teste

terça-feira, 21 de junho de 2016

O Huno

Cheguei a crer que havíamos conseguido criar regras impessoais que reduziriam em muito a dependência de indivíduos excepcionais para conduzir os temas básicos da gestão econômica. A Lei de Responsabilidade Fiscal, por exemplo, deveria fazer com que qualquer ministro da Fazenda tivesse que se comportar de maneira rigorosa no trato com as finanças públicas, independemente de suas crenças (até certo ponto, ao menos).

Os acontecimentos dos últimos seis ou sete anos me fizeram mudar de ideia. Na verdade, mais até do que o péssimo desempenho da economia, me preocupa, e muito, o grau de destruição institucional no período. Olho em volta e só vejo terra arrasada.

Numa nota pessoal, por conta do privilégio que tive por trabalhar na instituição, me entristece em particular a deterioração do papel do Banco Central.

Sob a “direção” de Alexandre Pombini houve piora visível do BC, não só no desempenho, mas principalmente na postura. Mesmo antes do salto em 2015, quando o IPCA atingiu 10,7% (para uma meta de 4,5%), o desempenho no que diz respeito ao controle inflacionário foi lamentável. Entre 2011 e 2014 a inflação atingiu 6,2% ao ano, pouco abaixo do limite máximo de tolerância, apesar do controle dos preços administrados, cuja variação ficou apenas em 4,1% ao ano no período.

O BC também se beneficiou da alteração nos pesos do IPCA após 2011: caso a ponderação que valia até aquele momento tivesse sido mantida, a inflação média teria sido 6,5%, ultrapassando o teto tanto em 2012 quanto em 2014.

Comparado, portanto, em bases congruentes com as de seus predecessores, Pombini não apenas jamais entregou a inflação na meta, mas também estourou seu limite superior ao menos quatro vezes, colocando em sua conta, por mérito, o fiasco de 2016, apesar de suas promessas de convergência ainda este ano feitas até setembro do ano passado.

Assim, coube-lhe também a duvidosa honra de ser o primeiro presidente do BC sob o regime de metas que deixa a seu sucessor taxas de juros mais elevadas do que herdou. Seu afã em obedecer ao voluntarismo do governo para a queda da taxa de juros, enquanto fingia ignorar a piora fiscal, teve como consequência exatamente o oposto da intenção original.

Quando era mais novo conseguia ainda acreditar no efeito pedagógico destas experiências; hoje sei que é questão de tempo até que outro iluminado resolva tentar o mesmo, na vã ilusão que em sua vez o resultado seja diferente.

Isto dito, se há algo que podemos aprender da “gestão” de Pombini à frente do BC é que a postura submissa da autoridade monetária face aos governantes de plantão não traz crescimento maior; ao contrário, resulta em inflação mais alta e, eventualmente, por conta do descontrole inflacionário, expansão menor do produto do que teria sido possível sob inflação baixa.

Nada, diga-se, que a literatura a respeito já não alertasse, mas parece que há ainda quem queira testar a lei da gravidade pulando de uma janela, no caso do 22º andar do Banco Central.


Cabe agora a Ilan Goldfajn a imensa tarefa conjunta de recuperar a credibilidade institucional do BC e trazer a inflação de volta à meta. Não há de ser fácil, frente ao estrago cometido por seu antecessor, mas desejo, como brasileiro, bem como amigo, que tenha sucesso neste desafio.


Onde ele come não nasce grama


(Publicado 15/Jun/2016)

Reações:

19 comentários:

A sua ligação pessoal com Fernando Haddad fez o senhor se filiar ao PT?

Que nada, era filiado muito antes do Fernando...


No período de redemocratização, (anos 80/90)vários economistas foram para o congresso. Delfim, Roberto Campos, Serra, Cesar Maia, etc.
Hoje os economistas de maior nome fogem da politica e abrigam-se em blogs, na TV e colunas de jornais.
Você nunca pensou em uma carreira politica? Ser deputado por exemplo.
Parece claro que se as pessoas mais sérias não ocuparem este espaço não iremos para a frente.
Você, Marcos Lisboa, Samuel Pessoa, Beluzzo, Luciano Coutinho, etc., deveriam se candidatar. Teríamos uma melhora significativa do parlamento, onde as coisas se decidem.
Você tem notoriedade, é articulado e têm ideias claras. Pense nisso, são dois anos para amadurecer esta ponto.

Infelizmente esta acontecendo um golpe no Brasil.A policia federal fazer busca e apreensão na sede do partido que fez uma revolução social no Brasil,isso é um golpe contra democracia.

Alex,

boa tarde!

Sabe me dizer se a frase 'Assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente.'estava presente no cabeçalho do site do BC na era Pombini ou foi o Goldfajn que pediu pra colocar lá? Não lembro de te-la visto antes...

Abs

"Você, Marcos Lisboa, Samuel Pessoa, Beluzzo, Luciano Coutinho, etc., deveriam se candidatar."

Caramba, como você conseguiu colocar Beluzzo e Coutinho nessa lista? Já vi misturar banana com laranja, mas esse aí passou da conta. Sou mais o Tiririca que o Beluga.

Golpe,golpe,golpe

O samba de uma nota só.

Respondendo ao amigo acima....Belluzzo no congresso seria uma catástrofe ainda maior. Se ele já está com problemas por destruir as finanças do Palmeiras* imagina o que iria sair de projetos no congresso. Talvez fosse querer criar um feriado nacional pra Keynes.

E se nossos computadores dependessem da cabeça inovadora de Coutinho, ainda estaríamos usando o Windows 95.


* Palmeiras ainda paga a conta pelo. Valdivia.

Eu gostaria de me solidarizar com Alexandre Tombini ,que graças aos seus críticos está sendo processado ,podendo ficar impedido durante 5 anos de ocupar cargos públicos.

"Sabe me dizer se a frase 'Assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente.'estava presente no cabeçalho do site do BC na era Pombini ou foi o Goldfajn que pediu pra colocar lá?"

Não, sempre esteve lá, mesmo antes do Pombini

"Alexandre Tombini ,que graças aos seus críticos está sendo processado ,podendo ficar impedido durante 5 anos de ocupar cargos públicos."

Sério? Que notícia boa...Só gostaria que fosse mesmo graças a seus críticos, e não ao que aprontou...

Por falar em destruição institucional, estive em Brasília e fiquei no Setor Hoteleiro Norte, onde ví uma obra inacabada de um novo hotel. É sempre triste ver obras paradas, afinal indicam que a economia não anda bem e não deixa de ser um sinal de deterioração urbana. Sendo uma pessoa prática, sugiro transformar o projeto do novo hotel em um novo presídio, onde os presos precisariam utilizar uma tornozeleira eletrônica e pagar pela hospedagem. Privatizar a carceragem pode ser um bom negócio caso a justiça resolva mesmo punir os bandidos que promoveram a destruição institucional, punir os bandidos que roubaram e praticamente faliram com a Petrobras, punir os bandidos da Lei Rouanet, os bandidos do Ministério do Planejamento...

Alex,

Conhece alguma série de retorno das empresas em termos agregados?

Bjs Julia

Por favor, comenta:

http://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-dos-cabecas-de-planilha#.V3KZe1yiPqU.twitter

abs
Carlos

Ele não fez nada porque é PHD em economia.Infelizmente seus opositores plantaram noticias falsas sobre ele na imprensa que culminou nesse processo do TCU.

"Ele não fez nada porque é PHD em economia.Infelizmente seus opositores plantaram noticias falsas sobre ele na imprensa que culminou nesse processo do TCU."

Oba, PhD dá imunidade!

"Conhece alguma série de retorno das empresas em termos agregados?"

Não, nunca vi. Bloomberg não tem?

"Por favor, comenta:

http://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-dos-cabecas-de-planilha#.V3KZe1yiPqU.twitter"

É a radiografia perfeita de um fracasso, no caso o fracasso do Nassif de entender o que ocorre à sua volta, somada à sua natural inapetência à honestidade...

Trocando em miúdos, Pombini, o Huno, se preocupou apenas em se manter no cargo em lugar de defender a instituição que presidia e evitar, assim, a farra fiscal que ocorria debaixo das suas narinas insensíveis.