAM NADA PARA APROFUNDAR ESTE PROCESSO E GARANTIR MAIORES MELHORIAS PARA O POVO POBRE.
Agora chegamos à questão fundamental. Quando estes pesquisadores (que geraranm os resultados acima!!!!) dão ênfase a melhoria ocorrida e não a suas causas (e ao não aprofundamento da melhoria da educação no governo lulla), eles não estão mentindo mas estão ajudando muito o PT (e, de quebra, piorando o debate para a população brasileira - acho esta taxa de cobertura do segundo grau uma piada, uma tragédia e um crime). Pode-se argumentar que isto está explícito nos textos técnicos dos caras, que eles, ao contrário do que se fala, já enfatizaram isto em diversos artigos de jornais, etc. Sei lá.
Saudações
PS: Tenho uma antipatia monstruosa em relação ao PT. Este ponto específico (muito parecido, na verdade, com o que o PT e o lulla fizeram em relação à política econômica) aumenta absurdamente esta antipatia.

"Com efeito"... holy shit...

A abordagem é boa... como não existe um problema de juros muitos altos para o padrão internacional, podemos passar para outros problemas. UFA!!!

"Até onde eu sei o Marcelo é um pesquisador sério e tem achado resultados que sugerem uma mudança importante na distribuição de renda."

Alex,

O Marcelo Neri mesmo (mas só quando perguntado) admite que as mudanças na distribuição de renda se devem ao efeito educação.

Aí eu te pergunto: O que o governo do PT fez para melhorar a educação? Acho que você já sabe quem realmente mudou a educação no Brasil.

Ora taxa de juros é uma questão de vontade política!!!!!!!!!!!Seja lá o que for isso.

A coluna do Samuel Pessoa tem sido justamente ridicularizada. Hoje foi a vez do Octavio de Barros zombar dela mais um pouquinho.

O Departamento de Economia da UnB conta com mais de 30 professores, aproximadamente metade participa da pós-graduação. Considerando a diversidade na formação dos professores do departamento afirmo que a opinião de nenhum professor representa o departamento. Não sei nem se seria possível apresentar um professor representativo, e, se for, certamente não é o Prof. Oreiro.

"Aí eu te pergunto: O que o governo do PT fez para melhorar a educação? Acho que você já sabe quem realmente mudou a educação no Brasil."

Meu ponto não é quem foi responsável (cá entre nós, creio que educação teve um papel importante e, fora isso, ganhos de termos de troca podem ter ajudado), mas sim se o Marcelo deveria esconder os resultados porque beneficiam um partido em detrimento de outro.

Isto dito, podemos discutir o que está na raiz da melhora de distribuição de renda e quem teve o mérito de promovê-la.

' O "
poderia explicar-me se os contratos de DI futuro/swaps estão pagando taxas superiores aos países desenvolvidos. Sou leigo neste assunto.
Grato.
João

Alex,

Parece que o BC finalmente admitiu com todas as letras que o problema de inflação é excesso de demanda, não? O que vcs acharam do RI?

Abs

Anônimo,

Você quis dizer que a coluna do Samuel foi INJUSTAMENTE ridicularizada, não? Para mim, foi o que chegou mais próximo de uma resposta. O resto foi lixo, principalmente a trinca Oreiro-Holland-Barros. Quem falou que esses 3 enrolaram disse a verdade, mas faltou dizer ainda mais, que esses quadrúpedes têm conceitos econômicos bem errados.

Quanto ao Marcelo Neri, ele é muito sério sim.

A pesquisa é toda baseada em dados da PNAD. Se os números contam uma história de melhoria da distribuição de renda, é o que tem que ser mostrado. Vi uma apresentação dele e em NENHUM MOMENTO ele fez propaganda do PT ou do PSDB. É um estudo totalmente apartidário, apesar do ímpeto natural de se ligar os resultados ao governo PT. Repito: ele nunca fez isso, até porque os resultados de hoje são fruto de quase duas décadas de estabilização macroeconômica do país.

"Hoje foi a vez do Octavio de Barros zombar dela mais um pouquinho."

E desde quando esta biba desqualificada tem moral para zombar de qualquer coisa?

Para mim, os melhores foram do Andre Lara e do Ilan. Mas certamente convidaram muito mal os participantes.

"A coluna do Samuel Pessoa tem sido justamente ridicularizada. Hoje foi a vez do Octavio de Barros zombar dela mais um pouquinho."

eu também fiquei sem entender o "justamente".

alguém faria o favor de esclarecer?

...

sobre o marcelo neri, se restar dúvidas sobre as pesquisa, é só se comunicar com ele para conhecer a seriedade do trabalho. por outro lado, me parece mesmo que o comportamento dele, como a participação em eventos de governo, assim como a associação que se permite, dão margem ao que se disse.

;^/

"Meu ponto não é quem foi responsável (cá entre nós, creio que educação teve um papel importante e, fora isso, ganhos de termos de troca podem ter ajudado), mas sim se o Marcelo deveria esconder os resultados porque beneficiam um partido em detrimento de outro."

Estamos plenamente de acordo quanto a ele divulgar, sem dúvida, é um grande avanço e deve ser reportado.

Mas a maneira que esses resultados tem sido alardeados tem cheiro forte de chapa-branquismo. É a minha impressão, posso estar errado. Mas que entrevista dele foram utilizadas em larga escala na campanha (e serão), não tenho dúvida.

PS: Quanto aos termos de troca, não se vc já viu, mas quando se olham os dados de renda média do trabalhador, a renda dos trabalhadores das regiões metropolitanas CAIU dos anos 90 para cá, enquanto os rurais tiveram ganhos expressivos. Acho que isso é boa evidência para o seu ponto.

"eu também fiquei sem entender o "justamente".

alguém faria o favor de esclarecer?"

Na minha modesta opinião, o Samuel facilitou as críticas ao escrever:

"Há dois caminhos para reduzirmos os juros. Primeiro é rumar para uma maior conversibilidade da moeda, de sorte que o risco cambial se reduza, e revertermos a política de acumulação de reservas. As duas medidas permitirão que a capacidade de nossa economia absorver poupança externa seja muito maior de forma a ser possível equilibrar a demanda com oferta sem pressões inflacionárias e a uma taxa de juros menor. Este caminho tem o efeito colateral de valorizar ainda mais o câmbio e produzir forte redução do emprego na indústria de transformação.

O segundo caminho é alterarmos o contrato social da redemocratização, reduzindo fortemente o Estado de Bem-Estar Social de forma a elevarmos a poupança doméstica. A elevação da poupança doméstica permite encontrarmos um equilíbrio com juros mais baixos e câmbio mais desvalorizado e inflação sobre controle."

Ele explicitamente colocou o dilema entre reduzir o Estado de Bem-Estar e permitir que a indústria de transformação seja aniquilada. Essa é uma falsa questão.

Guilherme Fiúza x Marcelo Neri:

http://colunas.epoca.globo.com/guilhermefiuza/2011/03/04/a-numerologia-da-pobreza/

Anônimo das 17:42. Já vimos que você é muito bom de copiar e colar. E agora, vai explicar porque o Samuel está errado ou não?

Samuel Pessoa me parece um economista com pensamento muito colado em manuais e livros-texto padrão.

Destes que erram muito mais do que acertam, mas fingem que sabem o que falam.

Não é dado a pensar por conta própria sobre a realidade, e a sim repetir o que pensa seu grupinho de interesse político.

Talvez seja tão ruim por ter ficado muito tempo como economista teórico, publicando papers que ninguém lia.

Aquela de ter defendido a volta da CPMF, com a cara mais séria do mundo, em entrevista pra Miriam Leitão, acho que sintetiza a figura deste sujeito.

O Marcelo Neri é um exemplo de economista sério e qualificado. Raridade. E esse jornalista tenta desmoralizar um profissional como o Marcelo, em vez de focar em imbecis soltos por aí. Lamentável.

Anônimo das 17:42. Já vimos que você é muito bom de copiar e colar. E agora, vai explicar porque o Samuel está errado ou não?

Se vc não consegue entender porque esse dilema é falso, sinto muito.

Então anônimo das 19:39, economista bom é aquele que não sabe teoria econômica. Olha a realidade, e divaga sobre os acontecimentos.

Mais uma vez, tentou desqualificar o Samuel sem dizer porque ele está errado. Lê novamente a coluna dele, e diz porque ele está errado.

Meus caros,
Já comentaram antes de mim:
"Samuel Pessoa me parece um economista com pensamento muito colado em manuais e livros-texto padrão."
Há, Há, Há. Cada coisa, não é mesmo? Repito as palavras do outro anônimo acima. Bom é economista que não sabe teoria, vê a realidade e fica bostejando um senso comum sem limites.
Saudações.

"Talvez seja tão ruim por ter ficado muito tempo como economista teórico, publicando papers que ninguém lia."

V. esta' parcialmente errado quanto ao Samuel. Sim, ele e' muito ruim (quase um inimputável intelectual), mas nunca publicou nada decente.

Ele sabe tanta economia quanto a média da população mundial sabe sobre badminton: nada.

No entanto, e'amigo da galera and plays the intelectual type. Isso lhe garante sobrevivência no Brasil.

Realmente a galera do BC tá frequentando a marcha da maconha! O RI, depois do BC ter reduzido o passo de alta nos juros de 50 para 25 bps sinalizando que tudo estaria bem no front inflacionário, demonstra grande preocupação com: 1)a dinâmica atual das negociações salariais;
2)eles lembraram só agora?!, do ajuste real de 7,5% do salário mínimo em 2012.
Eles estão com muita dificuldade de lembrar dos eventos. Será que aumento dos salários acima da produtividade tem alguma consequência na inflação e na pol monetária???
Fernando A.

Eu acho que o Samuel esta errado em sua tese, mas por motivos diversos que aqueles apresentados pela Natalia e companhia bela. Se tiver tempo elaboro meu argumento mais tarde em um post.

Nao consigo parar de pensar na Natalia...

Este comentário foi removido pelo autor.

O tema das altas taxas de juros é central. Seria muito proveitoso e oportuno um post do Alexandre e O sobre o tema.
Daniel

Who the fuck is Natalia???

Acompanho o anônimo anterior mas em português: quem porra é Natália ?

"Who the fuck is Natalia???"

http://www.blogger.com/www.nataliaoreiro.com

"Who the fuck is Natalia???"

Natalia? Oreiro, logico! Muito boa de curvas!

"Eu acho que o Samuel esta errado em sua tese, mas por motivos diversos que aqueles apresentados pela Natalia e companhia bela. Se tiver tempo elaboro meu argumento mais tarde em um post."

Assino embaixo e aguardo o post.

Food for thought:

Why the Welfare State Looks Like a Free Lunch

http://www.nber.org/papers/w9869

Agora eu fiquei confuso: o "O" não para de pensar na Natália ou no José Luis Oreiro?