teste

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Jumento de Ouro (de volta!)

Fazia algum tempo que não premiávamos alguém por suas contribuições inestimáveis à teoria econômica, mas o artigo de hoje do Amir Khair consegue ser ainda pior que o habitual. Vejam que beleza:


na eventualidade de retomada da inflação, não é a Selic que serve para controlá-la, pois o que segura a demanda são o crédito e a própria inflação, que corrói diariamente o poder de compra da maior parte da população




Não que a ideia propriamente dita seja nova (já foi comentada neste post), mas isto não a torna menos cretina (na verdade aumenta seu teor de cretinice, mas podemos parar por aqui).




next record

Reações:

95 comentários:

Como diriam os boleiros, não precisa se preocupar com a inflação, "a natureza marca". Grande alívio, agora podemos nos preocupar com o que realmente importa.

É o oposto da inflação inercial.

E o Nakano: http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/11/8/dois-mitos-sobre-a-poupanca-nacional

1) De fato, nos fundamentos teóricos dos neoclássicos estuda-se a decisão do
consumidor, mas a empresa (firma) é identificada apenas por um conjunto de curvas de custos.
Nesse mundo teórico, as categorias lucros, dividendos e lucros retidos não existem.

2) Quando se considera a empresa como uma complexa organização dirigida por executivos, que
busca maximizar lucros e distribuir dividendos para os acionistas e interagindo com outras
empresas, o equilíbrio geral, para o conjunto da economia, fica indeterminado e as conclusões
teóricas se desfazem.

3) Nessa forma de pensar, a taxa de poupança é um dado exógeno, um dado não explicado pelo
modelo.

4) Lucro não depende da decisão da empresa, depende do volume de vendas
(demanda agregada) e seus preços, que resultam da negociação da taxa de salário com os
trabalhadores e da competição e interação com as demais empresas.

Lamentável! Esse cara é "respeitado" aqui no Brasil.
Abs
Daniel

"O momento é agora, pois a crise está aí." Aí aonde? É básico que, antes de se propor medidas, tem que se ter um diagnóstico. Esse é o problema de se basear em manchetes de jornais e não nos dados e análises.

Não acredito que o Khair e o Nakano sejam economistas (devem ser produtos piratas).

Desculpa, mas não consigo parar de rir aqui com o que eu li hahahah

Inflação pra combater inflação? É tipo um gordinho comer mais sorvete (normal, não diet) e churrasco pra emagrecer!

Abs,

Joao Bosco

Anonimo das 11:03, cuidado para não confundir uma teoria diferente com estupidez...

O melhor modo de parar o movimento de um objeto é acelerá-lo: quanto mais rápida a queda, mais cedo se encontra o chão!!

Jorge Browne, você não deve ter notado, mas quem fez isso foi o Nakano.
Eu citei afirmações que ele fez sobre a "teoria neoclassica". Estão todas incorretas! Mostram desconhecimento básico (introdutório mesmo), mas ainda assim ele não se omitiu em fazer criticas infundadas sobre aquilo que não conhece.
Abs
Daniel

Tem uma versão dessa teoria pra finanças, muito usada por analistas de renda variável: quanto mais cai o preço da ação, melhor, pois aumenta o upside no futuro.

Falando do Nakano... eu já li muita barbaridade escrita por ele, mas ainda não consigo acreditar que ele não conhece o mais rudimentar de economia neoclássica. Alguém já teve contato com ele? Ele é tão desinformado assim ou só, digamos, distraído?

"Alguém já teve contato com ele? Ele é tão desinformado assim ou só, digamos, distraído?"

Trabalhei anos com o Yoshiaki: desinformado é uma forma delicada de classificá-lo.

Será que esse Khair foi aluno do Nakano na FGV?

A única função que terá a inflação fora de controle, é nos livrar dessa quadrilha que se apossou do país.

Até agora não consegui entender o que ele estava querendo dizer.

Uma pergunta: ele ja' khaiu ou ainda vai khair?

Caso ele khaia, existe algum buraco mais fundo?


Abracao


Kleber S.

Algum comentário sobre o recuo da inflação?

http://economia.ig.com.br/inflacao-volta-a-recuar-e-fortalece-banco-central-de-tombini/n1597364076819.html

Que recuo da inflação?

Se você se refere à inflação acumulada em 12 meses, está em linha com o que quase todo mundo esperava, i.e., inflação no último tri de 2011 menor que no últimor tri de 2010 (por este motivo, mesmo com o IPCA acima de 7% em 12 meses, as previsões eram - e continuam sendo - de um IPCA próximo a 6,5% este ano).

Se você se refere, como o BC se referiu, à taxa dos últimos meses (que estaria já correndo à velocidade da meta), houve aceleração da inflação: a inflação mensal média do terceiro tri foi 0,35% (e o BC comemorou dizendo que naquele momento a inflação rodava em torno da meta); com o resultado de hoje mais os Top 5 para nov-dez, a média mensal do quarto tri parece ser superior a 0,45%.

Isto dito, todo mundo espera que a inflação caia (o Focus para o ano que vem está 5,6%, que - salvo enagano - é menos do que 6,5%. A questão não é essa; a questão é se vai para 4,5%, como afirmado pelo BC, ou acima. Adivinhe minha resposta.

"Eu citei afirmações que ele fez sobre a "teoria neoclassica". Estão todas incorretas! Mostram desconhecimento básico (introdutório mesmo)"

Sério? Então eu também devo estar lendo os livros errados... de acordo com os neoclássicos é claro.

"Trabalhei anos com o Yoshiaki: desinformado é uma forma delicada de classificá-lo."

Ouch... agora minha tarefa passa a ser achar alguém que já tenha trabalhado com o Larry Summers e possa dizer se ele é ou não tão escroto como pintam.

Jorge Browne, daí você nota o nível do ensino de economia no Brasil...Esse senhor é diretor da EESP. Se ele assistisse as aulas de macro I no mestrado que ele comanda não falaria tanta besteira.

Quais besteiras? No ponto 4) faltou inovação. Mas e o resto?

"Quais besteiras? No ponto 4) faltou inovação. Mas e o resto?"
Em geral, modelos neoclássicos não tratam inovação. Se não achou os erros e ainda errou quando pensou que achou, volte ao começo.

Quais besteiras? que tal essa:
"Nessa forma de pensar, a taxa de poupança é um dado exógeno, um dado não explicado pelo
modelo."
não sabia que a teoria neoclássica tinha acabado no modelo de solow.

http://www.valor.com.br/politica/1092274/lindbergh-pede-retirada-de-projeto-que-da-novas-atribuicoes-ao-bc

Tombini com culhões? Who'd say?!

Para não perder o embalo, Claudia Safatle hoje no Valor:
"O corte na taxa Selic este ano pode representar uma economia de gasto com o pagamento de juros da ordem de R$ 10 bilhões ou mais em 2012. Esses recursos ajudariam na administração do Orçamento para cumprir a meta de superávit primário "cheia" de 3,1% do PIB no próximo ano."
Ihh hooo
Daniel

"3) Nessa forma de pensar, a taxa de poupança é um dado exógeno, um dado não explicado pelo
modelo."

Precisa mais do que isso?

Agora, o jumento veterinário de ouro:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/uma-prova-que-exige-que-o-candidato-se-alinhe-ideologicamente-com-o-examinador-chega-e-preciso-comecar-a-acionar-a-justica/

Claro que o jumento veterinário a que me referi foi o autor da questão da residência em medicina.

DRUNKEYNESIAN


Assista ao documentario "Inside Job" e tire suas proprias conclusoes sobre Larry Summers.

Abracao

Kleber S.

Por favor, quem selecionou os artigos de macro da ANPEC????

Que coisa terrível...

"Para não perder o embalo, Claudia Safatle hoje no Valor:
"O corte na taxa Selic este ano pode representar uma economia de gasto com o pagamento de juros da ordem de R$ 10 bilhões ou mais em 2012. Esses recursos ajudariam na administração do Orçamento para cumprir a meta de superávit primário "cheia" de 3,1% do PIB no próximo ano."

A CS é um expoente da nossa imprensa especializda (escuta, pensa e escreve bem). A frase citada representa o pensamento do Nelson Barbosa. A Claudia fez uma coluna mais informativa do pensamento do Secretário.
Apesar de uma queda na selic não representar sempre uma redução de custo para o TN, no cenário atual a afirmação pode ter procedência (mas em relação à receita do TN, talvez não.). Em um cenário inflacionário ascendente, uma queda da SELIC fará a parte da dívida corrigida por IPCA e IGPM subir, os juros pré idem (as renovações ficam mais caras). O TN só conseguirá vender títulos corrigidos por selic pagando ágios. Mentiras e artificialismos têm perna curta (a credibilidade do BC cai e a previsibilidade vai atrás).

PESSOAL

Postem ae o endereco da Claudia Safatle que eu vou mandar um pacotinho de alfafa pra ela. A colheita aqui na PA acabou de ocorrer, ela devera' sem duvida achar uma delicia!

Abracao

Kleber S.

MAG,

uma coisa é achar que cortar a SELIC na marra seria bom porque reduziria o déficit nominal. Podemos discordar, mostrar que os efeitos deletérios são piores e até que o efeito não seria o de reduzir o déficit nominal, pois o governo teria mais dificuldades de se financiar, dado que os juros de longo prazo tenderiam a subir (via aumento de expectativa de inflação).

Mas o que ela falou foi sobre meta de SUPERÁVIT PRIMÁRIO... isso não é visão econômica equivocada, é erro contábil!!

Mudando de saco pra mala. Será que o Brasil não tem agenda mesmo? Sou só eu que vejo medidas em ação para virarmos exportadores de manufaturados eletrônicos ou pelo menos adquirirmos autonomia no setor?

Sem contar o escoamento da soja: melhorias em logística náutica e terrestre, infraestrutura, produção de insumos (ressuscitando nossa produção de terras raras, restauração de ferrovias), medidas diversas na área fiscal (facilitação na instalação de multinacionais, na abertura de empresas de menor porte, reduções tributárias), formação técnica, medidas protecionistas.

El Cabong: a declaração foi do Nelson Barbosa e não da CS (ela escreveu até entre aspas). Jornalistas informam e analisam (a coluna foi informativa da opinião do secretário). Não conheço a CS (nem tenho procuração para defendê-la) apenas admiro sua capacidade (é jornalista do mais alto nível).

Desculpe Piovezan, em que país você está? No meu no Brasil eu não vejo nada disso "Sou só eu que vejo medidas em ação para virarmos exportadores de manufaturados eletrônicos ou pelo menos adquirirmos autonomia no setor?

Sem contar o escoamento da soja: melhorias em logística náutica e terrestre, infraestrutura, produção de insumos (ressuscitando nossa produção de terras raras, restauração de ferrovias), medidas diversas na área fiscal (facilitação na instalação de multinacionais, na abertura de empresas de menor porte, reduções tributárias), formação técnica, medidas protecionistas.
Produtor de manufaturados eletrônicos? Você tá de brincadeira ou acredita em factóide comprado pelo Mercadante? Melhorias de logista? Você anda por estradas? Só se for pelas pedagiadas paulistas que os petista tanto jogam pedra. Logistica nautica? Que catso é isso? Logistica marítima no país é uma piada. Restauração de ferrovia? As privatizadas no governo FHC pouco conseguem fazer, pois estão em péssimo estado. O ferroanel de SP não saí nunca pois precisa do aval do governo federal, que óbvio trava tudo.Terras raras, nossa a última vez que ouvi isso foi durante o projeto RADAM, só se vc se refere a contrabando. Medidas diversas na área fiscal, vc se refere a gastos descontrolados? Tributos, só se for aumento de carga fiscal, o último incentivo que me lembro foi a isenção so Kassab para a construção do Itaquerão.Formação técnica vc se refere às ETCS e Fatecs de SP? Ah protecionismo vc tem toda razão, vai beneficiar muito os consumidores. Ah vai escrever lá no Nassif vai. faça-me o favor.

Alex,

Me tira uma dúvida, por favor?

Estou escrevendo sobre taxa de juros e, no meu capítulo teórico, não quero correr o risco de fazer uma interpretação enviesada sobre a teoria neoclássica da determinação da taxa de juros.

É possível afirmar que, para a teoria neoclássica, taxa de juros é uma variável determinada pelo equilíbrio entre Investimento e Poupança, tal como argumentava Wicksell?

Att,

BBM

Vai no Macroeconomic Theory do Sargent, o que estiver escrito lá é a caracterização acurada da determinação dos juros em um modelo clássico.

Anônimo, sei que soei meio "PT" mas a intenção não foi essa. Ao que me consta a nossa produção de terras raras está sendo ressuscitada sim e, pasme, tem empresa de mineração californiana fazendo o mesmo.

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=reservas-terras-raras-brasil

Quanto aos incentivos, me refiro a Lei do Bem, aos incentivos estaduais para receber empresas como a Foxconn, e mais algumas que não vou ter o trabalho de buscar pra você criar estardalhaço em cima. Já vi por que aqui o povo adota o anonimato.

Mag,

Vc não entende nada de mercado


Muito se criticou o BC dentro da sua linha "mentira tem perna curta", mas a verdade é uma a só:

Observamos não somente uma queda em toda a estrutura a termo como uma desaceleração da curva, o que ridiculariza suas afirmações....

Espero que vc não aposte nos cenários que defende....

"Estou escrevendo sobre taxa de juros e, no meu capítulo teórico, não quero correr o risco de fazer uma interpretação enviesada sobre a teoria neoclássica da determinação da taxa de juros."

Teoria Neoclássica: síntese da teoria clássica e keynesiana.
Parece que você quer se referir ao que Keynes definiu como teoria clássica do juro. No "Teoria Geral" terá a definição dada por Keynes (o que ele definiu como clássico).
Se de fato quiser libertar-se da amarra (escravidão intelectual) do recurso utilizado por muitos (a maioria desonestamente) de definir pensamentos contrários distorcendo-os de acordo com seus interesses, procure ler os autores originais (ali encontrará a verdade e verá que é diferente e não tão simples).
O espaço do blog é inadequado para discussões teóricas. É espaço para vapt-vupt. Os livros modernos de macroeconomia discorrem resumidamente sobre o assunto (os autores clássicos foram muitos e as visões nem sempre iguais).

Anônimo das 17:36.
Não fiz nenhuma crítica ao BC (neste blog), nem escrevi sobre a curva de juros do momento atual.
Leia com atenção.

Piovezan você deveria ler o que postou, o Brasil tem reservas de "terras raras" e praticamente não produz, e pasmem, quem está na matéria, Mercadante,o mesmo dos tablets, aqueles quem um dia, quem sabe, a Foxcon irá produzir aqui. Acho difícil porque aqui é mais complicado explorar escravos como fazem na China. Faça-me o favor, sem propaganda chapa branca.

O MAG tá contaminando o blog com idiotices...de onde veio esse rapaz?!

Que piada... Esse Piovesan leva o Mercadabte a sério!

Anônimo das 08:49; você contribuiu com o quê para o Blog?

Anônimo: Pois é, "quem sabe um dia" a Foxconn irá produzir tablets aqui... Truco!

http://economia.ig.com.br/em-segredo-foxconn-comeca-a-produzir-iphone-no-brasil/n1597290050550.html

Não querendo polemizar e nem defender político ou partido, mas por acaso no curso de economia tem alguma matéria anti-PT, ou isso fica por conta do que papaizinho dizia depois do almoço, lendo o Estadão no sofá? Gente assim antes de ler Keynes deveria dar uma lida em "A Revolução dos Bichos" para se tocar que político no geral é farinha do mesmo saco, só muda o discurso... não chega a 100 páginas. ;) E quanto a defender Mercadante, tou fora.

Quanto ao trabalho escravo, antes que alguém queira trucar, a fábrica da Motorola em Jaguariúna/SP já faz algo parecido contratando a molecada e mandando embora antes de completar 3 meses.

"Quanto ao trabalho escravo, antes que alguém queira trucar, a fábrica da Motorola em Jaguariúna/SP já faz algo parecido contratando a molecada e mandando embora antes de completar 3 meses."

Juro que eu tinha vontade de fazer um exame de DNA no Piovesan para saber que tipo de besta que inseminou sua progenitora. Criancas de 3 meses nao tem coordenacao motora para trabalhar em uma fabrica de celulares, omigod.

“Anônimo: Pois é, "quem sabe um dia" a Foxconn irá produzir tablets aqui... Truco!”

Minha interpretação é que o melhor argumento para um pessimista sobre o Brasil é que ainda existem políticos com poder neste país que acham que subsidiar uma empresa para instalar uma fábrica de tabletes a preço acima do mercado internacional NÃO é uma ideia tão ruim que beira um crime de lesa-pátria.

"Criancas de 3 meses nao tem coordenacao motora para trabalhar em uma fabrica de celulares, omigod."

O, ele quis dizer 3 meses de serviço, deixa de ser burro.

Rs... Tem gente que não consegue reconhecer uma ironia...

Bem acho que ninguém aqui estudou na unicamp(em minúscula mesmo depois daquele doutorado nojento dado ao Mercadante)e não é tolo o suficiente para defender as "idéias" que você defendeu. Me espanta você não ter citado as "brilhantes" iniciativas do BNDES em "fortalecer" a industria nacional, jogando bilhões no colo dos espertalhões de sempre. Piovesan se liga vai, de atitudes de porcos o PT entende bem, já que você mencionou a revolução dos bichos.

Pois é amigo jumento, digo "O" Anônimo, todos sabemos que isso esbarra no custo-Brasil, mas vale acompanhar a coisa com um mínimo de atenção. Veja que de repente a melhoria da internet é assunto, e sinceramente não me interessa se quem está empurrando essa mudança é PT ou PMBD ou quem quer que seja. Ou devemos ser pessimistas sobre tudo?

Nos podemos ser realistas ou idiotas. Se o governo diz que vai subsidiar a SELIC, meu conhecimento de historia do Brasil e de economia nao me deixam muita escolha.

Ciencia e tecnologia eh muito importante. Eh possivel uma prova mais contundente que C&T nao eh importante para o governo brasileiro do que a nomeacao de Aloisio Mercadante para aquela pasta?

"O"

Nós podemos ser realistas ou idiotas. Se o governo diz que vai subsidiar a Fox-Conn, meu conhecimento de historia do Brasil e de economia nao me deixam muita escolha. 

Ciencia e tecnologia eh muito importante. Eh possivel uma prova mais contundente que C&T nao eh importante para o governo brasileiro do que a nomeacao de Aloisio Mercadante para aquela pasta?

"O" 

Salve o Google hein. :)
Agora, esse problema das nomeações não acho que seja específico do MCT. O que foi demonstrado, na minha opinião, é que a "distribuição da pilhagem", ou de pastas, tinha mais prioridade que a adequação do nomeado. Tanto que não faltou pressão da oposição na tentativa de garantir um naco maior. E concordo que o Mercadante é sensacionalista demais ao anunciar qualquer coisa. Mas daí para achar que eu faço propaganda do cara, vamos com calma.

Ao sugerir uma possível busca de autonomia em manufatura de eletrônicos no Brasil, posso sim ter citado algum argumento fraco e minha intenção era que a discussão girasse em torno disso (sem falta de educação de nenhuma parte), o objetivo era identificar para onde o vento está soprando, se é que está soprando para algum lado.

Aliás se querem saber, na minha opinião não vale a pena alimentar raiva deste ou daquele partido, o PT já fez o que precisava para se salvaguardar no poder (às custas de muito bolsa-família e também salário mínimo suficiente para a "nova classe média" brasileira gastar em Casas Bahia e afins sem que isso descambe em inflação incontrolável) e no momento está mais interessado em como conquistar o eleitorado paulista do que com qualquer outra coisa. Traduzindo: conformem-se com o reinado do barbudinho e não deixem que animosidades contra o partido dele impeçam de olhar as coisas com mais frieza. Até porque de esquerda o PT não anda tendo é nada.

Já imaginou querer analisar cenário global chamando o Hu Jintao ou o Putin de "aqueles comunistas nojentos"? É muito McCarthismo pro gosto de qualquer um...

Ops! Nem dá pra chamar mais de barbudinho, agora é só bigodudinho. :)

Sobre a produção de Ipads no Brasil recomendo ler o excelente artigo http://mansueto.wordpress.com/2011/10/18/qual-a-logica-de-producao-de-ipads-no-brasil/#comments
A melhor análise sobre o assunto. A Aple fica com 30% enquanto a soma de todos os outros países envolvidos na fabricação (Taiwan, Japão e Coréia do Sul) fica com 10%. O restante para somar 100% é de distribuição e Matéria Prima.
Existe interesse de fabricar aqui? É outro Trem-bala.

O Merdandante nao e' inutil. Ele pode - e deve - ser usado como um mau exemplo.

Abracao

Dizer que o PT não é um partido de direita é atentar contra a razão. Só falta o sujeito dizer o PSDB é liberal.
Acorda. Como diria Roberto Campos, o liberalismo nunca deu as caras nesse subcontinente.

Alguns partidos precisaram ser liberais em um momento ou outro, mas por pura conveniência.

Bom então chegamos a um consenso que a escolha do Mercadante para o MCT foi totalmente estratégica... para o seu partido. "Se der tempo depois escolhemos alguém competente para a pasta".

Quanto ao post sobre a divisão de valor de um iPad supostamente produzido aqui, a perspectiva é tão ruim assim? Atendo-se aos números do gráfico e descontados os impostos, fica 30% para o fabricante (Apple) que é quem agrega valor ao produto, 31% para os insumos (basicamente nacionais, não?) e 15% para distribuição e varejo (também nacionais, correto?). É tão ruim assim?

Da série "Agora Vai":

http://www.zerohedge.com/news/berlusconi-blames-stock-market-volatility-cocaine-abuse-traders

From Bloomberg: Italian Prime Minister Silvio Berlusconi's Undersecretary Carlo Giovanardi said the government will study if it's feasible to conduct drug tests on stock-exchange traders, with the help of the Milan Bourse and the country's market regulator.

Antidoping na rapaziada..agora vai!



The Anchor

Aliás, o que achei interessante foi isso aqui: http://mansueto.wordpress.com/2011/11/09/livro-a-agenda-de-competitividade-do-brasil/

Aproveitando que estamos próximos ao tema, qual é na sua opinião a explicação histórica para os norte-americanos darem mais valor à educação que os brasileiros? (não vale dizer "duh, não são brasileiros" :). Como foi que eles conseguiram vencer a "preguiça de estudar", a falta de quórum nas escolas?

(Não sei se o comentário foi postado, vai de novo)

Sobre um suposto iPad "assembled in Brazil", se formos nos ater aos números do gráfico e descontados os impostos do governo, fica 30% para o fabricante (Apple, que é quem agrega valor ao produto), 31% para os insumos (basicamente nacionais, não? Ah sim, ninguém põe fé na produção de terras raras...) e 15% para distribuição e varejo (também nacionais, correto?). Essa proporção é algo tão terrível assim?

O maior problema da educação no Brasil, e nos países onde educação é um problema, é muito poder para sindicato de professores.

O BNDES incentivando desenvolvimento tecnológico seria cômico se não fosse trágico. Ou alguém acredita que frigoríficos são líderes em P&D?

Dese quando uma empresa chinesa vir ao Brasil montar equipamentos desenvolvidos nos EUA significa inserção soberana (ae, sacaneei) no mercado de tecnologia? Vai ser mais ou menos como foi nossa inserção soberana na produção de automóveis? Compre um Opalão pelo preço de 3 BMWs?

Comunista é o O. O Hu Jintao e o Putin são ditadores nojentos.

P.S. Por favor, evitem este tipo de discussão quando eu estiver viajando.

"O maior problema da educação no Brasil (...) é muito poder para sindicato de professores."

Sério? Por isso professor primário é tão "bem" pago? Se liga. Professor é um coitado, faz jornada dupla pra ter salário decente e muitas vezes não dá conta de preparar a próxima aula por causa disso, e também porque está sempre levando serviço pra casa (correção de provas, trabalhos e exercícios, e ninguém paga essas horas extras dele). Isso se não estiver dando aula em São Paulo ou outro estado que adote a ridícula progressão continuada (vulgo "aprovação automática") e tendo que ensinar marmanjo a ler e escrever em plena oitava série porque seus antecessores foram impedidos de reprová-lo. Pra que mesmo que esses índices de reprovação (e também de evasão escolar) são adulterados? Ah sim, para garantir os saborosos aportes de verba para educação vindo de organizações como o Banco Mundial.

Quanto aos tablets, estrategicamente falando não havia muito a ser feito, penso eu. Tecnologia que evoluiu rápido demais e a Apple já tem um nome e um público alvo que gosta de pagar de elite. Mas para o estrago não ser total, temos as notícias do projeto de tablet com GPS e AVL voltado para o setor de Segurança pública. Não acredito que seja 100% nacional mas também é querer demais para uma proposta dessas no curto prazo.

"Sério? Por isso professor primário é tão "bem" pago? Se liga."

Infelizmente, ou felizmente, salário não é a remuneração do tempo de trabalho (nem mesmo do esforço), salário é dado pela produtividade marginal. Basta olhar o resultado dos testes que estudantes brasileiros são submetidos para ver que todos este esforço dos professores não é muito produtivo.

Mas o verdadeiro problema dos sindicatos é que bloqueiam toda e qualquer tentativa de aumentar a eficiência do ensino. O Sebastian Edwards trata disto (Left behind...) caso tenha interesse. De fato creio que esta é a conclusão de quase todo mundo que estudou o assunto, não lembro agora de ninguém sério que tenha conclusão muito diferente.

"Eh possivel uma prova mais contundente que C&T nao eh importante para o governo brasileiro do que a nomeacao de Aloisio Mercadante para aquela pasta?"

Eu acho que é pior: o governo acha C&T importante e acha que Mercadante é o cara certo...

Tablete brasileiro cheira "mosaico". Do grande Moises.

Em tempo:

Antigamente a henti xamava de haitequi montar radinho di pilha, que subistituia o radiao di valvula. Tudo com ssubizidio, pra gerar emprego e "capacitacao tecnologica". Agora aplicam o mesmo raciocinio pro tableti. Daqu a 35/40 anos vao ssubizidiar o que, hein, torcida?

Que tal parar de pensar pequeno, so' para variar um pouquinho?

Abracao

Kleber S.

Colocar a culpa nos professores é barra pesada . . . sem romantismos sobre o tema, mas o problema da educação no país esta longe de ser um problema de força de sindicatos.

De fato, só quem não percebe é filhinho de papai criado a leite com pera. Quero lembrar que essa argumentação do S. Edwards não passa de uma suposição feita ao extrapolar para o restante da América Latina a situação do Chile (terra do cara e lugar onde estudante se mobiliza para conseguir ensino público de qualidade), e que essa extrapolação é vista com bastante reserva por quem revisou o livro.

Quanto à tecnologia, o certo é que daqui a bem menos que 35/40 anos o subsídio irá para a próxima revolução tecnológica, que é a smart TV, e para a fábrica de telas a caminho.

Leite com pera? Só se for filhinho de papai falido.

Pensando bem... o que esperar de um cara que classifica smart TV como revolução tecnológica? Talvez que cite "o revisor" de um livro, vai saber.

TV com internet é o próximo gadget de impacto, não tenha dúvida. Não espero que você entenda por quê, se não é capaz de entender a situação dos professores do próprio país... De qualquer forma taí o link do review.
http://www.foreignaffairs.com/articles/66712/sebastian-edwards/left-behind-latin-america-and-the-false-promise-of-populism

Aproveite e veja essa entrevista com o cara e quem sabe cai a ficha que a contexto não se aplica aos professores brasileiros (a melhor educação é a chilena, lá os problemas são outros). Aqui em terra brasilis, meu caro, professor faz greve para conseguir piso salarial de R$ 1.187,00. Pergunte à sua faxineira, entre um golinho e outro da sua vitamina, como é a realidade da escola pública.

Este comentário foi removido pelo autor.

A moçada não entende porque os sindicatos de professores tem culpa pela baixa qualidade da educação publica.

Eles tem culpa porque os sindicatos são o principal empecilho para uma política de atração de profissionais de melhor qualificação via aumentos de salário. Pois se um governante resolver adotar tal política, ele seria forçado a oferecer os salários altos para os bons e maus professores. Também sao os sindicatos que bloqueiam qualquer tentativa de demitir-se os maus professores.

Então é uma falácia dizer que os sindicatos de professores não tem culpa no cartório pela educação porque professores ganham pouco. O oposto é verdade: professores ganham pouco PORQUE são sindicalizados.

Nada disso. Vamos combinar uma coisa? A gente discute a questão sem distorcer e puxar a sardinha para si, e tentamos chegar à situação real. Existe uma diferença muito grande entre "ter culpa no cartório" e "ser a principal causa".

Direto da fonte, palavras de uma professora do estado: "Os sindicatos brasileiros são fraquíssimos, se dobram por qualquer ameaça do governo estadual, isso quando não estão mancomunados com o próprio governo e contra os professores. Quanto aos salários, aqui ainda temos sorte, você não sabe como são os salários do nordeste."

Para arrematar: "A MAIORIA dos meus colegas faz jornada dupla ou tripla, pra tentar ter uma aposentadoria decente."

Que ninguém me acuse de puxar a sardinha para o meu lado: a dificuldade na avaliação do professor existe e é motivo de muita discussão entre os docentes. Mesmo assim sou da opinião de que é possível encontrar um conjunto razoável de metas e gerar competição entre os professores, sem necessidade de demissão. Tudo girando em torno de um salário decente sem necessidade de jornada dupla.

Veja o relatório anual da UNESCO. Página 284, remuneração anual dos professores. A discrepância entre os salários de primeiro e terceiro mundos. Detalhe, o Brasil foi um dos que omitiram dados a esse respeito.

Aproveite e cite os "demais que estudam o problema" além do Sebastian Edwards.

"Leite com pera? Só se for filhinho de papai falido."

Não podia deixar de comentar. Já repararam no quanto certas áreas são psicopatizantes? Medicina, economia. Se o cara deixa subir à cabeça, começa a pensar que é Deus... Na boa, olha a empolgação, moçada. :)

"Aproveite e cite os "demais que estudam o problema" além do Sebastian Edwards."

Está falando sério? Eu cito um cara da academia, com um monte de paper publicado, que está em uma escola top e etc. Você cita "o revisor" e uma professora do estado que é obviamente parte interessada e você me pede mais citação?

Depois eu que penso que sou Deus só porque papai tinha coisa melhor que leite com pera para me dar.

Pois é Anônimo da madrugada (00:47) mas isso aqui não é campeonato de citação, além do que "salário é dado pela produtividade marginal" não passa nem perto de como os salários dos professores são definidos. Nem perto mesmo.

De resto os sindicatos são parte do problema, como todas as outras "instituições" envolvidas. Até onde acompanhei as evidências apontam que o grande preditor do desempenho educacional de um indivíduo é a escolaridade dos pais, especialmente da mãe. Como se rompe esse ciclo? Essa é a questão. Botar na conta dos professores (e seus sindicatos) é reduzir muito.

Adendo. Já faz alguns anos tive acesso a base de dados do SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) e, na corrida, vi que nem correlação havia entre a infraestrutura escolar (laboratórios, biblioteca, etc) com o desempenho dos alunos.

Tudo muito improvisado eu sei, mas durma-se com um barulho desses como diria meu avô. Por falar nisso, alguém tem dica de pesquisa empírica nessa área?

Pessoal,

Ficar discutindo "educação" nunca levará a nada. Esse é só mais um fetiche da esquerda politicamente correta de querer "mudar o homem".

Educação formal não serve para nada. Ficou na moda por causa do Estado interventor pós-segunda guerra mundial, com sua fome por técnicos burocratas para planejar o implanejável (a economia) que, para se destacar nos seus meios, na inexistêcia de qualquer indicador de produtividade, impunham suas titulações.

Em um mundo realmente livre, cada indivíduo seria avaliado pela sociedade de acordo com a sua COMPETÊNCIA, e não pelos seus anos de estudo (carregado de tralhas ideológicas como o marxismo e o positivismo) registrados em um pedaço de papel. Para exercer funções técnicas, indivíduos racionais procurariam meios de instrução quando achassem que o investimento fosse rentável.

Att.,

Vienna Man

"Pois é Anônimo da madrugada (00:47) mas isso aqui não é campeonato de citação"

Não sou eu quem está pedindo mais citações.

"além do que "salário é dado pela produtividade marginal" não passa nem perto de como os salários dos professores são definidos."

Foi o que eu disse.

"Já faz alguns anos tive acesso a base de dados do SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) e, na corrida, vi que nem correlação havia entre a infraestrutura escolar (laboratórios, biblioteca, etc) com o desempenho dos alunos."

Análises com estes dados apontam para o papel dos sindicatos. Os sindicatos bloqueiam o uso de técnicas eficientes de ensino além de forçarem para baixo o salário médio dos professores (o O já explicou como). Escolas em que o diretor "peitou" o sindicato e implementou mudanças gerencias premiando resultados e focando no aluno (não no professor) tiveram melhoras significativas em suas avaliações. isto ocorreu a despeito de não terem corrido mudanças nas condições sociais dos alunos. Como você disse estrutura física não explica resultados, olhe melhor que você vai ver que, por exemplo, tamanho de turma e/ou salário dos professores também não.

Se deseja saber mais a este respeito olhe na FGV-SP. Tem um monte de gente boa por lá fazendo pesquisa sobre este tema. Mas tome cuidado para não abrir a porta errada...

Taí uma proposta desafiadora. Eu quase lancei uma idéia melhor, a de abolir a discussão em si, mero artefato comunicativo inventado por fêmeas primitivas para melhor administrar a criação dos filhos dentro das cavernas. :)

Mas falando sério, a despeito das pesquisas sobre criatividade aos 40, não há momento melhor para aproveitar o cérebro em formação do que a infância. E outro dia descobriram que quem tem mais vocabulário raciocina melhor. E bem, se com educação formal o mundo já é "assombrado por demônios", como diria Carl Sagan, imagine sem...

Jorge Browne: vou ficar devendo dica (o próprio estudo da UNESCO que citei recebeu os dados de um instituto brasileiro, ou seja, durma-se com um barulho desses, rs), em todo caso trombei com este artigo comparativo de vários países (infelizmente de 1991, mas já é alguma coisa).

E pra quem estiver curioso sobre como é o sistema educacional norte-americano, achei esse aqui.

Piovezan

A solução é acabar com ensino público para retardados (cursos de economia, administração, contabilidade, direito e afins) e concentrar o gasto em educação pública hardcore (engenharia, física, química, geologia. Ciência de verdade, sabe?).

E não é que as lideranças chinesas têm (ou tinham até bem pouco tempo) esse mesmo tipo de pensamento na hora de incluir alguém na cúpula tecnocrática deles?

Anônimo da madrugada. Ok, mas o "O" não explicou, deu uma opinião, bem informada mas ainda assim um ponto de vista.

Quanto a culpar os sindicatos, até posso entender que interesses corporativos atrapalhem. E muitas vezes atrapalham. Mas reduzir tudo a problema de sindicalização é ingênuo (olha a Alemanha e seus poderosos sindicatos). Além do mais se a estrutura escolar e o salário dos professores não se correlacionam com desempenho imagino que o nível de sindicalização também não.

Mas já estamos off topic demais...

"Mas reduzir tudo a problema de sindicalização é ingênuo (olha a Alemanha e seus poderosos sindicatos)"

Quem disse que reduzi tudo a um problema de sindicalização?

O que escrevi foi:

"O maior problema da educação no Brasil, e nos países onde educação é um problema, é muito poder para sindicato de professores."

É impressionante como ninguém contestou dizendo qual seria o principal problema da educação no Brasil. As respostas são sempre do tipo você é "filhinho de papai" ou alteram o que eu disse para responder o que eu não afirmei.

Claro, tem sempre quem cite "o revisor". Em geral são pessoas que não se incomodam de afirmar:

"... próxima revolução tecnológica, que é a smart TV, e para a fábrica de telas a caminho."

para, quando contestados, responder com:

"TV com internet é o próximo gadget de impacto, não tenha dúvida."

Assim com se "gadget de impacto" e "revolução tecnológica" fossem sinônimos.

Bom, vamos lá. Citei smart TV porque o grau de interatividade decorrente disso é sem precedentes, nem o próprio Google - a empresa - sabe direito o quanto, eles fazem um laboratório de Google TV com funcionários interagindo para tentar avaliar. Se as redes sociais são (literalmente) infraestrutura para revoluções, imagine um televisor realmente interativo, alavancado com as próprias redes sociais e ligado a gadgets como smartphones e tablets. Mas é minha opinião.

"Revolução tecnológica" pode e é frequentemente usada como sinônimo de "gadget de impacto", na área de informática e na mídia especializada ("google" e verás), assim como você pode argumentar que Steve Jobs era um gênio, um visionário, ou simplesmente um cara antenado que exerceu adequadamente um pouco de futurologia em favor da empresa.

Quanto às razões para o problema de educação no Brasil, vou deixar explícito o que ficou implícito nos meus comentários: eu acreditava serem relacionados à baixa remuneração do professor, resultando em uma carga horária excessiva e pouca motivação, e à elevada evasão escolar, além da adulteração e mascaramento dos respectivos índices de rendimento pelos órgãos competentes, especialmente quando é aplicada a "aprovação automática", digo, "progressão continuada". Mas em parte estou errado porque alguns desses problemas afetam mais o professor do que o aluno. E acredito que em parte a resposta certa consista em comparar a educação norte-americana com a nossa, e lá eles têm escolas fortemente descentralizadas, maior contato com os pais dos alunos, e registram em currículo inclusive o comportamento do aluno desde a infância e mais algumas coisas que faltam por aqui. Mas já saquei que seria mais produtivo me embasar por alguma pesquisa feita a esse respeito. Infelizmente não considerei de início as que você citou porque pareciam muito discrepantes com a minha visão inicial do problema.

Piovezan

Vamos parar de chamar o pessoal que discorda de você (ou que fala coisas claramente erradas, como nesse caso) de cretinos? Essa sua mania de levar pro pessoal, seguindo o estilo Olavo de Carvalho e Reinaldo Azevedo de argumentação, me faz olhar para vocês 3 como seres humanos cada vez mais desprezíveis, por mais que eu concorde com quase tudo que vocês 3 falam.

"Vamos parar de chamar o pessoal que discorda de você (ou que fala coisas claramente erradas, como nesse caso) de cretinos? "

Hãã... Não.

Reli, ficou muito "mea culpa". Esclarecendo. "Mas já saquei que seria mais produtivo me embasar por alguma pesquisa feita a esse respeito AO INVÉS de pelos professores, já que eles mesmos parecem não ter a resposta inteira para o problema. E isso não garante que os economistas a tenham. Nem que não tenham."

Pronto.

Piovezan