teste

quarta-feira, 27 de março de 2013

A mediocridade satisfeita

O crescimento brasileiro se acelerou visivelmente entre 2003 e 2010, atingindo uma velocidade média de 4% ao ano contra 2,5% ao ano nos 8 anos anteriores. Voltamos, porém, a patinar em 2011 e 2012, crescendo a menos de 2% ao ano. Mesmo que observemos a aceleração esperada para este ano (3%) e para o próximo (3,5%), estaremos de volta ao patamar anterior. Trata-se de desaceleração cíclica, ou o reflexo de um problema mais profundo?

Não resta dúvida acerca do diagnóstico do governo. Na sua visão a piora do desempenho é tratada como uma questão cíclica, provavelmente causada pela crise internacional, assim como pela menor disponibilidade de crédito, um mini “replay” da crise de 2009, que mereceria, portanto, o mesmo tipo de resposta: juros mais baixos, aumento da disponibilidade de crédito por meio dos bancos públicos e, por fim, uma política fiscal mais frouxa, expressa na redução (“anticíclica”) do superávit primário.

Há apenas um problema com este diagnóstico: não encontra o menor amparo na realidade.

Para começar, é difícil justificar que a crise internacional teria causado uma redução no crescimento brasileiro ao mesmo tempo em que vários países da região, até mais dependentes de commodities do que o Brasil, tenham registrado aceleração no período.

Afora isto, em 2009 observamos piora no mercado de trabalho e redução expressiva da inflação. Agora, ao contrário, o desemprego continuou a cair e a inflação, após breve queda (em boa parte devido às mudanças metodológicas no IPCA), voltou a se acelerar, a ponto de forçar até o relutante BC a recuar de sua promessa de manter “a estabilidade das condições monetárias por um período de tempo suficientemente prolongado”.

Tais observações são consistentes com uma economia que, ao invés de enfrentar uma desaceleração cíclica, parece operar próxima ao seu potencial, como expresso na menor taxa de desemprego observada desde o início da série do IBGE.

Da mesma forma, ao contrário do observado em 2009, quando a velocidade de crescimento dos salários nominais caiu de valores próximos a 11-12% ao ano para algo em torno de 4-5% ao ano, estes se expandem hoje a 9-10% ao ano, também um sintoma de aquecimento no mercado de trabalho.

Aliás, dado que o crescimento da produtividade teima em permanecer ao redor de 1-1,5% ao ano, bem inferior à expansão salarial, não é difícil concluir que o custo por unidade produzida venha aumentando e, portanto, pressionando a inflação, em particular nos segmentos em que a concorrência internacional é escassa (por exemplo, serviços).

O comportamento do mercado de trabalho, salários e preços aponta, portanto, para uma conclusão desanimadora.  A queda de desempenho não se deve principalmente questões cíclicas, mas sim, como finalmente o BC parece ter reconhecido, “a limitações no campo da oferta”, ou seja, gargalos no mercado de trabalho (e também infraestrutura) que impedem o crescimento mais vigoroso.

Não se trata, quero deixar claro, de afirmar que houve necessariamente redução do nosso ritmo de crescimento potencial nos últimos anos, mas de algo até mais sério. É bastante possível que sempre tenha sido baixo; tendo saído, porém, de uma situação de desemprego muito elevado no começo da década passada, pudemos crescer acima do potencial pela utilização da mão-de-obra então disponível, reduzindo o desemprego ao longo do processo.

Esta estratégia enfrenta suas óbvias limitações, no entanto, quando a disponibilidade de mão-de obra se esgota. Assim, como não preparamos a transição para um crescimento baseado na produtividade, na prática abandonando o processo de reforma que se estendeu de 1995 a 2006, estes limites se traduzem em crescimento baixo e inflação alta. Já a persistência da estratégia atual de política econômica sugere que o governo está mais do que satisfeito com esta mediocridade.

“A gente só pgeciza baixar o pgimário...”


(Publicado 27/Mar/2013)

Reações:

161 comentários:

O PIB potencial não é algo proximo de 4,5%?

e o mais triste é perceber que estamos sem uma liderança efetiva no Ministerio da Fazenda num pais onde sobram excelentes economistas...lamentavel

Temos uma liderança sim! Alinhada com a teoria da demanda puxa oferta, preocupação com inflação é superestimada, gasto público é bom e ajudar indústria é o caminho do desenvolvimento. Demora mas chegaremos ao patamar da Noruega ou Suécia!
Dantas

Eu discordo do diagnóstico do Alex, de que o governo não "percebe" que o problema é com a oferta.
Tanto é que Delfim e Belluzzo, conselheiros da moçada no poder, vivem dizendo isso (o primeiro em especial).
Não foi também pra estimular os investimentos que empurraram a Selic lá pra baixo? Não é pra isso que vêm tentando fazer concessões na área de infraestrutura (ainda que dando vários tiros no pé)?

Pra mim parece óbvio que o governo continua estimulando a demanda e fazendo de tudo pra manter o mercado de trabalho aquecido por questões eleitorais/manutenção do poder, evitando tomar medidas necessárias, mas impopulares.

O que é mais fácil de perceber para uma família da tal "nova classe média"? Todos na sua casa com um emprego que paga entre um salário mínimo e R$ 1.000 e lá vai pedrada, ou uma "inflaçãozinha" de 7% ao ano? (se bem que a inflação pra essa faixa de renda está bem mais alta, reconheço)

Sério, se eu que sou músico consigo entender o cenário desenhado pelo Alex nos artigos aqui, não é possível que alguém que fez FEA não consiga!haha

O resultado disso saiu esses dias na pesquisa de aprovação da Dilminha.

Pena que é mais difícil enganar o cara que vai investir, em comparação ao eleitor médio do Brasil....

Alex,

Se estivermos mesmo em situação de restrição de oferta, então estamos condenados a um período de baixo crescimento no futuro próximo. Afinal, restrições de oferta não se consertam no curto prazo.

Quer mesmo se comprometer com esta análise?


"Não acredito em política de inflação que reduz crescimento, diz Dilma valor.com.br/u/3062904"

E a Presidenta hoje, hein? Combater inflação tudo bem, desde que isso não afete crescimento...e quem cuida da inflação é o Ministério da Fazenda...run, run for your lives!

Concordo com o André. O governo reconheceu tardiamente o problema; agora, surgem questões eleitorais e ideológicas a serem superadas. Falta, também, ao governo, demonstrar um pouco mais de competência, porque as soluções tem sido muito banais.

Abraços

Esse aquecimento do mercado de trabalho que você observa não seria consequência indireta da expansão do ensino superior na última década? Dados do último censo do Inep mostram que o total de matrículas saltou de 3,4 milhões em 2002 para 6,7 mi em 2011. Os jovens não estariam, corretamente aliás, postergando a entrada no mercado de trabalho? Não de uma geração assim que precisamos - muito mais qualificada que as precedentes -para alcançarmos os tão almejados incrementos de produtividade?

Rafa

Alex, queria continuar a discussão sobre elasticidade e nash do artigo do foie gras

Encontrei um ramo onde a elasticidade é infinita (infinita enqto dure) e onde o conluio é o equilibrio: IMOVEIS

Ou isso, ou alguém me explica como as 2 maiores do ramo tiveram respectivos prejuizos de 1 e 2 BILHOES em 2012 e ainda conseguem viver sem liquidar estoques acumulados na casa de 2 anos de vendas, e soma isso que as médias do ramo tbm estão no mesmo barco.

abrx
luiz

" Os jovens não estariam, corretamente aliás, postergando a entrada no mercado de trabalho? "

Se isto fosse verdade a razão PEA/PIA deveria estar caindo, mas, ao contrário, sobe (está no maior nível da série).

Achi impressionante como uma história desta se propaga sem que ninguém se dê ao trabalho de ir ao site do IBGE e ver o número...

Jogo jogado. O governo escalou os cretinos de sempre (Delfim, etc) para defender a diarréia econômica, agora é esperar controles disfarçados dos preços e manipulação dos índices.

"Quer mesmo se comprometer com esta análise?"

Resposta 1: Não, eu escrevi um artigo que chega a esta conclusão, mas, na verdade, queria dizer o oposto

Resposta 2: Não, eu não tinha visto a conexão entre restrições de oferta e crescimento, mas seu comentário foi uma epifania

Resposta 3: Eu, hein?

"O PIB potencial não é algo proximo de 4,5%?"

não.
tá mais pra 2,5%

o pib potencial se calcula na fronteira tecnológica? explica ae pfvr

Alex, você é um cara bom, com bom treinamento, te dou essa. Mas a forma agressiva e despudoradamente arrogante com que responde a vários comentários aqui é algo um tanto chocante.

Primeiro porque de alguém que deve ter sido bem educado e que experimentou a vida em uma sociedade civilizada (e lá aprendeu uma ou duas coisas), esperaria-se mais auto-controle e polidez. Zombar/"mock" as pessoas para com as quais a natureza não foi tão gentil no "assignment" de inteligência, é no mínimo deselegante, provavelmente cruel e certamente chocante quando vindo de alguém que "should know better".

Segundo porque isso quase certamente vai fechar portas na sua carreira profissional que de outro modo estariam abertas. E talvez portas que separam os brilhantes dos medíocres e todo o resto. Mas duvido que a esa altura da vida você já não tenha percebido isto...

No mais, parabéns pelo blog. Sua voz dissontante na mídia é um serviço de utilidade pública.

Mas a forma agressiva e despudoradamente arrogante com que responde a vários comentários aqui é algo um tanto chocante."

A palavra-chave aqui é reciprocidade: veio na boa, eu respondo na boa; veio atravessado vai levar troco. Bem simples...

"Mas a forma agressiva e despudoradamente arrogante com que responde a vários comentários aqui é algo um tanto chocante."

nããão.. continua no teu jeito heavy metal, é isso que tornou o blog um sucesso

"Mas a forma agressiva e despudoradamente arrogante com que responde a vários comentários aqui é algo um tanto chocante."

Morei e estudei no país civilizado que o Alex estudou, perto do que se faz por lá o Alex é uma flor de pessoa e o O também.

Alex,

vc teria saco em explicar para a dona Dilma que é exatamente a politica economica que esta matando o crescimento e gerando inflação


citando: "Dilma diz ser contra combate à inflação com redução do crescimento"

Luiz

Alex,

Vc não respondeu a pergunta do Luiz acima pq vc é do time que tme medo de tocar no assunto MERCADO IMOBILIARIO?

ou foi por outro motivo?

abrx
luiz

Luiz e Alex,

Onde estaria o equilibrio de Nash num ramo de empresas onde o interesse dos acionistas via pra um lado e o interesse dos executivos (e seus Bonus) vão para o outro?

Nestes casos o equilibrio vai para o brejo?

"Vc não respondeu a pergunta do Luiz acima pq vc é do time que tme medo de tocar no assunto MERCADO IMOBILIARIO?
ou foi por outro motivo?"

Outro motivo, bem simples, aliás: a pergunta não faz o menor sentido.

Se alguém me explicar o que foi perguntado, eu posso até pensar em responder, mas, aproveito para deixar claro: eu não vivo disso; respondo o que quero, quando quero e do jeito que quero e, mais bacana, não devo satisfação, principalmente para comentarista anônimo.

(Como podem ver, estou muito bem humorado hoje)

o pib potencial se calcula na fronteira tecnológica? explica ae pfvr

(2)

"Alex,

vc teria saco em explicar para a dona Dilma que é exatamente a politica economica que esta matando o crescimento e gerando inflação"

Nunca me furto à missão civilizatória, mas esta resposta é fácil, porque jamais me pediriam para explicar...

"Nunca me furto à missão civilizatória, mas esta resposta é fácil, porque jamais me pediriam para explicar..."

Disse tudo.

Tenho pena da Gerente Comuna Dilma, aliás expero que ele se exploda de tanta burrice.

A declaração de hoje de nossa grande líder Rena (respaldada pelo seu Elfo preferido) deveria servir como "pá de cal" para os inocentes que ainda acreditavam na chance de restabelecimento de um mínimo de racionalidade na política econômica adotada no Brasil. Nossa revolucionária preferida está absolutamente convencida da correção do que está sendo feito (todo e qualquer resultado negativo é efeito de curto prazo decorrente da sabotagem de rentistas esperneadores) e esperar mudanças / ajustes de rota é ingenuidade pura. E enquanto isso, a água do sapo vai fervendo...

PORRA COMO SE CALCULA O PIB POTENCIAL

"PORRA COMO SE CALCULA O PIB POTENCIAL"

Com muito cuidado, senão dá problema...

A incontinência verbal e o desprezo com o regime de metas por parte da presidente causa sempre um desconforto. Mas o Tombini já reagiu furiosamente: "a presidente me mandou dizer que quem manda sou eu!!".
Mas ainda tenho alguma fé no BCB, com seu canhão com 1 bala de 100 bps para refrear a inflação.
A meta é tentar uma inflação descendente, mas se não acontecer tudo bem e BCB passará a ser subordinado ao ministério da pesca.
Maradona

Vocês se lembram de um sociólogo com doutorado na Inglaterra que fazia o gênero petista alfabetizado e trabalhava no banco central, mas vestiu a fantasia de petralha durante as eleições tecendo loas à dona Bronca? Chegava até a exaltá-lá como tecnocrata competente apesar de toda evidência contrária... Que fim levou ele?

o PIB potencial parte de pressupostos neoliberais como a NAIRU e lei de Okun

é um lixo que não merece atenção

PIB potencial? O Brasil é desenhado para crescer abaixo do PIB mundial. Somos fechados ao comércio, intervencionistas desavergonhados, rent seeking até o fundo da alma e votamos em um semi-analfabeto para presidente e somos tão burros que achamos motivo de orgulho nisso. Fala sério, dá para acreditar em um futuro em que chegamos a ter 30% da renda per capita dos EUA? Nós não conseguimos nem nos livrar de Sarney.

"o PIB potencial parte de pressupostos neoliberais como a NAIRU e lei de Okun"

Deixa de ser vagabundo e te educa, boçal!



"Tenho pena da Gerente Comuna Dilma, aliás expero que ele se exploda de tanta burrice."

Me desculpe pelo erro na palavra "expero" que é com s.

Foi as pressas.

Feito o registro heheh

A coisa está tão feia no país, com tanta gente imbecil ocupando postos chaves e idiotas úteis espalhando abobrinha por aí que fica difícil saber o que é sátira do que é "sério". Esse comentario sobre o PIB potencial, Nairu e lei de Okum é o quê?

era uma ironia cara, relaxa

Hehe, olha o prof que vai me dar aula nesse periodo

Desenvolvimento Sócioeconômico - IEE FRANKLIN LEON PERES SERRANO


AGUENTA CORAÇÃO

Sei não. Parece que a crise de 2008/2009 foi a desculpa perfeita para o governo colocar seu lado "anos oitenta" para fora. Virou um vale tudo. O intervencionismo entrou na moda. Como se o crescimento e o controle de preços pudessem ser resolvidos por meras decisões em escritórios fechados de Brasília. Criou-se até um conceito de "lucro justo" para alguns setores, como se o governo fosse o grande gestor da economia. Medidas recentes como as canetadas nos setores de energia e aviação comercial mostram isso.

O resultado é esse aí mesmo. Concordo que o nosso potencial de crescimento já não era lá essa Brastemp toda (muito em virtude do atraso em privatizações, em reformas pró mercado e custo Brasil), mas é evidente que baixou em período recente. Prova disso é que o investimento está despencando. Quem investiria na infraestrutura, por exemplo, de um país com esse nível de discricionaridade? A economia está sendo fechada, as importações dificultadas, as tarifas públicas utilizadas para política anti-inflacionária e as estatais para fazer política industrial. O ambiente de negócios do Brasil deteriorou-se muito nesses últimos anos. Tivemos fôlego quando havia espaço para o crescimento do consumo e do gasto público. Agora, parece que o futuro nos reserva inflação elevada e crescimento baixo.

Saudações

"Chegava até a exaltá-lá como tecnocrata competente apesar de toda evidência contrária... Que fim levou ele?"

Se for quem estou pensando...Twittando. Não sei se conseguiu uma sinecura, não perco tempo com "lick-balls"!

"Vocês se lembram de um sociólogo com doutorado na Inglaterra que fazia o gênero petista alfabetizado e trabalhava no banco central, mas vestiu a fantasia de petralha durante as eleições tecendo loas à dona Bronca? Chegava até a exaltá-lá como tecnocrata competente apesar de toda evidência contrária... Que fim levou ele?"


Lembro...

Mas pelo jeito, apesar do esforço, não ganhou nenhuma boquinha!

mas teve isso

http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-72/questoes-de-poder/o-estilo-dilma-na-hora-h

e pode acompanhar aqui o pensamento da criatura:

https://twitter.com/NPTO

"Chegava até a exaltá-lá como tecnocrata competente apesar de toda evidência contrária... Que fim levou ele?"

"O", se for quem estou pensando...Twittando. Não sei se conseguiu uma sinecura, não perco tempo com "lick-balls"!

qual matéria da economia requer menos matemática.. comércio, macro, monetária?

Paulo Guedes vem chamando essa mediocridade de armadilha social-democrata(quase um elogio).Outros ,de capitalismo de Estado,de compadrio,populista,cada vez menos pró-market;ou,ainda, o país é uma Casa Grande,distribuindo migalhinhas para as senzalas mais distantes e migalhoes para as mais próximas

É de crer-se que ninguém precisa explicar absolutamente nada para a presidente, pois, é claro que ela engendrou a politica em vigor.

Ou, ao menos, a delineou. Afinal, ela está no goveno há tempos e sempre foi tida, dita e chamada de "competente". Notadamente no planejamento, na infraestrutura, com foco em energia e dura no gerenciamento.

Portanto, a política é dela, da Chefe do Executivo e isso, ela sempre deixa muito claro.

O que ela diz internamente, repete no exterior:"...o Brasil saiu da crise crescendo...", ensinou aos europeus.

Só que agora, quando séries mais longas de indicadores estão sendo utilizadas, deixando de lado o início das análises, de forma pouco sutil, em 2003, vai ficando cada vez mais claro que, em cerca de 18 anos, o período 2003/2010 não é assim o tão decantado despertar da potência emergente. Muito menos o biênio 2011/2012. Como parece não serão 2013/2014.

Assi, seria ocioso crer que a presidente poderia vir a alterar radicalmente o que priemiro ajudou a fazer e depois, o que está tocando e tocará.

Alguém mais notou que a agressividade do Alex aumentou depois da chegada do Luís Fabiano ao Morumbi?

Fica a dica.

"e votamos em um semi-analfabeto para presidente e somos tão burros que achamos motivo de orgulho nisso"

Nao me comprometa, eu nao votei em ninguem, to ate com o titulo de eleitor cancelado.

O e Alex,

Does the theory of international trade no longer matter?

"O" vc poderia explicar melhor o seu comentária acerca de investimento e demanda

"The accelerator is not a theory--it is a reduced form relationship. The fact that lagged income enters with a positive coefficient says absolutely nothing about the importance of demand for investment. That is not an identified equation.
"

valeu

Subdesenvolvimento nao se improvisa!!!

O melhor de tudo foi a cara de bunda do Tombini e do Mantega no fundo da entrevista. Quem não viu sugiro que veja: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=iP1OJzcfqxg

Pode pular para o minuto 5'30

BRASIL VALOR
Dilma alega 'manipulação inadmissível' em fala sobre inflação.
"O combate à inflação é um valor em si mesmo e permanente do meu governo”, afirmou a presidente

"Não acredito em política de inflação que reduz crescimento, diz Dilma"

É difícil livrar-se de uma base teórica errada (UNICAMP). Descuida um pouco e fala bobagem. O Lula não falava bobagens assim.



O Sr ainda é simpatico em suas respostas.Pior é um professor de uma Universidade Federal.

Eu achei interessante a discussão anterior dizendo que economistas deviam estudar analise real, medida, e analise funcional...uma lista que sugere que o seu autor não sabe muita matemática, but i digress.

Eu acho que o que falta os economistas são bons cursos de ciências políticas. Eu sei que o negocio e meio picaretagem, mas e obvio que a discussão sobre elasticidades, pleno emprego, raízes unitárias ou o que for acaba sendo "swamped" pelas questões políticas...

Os economistas que serão mais bem sucedidos em mudar o pais pra melhor não vão ser aqueles chamando os outros de ignorantes, mesmo que tenham 100 pct de razão e ósseos argumentos sejam claríssimos e bem desenvolvidos.cos que terão maior impacto serão aqueles que souberem influenciar o dialogo político da forma mis eficaz possível com o objetivo de levar as decisões pro lado correto...

Assim, não e matemática que falta aos bons economistas, mas a habilidade de influenciar o discurso político....

o FRANKLIN LEON PERES SERRANO eh um bom professor!

espero ansiosamente o artigo de primeiro de abril

"Vocês se lembram de um sociólogo com doutorado na Inglaterra [...] Que fim levou ele?"

hehehe...

Vi numa Piaui do ano passado (set/2012) um artigo do sociólogo desaparecido (ou seria um homônimo?). Não tive saco de ler e só corri os olhos.

Alex foi contemplado: "À direita, o economista Alexandre Schwartsman manifesta ceticismo em relação ao compromisso do atual governo com o regime de metas de inflação herdado de FHC."

"Esquerda", "direita", "centro" como categorias de análise política costumam ser ativadas para demarcar o campo do belo, do bom e do justo no qual aquele que escreve, o equilibrado, estaria perfeitamente inserido: "Ei gente! Não sou da esquerda raivosa e nem sou da direita do Alex. Sou um esquerdista social-democrata bacana e equilibrado nas minhas análises!".

O link para quem se interessa por mais do mesmo:

http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-72/questoes-de-poder/o-estilo-dilma-na-hora-h

"A palavra-chave aqui é reciprocidade: veio na boa, eu respondo na boa; veio atravessado vai levar troco. Bem simples..."

Lex talionis...what an enlightened man!

Alguém já disse: "An-eye-for-an-eye-for-an-eye-for-an-eye ... ends in making everybody blind."

Point is: why you went for hostility when you could respond with indifference?

"Vocês se lembram de um sociólogo com doutorado na Inglaterra que fazia o gênero petista alfabetizado e trabalhava no banco central, mas vestiu a fantasia de petralha durante as eleições tecendo loas à dona Bronca? Chegava até a exaltá-lá como tecnocrata competente apesar de toda evidência contrária... Que fim levou ele?"

O blog NPTO voltou?

" why you went for hostility when you could respond with indifference?"

Because hostility means much more fun

"qual matéria da economia requer menos matemática.. comércio, macro, monetária?"

Sociologia, de preferencia na unicamp

"Eu achei interessante a discussão anterior dizendo que economistas deviam estudar analise real, medida, e analise funcional...uma lista que sugere que o seu autor não sabe muita matemática, but i digress."

A discussao nao era essa. E sim qual era o caminho para aqueles que queriam estudar mais matematica, muito util para tem quem quer se especializar em econometria, equilibrio geral, etc...

Sem duvida falta outras habilidades para o economista medio brasileira. Como por exemplo saber escrever um portugues claro e correto, habilidade retorica e boa argumentacao logica.

No dia 27/fev um comentarista anônimo postou:
" Anônimo disse...
http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/02/superavit-primario-e-o-maior-da-historia-e-paga-todo-juro-da-divida.html

ihhh, que que o carequinha vai falar agora...

27 de fevereiro de 2013 16:05 "

No dia 27/mar soubemos que o governo federal registrou um déficit primário de R$ 6,4 bi, o pior para o mês desde 1997 (quando a série começou).

Aí eu pergunto: cadê o comentarista?

OO Povo da República Sindicalista Socialista do Brasil, representado pela estimada líder Dilma I, promulgará semana que vem um decreto proibindo a prática da econometria em todo o território soberano e nacional.

Tal decisão foi motivada pela insistência dos usuários da estatística aplicada à medição econômica na existência de um erro aleatório em suas estimativas. Como toda a economia é controlada pelo governo e o governo nada mais é do que o próprio Povo guiado pela vontade geral, a suposição de que exista erro nos acontecimentos implica, necessariamente, em dizer que o Povo pode errar. No entanto, essa suposição somente pode ser uma iniciativa dos imperialistas, capitalistas e sanguinários (principalmente da “The Economist”) para desestabilizar e denegrir o governo do Povo. Aliás, a própria palavra denegrir será excluída do dicionário por simbolizar um passado escravista e cumprir a função social de oprimir nossos irmãos afros-descendentes.

Neste sentido e guiados pelos espíritos dos grandes camarilhas Marx, Lênin e Wagner Moura, não mais serão permitidas, por analogia, ilações, como as realizadas nesta página da rede mundial de computadores, sobre supostos desvios dos indicadores econômicos. Tanto a inflação quanto o crescimento econômico (e todos os demais indicadores econômicos imagináveis e inimagináveis) foram minuciosamente planejados dentro dos escritórios de Brasília pela equipe econômica do governo (ou seja, pelo POVO). Nossa estimada líder, porta voz eterna da Vox Populi já deixou claro que há prioridades diferentes para o Povo:

“Uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz para as suas crianças e para seus adolescentes, não é o Produto Interno Bruto, é a capacidade do país, do governo e da sociedade de proteger o que é o seu presente e o seu futuro, que são as suas crianças e os seus adolescentes”. Dilma I, estimada líder da RSSB.

Deixou claro, portanto, que o crescimento do PIB é antagonista à felicidade e desenvolvimento cívico das crianças e adolescente. Essa relação, sagazmente elucidada por nossa presidentA, é óbvia quando pensamos que o PIB nada mais é do que um conjunto de produtos capitalistas. A sua produção desenfreada estimula o consumo socialmente irresponsável de nossos jovens criando novas gerações de alienados.

Informo também, no alto do meu cargo de Pelego Defensor do Governo do Povo Contra Conspirações e Carrapato de Pentelho – PDGPCCCP (NU 4), que o Povo espera uma retratação formal do seus escritos.

Vox Populi Vox Dei
Abaixo The Economist
Fora FMI

Alex,

É divertido dar porrada nessa turma, mas é totalmente inútil. Discutir com petralha é como jogar xadrez com um pombo. Não importa o que você argumente, ele sempre vai derrubar as peças, cagar no tabuleiro e sair de peito estufado cantando vitória...

Vai ver, ele está em aula na UFRJ ou outra federal, ou está assistindo uma fala do Mantega e da Dilma em rede nacional...

Alex,

Onde pego o NUCI da FGV dessazonalizado???

Não encontro de jeito nenhum... Tem o link?

No Ipeadata não tem dessazonalizado...

"qual matéria da economia requer menos matemática.. comércio, macro, monetária?"

Não é uma questão de matéria. É uma questão de seriedade.

Ué, mas a meta não era 4,5% ao ano? Cuidado mercado financeiro, vem mais bronca aí: http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,bc-eleva-projecao-de-inflacao-para-acima-de-5-em-2013-e-2014,148823,0.htm. Incrível, a dona bronca vai lançar mais uma MP e acabar com a aleatoriedade na economia. Para finalizar, o que era o técnico Tombini na reunião dos Brics criando um fundo falso de US$ 100 bilhões? Quem acredita nesse papo furado?

Ignorância pode ser uma benção! O Lula nao sabia nada de economia e nao mexeu na base. Aliás, Meirelles era do PSDB. A Dilma estudou na Unicamp, implementa aquela bobagem toda e compromete um país!
Quase fiquei com saudade do Lula...

"Quase fiquei com saudade do Lula..."

O Lula rouba mas não faz! Pelo menos, não faz merda na economia.

PRODUTO POTENCIAL: uma dica para começar a calcular: Conjuntura Economica,dez. 2005,Fernando Holanda Barbosa( o mito do crescimento economico).Apenas uma página bem didatica.

"Não é uma questão de matéria. É uma questão de seriedade..."

WTF!!!

http://www.youtube.com/watch?v=dJY-GcRgnus

"Informo também, no alto do meu cargo de Pelego Defensor do Governo do Povo Contra Conspirações e Carrapato de Pentelho – PDGPCCCP (NU 4), que o Povo espera uma retratação formal do seus escritos."

Retrato-me, retrato-me, aliás, repudio, repudio...

"Alex,

Onde pego o NUCI da FGV dessazonalizado???"

O pessoal da MCM tem.

Só eu gosto do Friedman e do Lula ao mesmo tempo ?


Lula fez uma política econômica séria, ao deixar os economistas de verdade fazerem bem feito

e conteve a questão social-política-rent seeking como pode .... afinal todos querem tetas, ele não pode nega-las, mas ao menos administrava tudo de modo pouco conflituoso ....

" Anonimo says: 27 de março de 2013 17:07

"PIB potencial? O Brasil é desenhado para crescer abaixo do PIB mundial. Somos fechados ao comércio, intervencionistas desavergonhados, rent seeking até o fundo da alma e votamos em um semi-analfabeto para presidente e somos tão burros que achamos motivo de orgulho nisso. Fala sério, dá para acreditar em um futuro em que chegamos a ter 30% da renda per capita dos EUA? Nós não conseguimos nem nos livrar de Sarney."

Concordo em gênero e grau. Só colocaria, em busca de uma estória coerente para o nosso subdesenvolvimento, um ponto a mais: o tal processo de substituição de importação como eixo de política industrial. Já deu pra perceber que não se substituiu nada. Tal processo tem apenas uma pinta modernizante que para se sustentar, demanda, de tempo em tempo, importação de novas máquinas alienígenas. A indústria representativa desse processo amalucado é a automobilística e quanto mais cedo ela for colocada à prova , pela abertura comercial, melhor para nós, cidadãos comuns.

gostei do price and interest do woodford. agora poderia recomendar um pra micro, um pra macro, um pra comercio?

Por favor, leiam no Estadão e me teçam seus comentários:

Keynes e as metas de inflação
Fernando Dantas
21 de Março de 2013, 13h08

The accelerator is not a theory--it is a reduced form relationship. The fact that lagged income enters with a positive coefficient says absolutely nothing about the importance of demand for investment. That is not an identified equation.

"O"

----------------

Actually it is. Your discussing a particular method of measuring it. What the accelerator says is that there is a long run normal relation between productive capacity and demand, and that the former responds to the latter.



oleeeee

nos EUA os New Keynesian adoram o james galbraith

aqui os supostos new keynesian batem nos pos-keynesianos e nos economistas de esquerda

Dizer que inflação é fruto de elevação da demanda ou da insuficiência de oferta é, na minha opinião, um grande equívoco. É ignorar o básico: a lei da oferta e da demanda! Se há excesso de demanda de um produto, seu preço sobe, estimulando as pessoas a aumentar a oferta, a produzi-lo, o que faz com que o seu preço caia. Se o preço subiu num momento, vai cair em outro...anulando a sua "inflação" com a sua "deflação".
O problema da elevação de preços decorre, nitidamente, da expansão da base monetária, pois os preços sobem generalizadamente. Não é o tomate ou os enlatados o culpado, mas a redução artificial da taxa de juros, determinada pelo governo e não pelo mercado, e sem considerar a disponibilidade de poupança. Os preços sobem todos juntos, pois os vendedores percebem que os compradores tem mais dinheiro pra consumir (crédito). As pessoas não estão mais ricas, elas estão mais endividadas...

"nos EUA os New Keynesian adoram o james galbraith"

Seu comentário é absurdo. O Jamie Galbraith é virtualmente desconhecido entre os novos keynesianos americanos, e aqueles poucos que ouviram falar deste obscuro professor de escola de public policy no Texas muito provavelmente acham ele (1) um tanto esquisito; (2) quase-famoso por seu pai.

“Actually it is. Your discussing a particular method of measuring it. What the accelerator says is that there is a long run normal relation between productive capacity and demand, and that the former responds to the latter.



oleeeee”

Eu já havia visto a resposta do Vernengo e postei minha tréplica que ele provavelmente decidiu vetar.

Basicamente ao Matias Vernengo falta conhecimento básico de econometria que permitiria-o distinguir entre uma equação que estima um relacionamento de curto prazo (como aquela que ele postou em seu blog) e uma equação que estima um relacionamento de longo prazo (como ele descreve a equação que postara em seu blog). É um erro primário.

"O" Anonimo

não é meio estranho um cara q não deve entender nada de econometria trabalhar num banco central? a argentina é um bizarro world tremendo

Quantas ave-marias e pai-nossos o BC precisa reza,para que a inflação volte para a meta?

Se inflação abaixo de 20%a.a não afeta o crescimento (segundo vc mesmo), pq vcs se importam tanto?

alexandre é austriaco

ele disse em 2009

"Last, but not least, subsídios distorcem a alocação de recursos, levando a investimentos que possivelmente não seriam viáveis numa lógica de mercado, o que reduz o crescimento potencial da economia."

"O"

Voce nao acha o fato de economistas americanos nao conhecerem o james galbraith algo que tem a ver com nenhum economista mainstream prever a crise? ahh opa, entrei no tabu, nem mencione a crise e o caos social que os neoclassicos não preveram, com seus modelos onde dinheiro não faz diferença

vai no youtube e procura steve keen , o economista que melhor preveu a crise, o FIELDS procurou ele pra formular os novos modelos baseados em minsky e onde "money matters"

Na boa, eu fico mto indignado.. Bresser Pereira abortou uma hiperinflação, voces abortaram uma crise, pq para voces divida privada não importa.. BURROS

ps : se vcs tiverem o minimo de honestidade vão ler o debate entre o vosso queridinho Krugman vs Steve Keen o homem q preveu a crise

http://unlearningeconomics.wordpress.com/2012/04/03/the-keenkrugman-debate-a-summary/

"Se inflação abaixo de 20%a.a não afeta o crescimento (segundo vc mesmo), pq vcs se importam tanto?"

Esta errado. A evidencia disponivel eh que inflacoes acima de 10% nao afetam crescimento. Pelo menos os dados nao rejeitam esta hipotese...

Se alguem conhecer o contrario, favor compartilhar...

Perfeito! Crescimento baseado na expansão da base monetária não é crescimento, é inflação e endividamento! http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1557

Perfeito! Crescimento baseado na expansão da base monetária não é crescimento, é inflação e endividamento! http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1557

Os austríacos estão certos

Se mais dinheiro fosse o caminho para a prosperidade, todos os países do mundo poderiam tornar-se ricos em um instante porque nada é mais fácil para um governo do que aumentar a massa monetária e manter os juros baixos. Uma expansão artificial de crédito iniciada pela política monetária provoca ilusões sobre a sustentabilidade de novos projetos. A economia embarca numa trajetória insustentável e o ciclo econômico finaliza num colapso.


É totalmente diferente de um investimento baseado na poupança..


O que o Brasil vive é mais um caso de ciclo econômico de expansão monetária e de crédito.


Esses setores que recebem o dinheiro primeiro, seja crédito ou seja moeda, vão investir e gerar empregos(Como exemplo o setor de imóveis que anda com preços elevados e falta de mão de obra)... Tudo porque o crédito do setor segue em expansão.. Tais investimentos são insustentáveis por um motivo, enquanto a expansão de crédito durar haverá emprego baixo, os imoveis seguirão valorizando, e mais investimentos errôneos seguirão... Porem essa expansão monetária não pode durar para sempre, quando a oferta de crédito diminuir, esses investimentos se tornarão impagáveis, as pessoas não conseguiram pagar pelos imóveis muito caro, os trabalhos gerados vão evaporar e os preços despencarem... Temos mais um caso de bolha imobiliária gerada pela expansão monetária e alocação de recursos que não seriam viáveis em uma economia de mercado baseada na POUPANÇA.

Todos esses investimentos errôneos só duram enquanto a expansão monetária durar... Depois que os preços começarem a subir(Inflação e baixa produção) como já vem ocorrendo.. O banco central se vera obrigado a diminuir a oferta monetária, os juros vão SUBIR..


Temos o fim do ciclo econômico, os investimentos errados entram em colapso, uma correção de preços do mercado.. O que é chamado de recessão.

"Se inflação abaixo de 20%a.a não afeta o crescimento (segundo vc mesmo), pq vcs se importam tanto?

29 de março de 2013 15:10"

Pelo mesmo motivo que nao como merda, mesmo só 20g de merda por dia nao possam me fazer mal.

"ps : se vcs tiverem o minimo de honestidade vão ler o debate entre o vosso queridinho Krugman vs Steve Keen o homem q preveu a crise"

Ele "preveu"? E que mais vocês "preveram"?

so vi duas respostas vazias, mas blz, prefere ficar com mimimi de gramática

"so vi duas respostas vazias, mas blz, prefere ficar com mimimi de gramática"

Ih, mais uma ofendida...

Tabom cara, mas voces adoram criticar a laia heterodoxa pq eles "abortaram uma hiperinflação", que eu saiba os modelos de voces não tem credito e sim uma curva IS, daí ta rolando um caos social absurdo e voces não querem se responsabilizar? E sim, VOCE DISSE, "20% de inflação ao ano não altera em nada a economia" é só uma mere annoyance

"E sim, VOCE DISSE, "20% de inflação ao ano não altera em nada a economia" é só uma mere annoyance"

Mostre, ou venha pedir perdão...

checkmate foo' http://maovisivel.blogspot.com.br/2007/12/misria-da-epistemologia.html

E continue ignorando a questão do crédito e da crise, o silêncio diz tudo

Subdesenvolvimento não se improvisa, é construído peça a peça, com orgulho!!! Ela acaba de vir da Africa do Sul onde ensinou economia comunista ao Putin da Russia. Economia comunista (crescimento ZERO com pleno emprego dependendurado no ESTADO) Isso os Russos tiveram em escesso para não quererem mais, nem ouvir.

Começei a ler o inicio do debate e depois parei.

Bancos não podem ceder empréstimos indefinidamente, isso não faz sentido.

DO ESTADÃO:
“O diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo, afirmou que o aumento da taxa básica de juros é o melhor remédio para combater a inflação, num momento em que a escalada dos preços levou a autoridade monetária a piorar suas projeções de inflação para este e o próximo ano.”

UMA PESSOA QUE SE DIZ ECONOMISTA ESCREVEU O ABAIXO:
“TODOS de BOA FÉ sabem que a SELIC não afeta diretamente a inflação.
TODOS sabem que apertar as regras e o volume do crédito ou do cartão dão MUITO melhor e mais rápidos efeitos junto ao combate da inflação de consumo.”

As aulas do Serrano são uma maravilha. Na primeira vc aprende os modelos neoclássicos de crescimento, nas outras o quanto tá tudo errado e que a demanda responde tudo.

O Cavallo era um bom economista? O policymaking dele na Argentina foi compreensível?

Alex, põe mais Baygon porque os austrianos estão saindo de seus buracos.

Entre o panfletário Bresser e o panfletário Delfim,qual é o pior?

¨0¨, sua bronca com os austríacos é por causa do mantra acima?

Na boa, antigamente esse blog era ótimo, até didaticamente

Hoje em dia, o Alex ou o "O" postam a cada 3 dias respostas monossilábicas geralmente apenas irônicas, uma vez a cada mes postam algo mais didatico

acabou o tesão pela economia? a missão civilizatória deve continuar! por favor !


"checkmate foo' http://maovisivel.blogspot.com.br/2007/12/misria-da-epistemologia.html"

Try again:

"Para colocar a questão em termos mais mundanos, o número de vezes ao dia que alguém tocar a Macarena durante a primeira infância do seu filho muito possivelmente não irá afetar sua estatura na adolescência. Isto, porém, não é justificativa para tocá-la inúmeras vezes ao dia, a menos que você acredite que isto trará um aumento de bem-estar à criança (eu não acho, mas deixo isto a critério de cada pai). Da mesma forma, ainda que a inflação (abaixo de 20% a.a.) não prejudique o crescimento, qual a razão para que esta seja 8% a.a. ao invés de, digamos, 3%? Há algo de positivo na inflação mais elevada?"

Ou, para repetir o que eu disse acima: "Pelo mesmo motivo que nao como merda, mesmo só 20g de merda por dia nao possam me fazer mal."

Ou, se você ainda não entendeu:

1) Não fui eu quem disse que só a inflação acima de 20% prejudica o crescimento (por isto, o termo "ainda que")

2) Mesmo que não prejudicasse o crescimento isto não quer dizer que "20% de inflação ao ano não altera em nada a economia". Em primeiro lugar porque há mais variáveis do que o crescimento potencial (ah, você não sabia disso?): a taxa de juros, os salários reais, taxa de câmbio, a demanda por moeda, bem-estar, etc, etc, etc),

3) "Mere annoynace"... Que papozinho gay. Eu não preciso mostrar que estudei no CEL-LEP (kkk). Não, inflação não é "mere annoyance", e eu nunca disse isso, então leia de novo

4) Crédito: vá ler o Woodford & Cúrdia

Para facilitar sua vidinha inútil segue o resumo e o link:

We extend the basic (representative-household) New Keynesian [NK] model of the monetary transmission mechanism to allow for a spread between the in- terest rate available to savers and borrowers, that can vary for either exogenous or endogenous reasons. We find that the mere existence of a positive average spread makes little quantitative difference for the predicted effects of particular policies. Variation in spreads over time is of greater significance, with consequences both for the equilibrium relation between the policy rate and aggregate expenditure and for the relation between real activity and inflation.
Nonetheless, we find that the target criterion – a linear relation that should be maintained between the inflation rate and changes in the output gap — that characterizes optimal policy in the basic NK model continues to provide a good approximation to optimal policy, even in the presence of variations in credit spreads. Such a “flexible inflation target” can be implemented by a central-bank reaction function that is similar to a forward-looking Taylor rule, but that includes an adjusted for changes in current and expected future credit spreads. The implications for policy are thus similar in spirit to the kind of spread-adjusted Taylor rule proposed by Taylor (2008) and McCulley and Toloui (2008).


http://www.columbia.edu/~mw2230/credit_0709.pdf

O cabeça pelada, se inflação afeta juros, salário real, e outras variáveis, como que nao afeta o crescimento? se as variaveis que tu citastes AFETAM o crescimento direta ou indiretamente

ADMITE QUE ERROU LOGO..

"O cabeça pelada, se inflação afeta juros, salário real, e outras variáveis, como que nao afeta o crescimento? se as variaveis que tu citastes AFETAM o crescimento direta ou indiretamente"

Ô, schmuk (íidshe, não inglês):

1) Vou repetir: não fui em quem afirmei que não afeta o crescimento ("ainda que não prejudique o crescimento");

2) Se você não entende a diferença entre crescimento potencial e flutuação cíclica, tente estudar economia, porque só com sociologia não está dando...

3) Cadê a minha afirmação que inflação é mere annoynace...

4) Já leu o Woodford-Cúrdia ou a matemática te assustou?

P.S. "cabeça pelada", "mere annoyance"... Tá com jeito do engolidor de espadas...

"Na boa, antigamente esse blog era ótimo, até didaticamente

Hoje em dia, o Alex ou o "O" postam a cada 3 dias respostas monossilábicas geralmente apenas irônicas, uma vez a cada mes postam algo mais didatico

acabou o tesão pela economia? a missão civilizatória deve continuar! por favor !"

Pelo viso não acompanho o Blog a tanto tempo quanto vc, mas pelo que já li aqui e ja pesquisei também, os textos do Alex e do "O" são claros e muito didáticos, mas vá lá sempre tem essa de serem monossilabicos mesmo. Porém, devemos caminhar com nossas próprias pernas e tentar nos aproximarmos dos conhecimentos deles e não sempre ficar na dependência de didatismo.

Eles já dicas pra caramba, pelo menos desde o tempo que acompanho. E o mais legal pra mim é isso, eles acabam me influenciando a ir em busca de mais conhecimento, não só aqui, mas em vários outros blogs.

Bom, era isso!

Flw

O Celso Barros, o tal blogueiro que aqui se está curioso para saber onde está, continua no Bace e escreve no blog amalgama, pouco regularmente, é verdade. Sempre foi petista. Ao contrário dos liberais que jamais dizem que são tucanos (ou demos), ele demonstra sempre enorme honestidade no que escreve e na sua filiação partidária.

Ai Alex,

O pedro garcia Duarte da USP é muito muito bom, né?

Impressionante... Conhece ele??

abs

Não conheço não. Falha minha.

Em termos de publicação, esse Pedro Garcia Duarte é um zero à esquerda. Só põe artigo em journals sem importância.

"Em termos de publicação, esse Pedro Garcia Duarte é um zero à esquerda. Só põe artigo em journals sem importância."

Sério, eu tenho pena desse tipo de comentário...

Onde você anda publicando anômino afetado dai de cima? O cara num tem uma econometrica ou uma american economic review, mas muito gente boa também não tem. De toda forma é um cara muito produtivo.

Verdade. O Pedro eh historiador economico e deveria publicar na Econometrica ne! Que cara merda! Cada comentario aqui, Deus do ceu

haha

Alexandre,

À que você atribui o descasamento do mercado de trabalho e do mercado de produto?

Abs

conhece o teu xará Alexandre B.Cunha PhD em minesota? Da aula na UFRJ.. ele e o Castelaar (conhece) são os ortodoxos de la.. sempre puxo materia cm eles

O Alexandre B. da Cunha foi meu professor no mestrado do IBMEC, ele é muito bom, além do PhD em Economia trouxe um mestrado em matemática lá de Minesotta, só não sabia que ele leciona na UFRJ pq a linha dele é novo-clássica ao extremo...

"...conhece o teu xará Alexandre B.Cunha PhD em minesota? Da aula na UFRJ.. ele e o Castelaar (conhece) são os ortodoxos de la.. sempre puxo materia cm eles..."

Faz você muito bem!!!!

"O Pedro eh historiador economico e deveria publicar na Econometrica ne!"

História econômica, HPE, metodologia da economia... Tudo áreas nas quais os acadêmicos de baixo calibre técnico (diga-se domínio de referencial econométrico e MATEMÁTICO) se escondem para disfarçar sua incapacidade.

Só no Brasil, país dos tagarelas, esse pessoal tem alguma credibilidade.

O Economista X tem razão - devemos estudar Microeconomia com cuidado e atenção.

Senão nos transformaremos em bobocas.

Alex, você deve ter lido. O que acha? Esse cara tá pirando?
"Maior queda da bolsa na história está por vir em breve, avisa David Stockman"

http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-ndices/noticia/2716980/maior-queda-bolsa-historia-esta-por-vir-breve-avisa-david

Com abraços.

DO UOL
" Inflação tem 'resistência', e governo pode tomar novas medidas, diz BC. "
"O BC controla a taxa básica de juros da economia (Selic) e é responsável por manter a inflação baixa."

Demorou. E esta demora foi responsável por uma desarmonização na conjuntura presente e futura. E o custo para o país?

Eu puxei Econometria e Mat. Fin com o Castelar. O Alexandre B Cunha eu puxei Internacional e Macro II.

Cara, é muito bizarro ter aula com doentes mentais como o Modenesi em monetaria de manha e depois ter aula com eles. A diferença de nivel e exigencia é absurda.

Alias vou ter que alugar o livro do Cardim de monetaria pra estudar.. pqp..

Quem manda nesse país são as grandes indústrias, que através da sua grande "influência" $$$ no governo, são descaradamente protegidas da concorrência externa através das taxações aos importados.

O governo deveria abrir a economia, reduzindo as barreiras aos importados. O problema de demanda não atendida, pela ineficiente e protegida indústria nacional, seria solucionada pelos importados. A inflação consequentemente reduziria, a lei da seleção natural nos livraria das nossas indústrias capengas, somente os mais eficientes sobreviveriam.

Não podemos ser bons em todas as áreas da indústria, nenhum país é bom em todas as áreas da indústria. Temos que buscar nosso foco mas sem protecionismo e sim com eficiência e investimento.

A UFRJ é igual a USP, são dois zoológicos.

Alex
O Ming anda te chupando. Alguém mais te chupa?

"Alguém mais te chupa?"

Thanks, but no, thanks...

Pelo tipo de proposta, é o Presuntinho, ou um simpatizante.

O Reinaldo Azevedo acabou de publicar um post absurdamente retardado sobre inflação. De fazer inveja ao Nassif.

"é o Presuntinho, ou um simpatizante."

kkkk

O,

Algum comentário sobre o post do Reinaldo Azevedo?


Digno de comedor de alfafa?

E ainda chama ele de inteligente....tssss

Podem nao gostar alguns doentes mentais que habitam este blog de vez em quando, mas da para fazer um bom curso de Economia na UFRJ (graduacao), muito, mas muito melhor do que em varios outros lugares.

Armando Castelar, Alexandre Cunha, Fernando Cardim, Mario Possas, Francisco Eduardo Pires de Souza, David Kupfer, Franklin Serrano, Joao Saboia, Fabio Freitas, Nelson Barbosa, Antonio Licha, Margarida Gutierrez, Helder Queiroz... podem nao concordar, mas todos nomes de muito peso e com gigantesca bagagem teorica!

O Pedro Duarte eh um dos melhores professores da USP sem a menor sombra de duvida.

Nao ter uma economatica ou americam economic review nao desqualifica o cara nem um pentelhesimo... argumento tipico de idiota que ta comecando agora no mestrado...

Alex tambem nao tem publicacoes nestas revistas e eh um dos melhores economistas do Brasil. Tanto eh que vc (anonimo) frequenta o blog dele e comenta...

Alex, by the way, para os que não querem seguir o receituário de professores aloprados (modenesi), qual seria tua recomendação de livro para monetária I? (graduação)
abs

"...Não podemos ser bons em todas as áreas da indústria, nenhum país é bom em todas as áreas da indústria. Temos que buscar nosso foco mas sem protecionismo e sim com eficiência e investimento..."

É claro que um país pode ser bom em todas as áreas da indústria. Ele pode, inclusive, ser o melhor em todas as áreas produtivas (não somente indústria). A maravilha, entretanto, é que, mesmo assim, COMÉRCIO IRÁ AUMENTAR SEU BEM-ESTAR!!!!
O que valem são as vantagens comparativas, não as absolutas!!!!
Saudações
PS: Sobre a UFRJ ser um dos melhores cursos de graduação no país. Mesmo os heterodoxos sendo o que são, é melhor ter aula com o Possas do que com algúm heterodoxo muito pior que ele, não é mesmo? Mas, se este departamento fosse sério, que espetáculo teríamos, não?

O sujeito falando do Pedro é um bobão, certamente vai passar a vida sem produzir nada que importe.

Desculpe me intrometer no debate, mas como corolário do raciocinio, vc acha que o Alex tambem vai passar a vida sem produzir nada que importa???

PS: na UFRJ também tem o Getulio Borges, Hugo Boff, Jorge Chami e Narcelo Resende, todos excelentes economistas.

Tirando estes escassos ortodoxos o que resta na UFRJ não presta pra nada, muitos deles marxistas que defendem equivocadamente as idéias keynesianas. Tenho pena do Alexandre Cunha...

Quem nao presta é voce!!!

"Quem não presta é voce!!!"

Meu caro, vc pode se enganar, mas se pensa que o "bull shit" que aprende com aqueles comunistas vai te entregar alguma posição no mercado de trabalho está muito enganado. Boa sorte tolinho ( ou seria tolinha?).

Alex já produziu coisas que importam, todos os dias faz isso aqui mesmo, não é? De outro lado, embora não seja um acadêmico também já teve contribuições. Quem eu disse que não fara algo importante num é o Pedro é o cara que ta dizendo que ele é fraco.

Anonimo anti-UFRJ

larga de ser idiotinha, todas as graduações 'grandes' são +ou- iguais. Onde voce pode criticar é o mestrado e doutorado. Fui

Pró-UFRJ

Filho, a garotada da graduação do IBMEC sai de lá muito bem colocada. Entendeu?

Alexandre,

Faltou o Senhor no livro do Bacha sobre o debate acerca da desindustrialização ou não ndo país. Confesso que ainda estou lendo e analisando, mas dava pra ter um artigo seu.

Abs

Anti-UFRJ

Graduação é irrelevante. Vai se informar.

Entao o conhecimento cientifico agora se mede em termos do que se aceita no mercado de trabalho?

E mais, supondo que voce esteja certo (obvio que nao), garanto que a colocacao dos formados na UFRJ no mercado de trabalho sempre foi excelente!!!!!

Pró-UFRJ,

Assim fica difícil...boa sorte.

Anti-UFRJ

Cara eu sei que é difícil estudar na IBMEC e não ter nenhuma vida social. Aí é mais fácil criar um espantalho na cabeça em que a UFRJ só tem sociólogo marxista e só sai aluno mal formado de lá. Pena que os números mostram o contrário. Abraço

Artigo interessante, ainda mais mais se considerarmos um neoclássico falando que a inflação é de custos.

"Anônimo says: 4 de abril de 2013 22:05 Reply
Artigo interessante, ainda mais mais se considerarmos um neoclássico falando que a inflação é de custos."

Pergunta.

Você é:

1) Burro; ou
2) Analfabeto; ou ainda
3) Incapaz de distinguir movimentos da curva de oferta do movimentos ao longo da curva de oferta?