teste

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Nobel 2011

The Sveriges Riksbank Prize in Economic Sciences in Memory of Alfred Nobel 2011

Thomas J. Sargent, Christopher A. Sims

Thomas J. Sargent
Christopher A. Sims

Thomas J. Sargent

Christopher A. Sims

The Sveriges Riksbank Prize in Economic Sciences in Memory of Alfred Nobel 2011 was awarded jointly to Thomas J. Sargent and Christopher A. Sims "for their empirical research on cause and effect in the macroeconomy"


P.S. Segue abaixo o autógrafo do Tom Sargent na minha cópia do Dynamic Macroeconomic Theory. (Tudo bem, comprei o livro com desconto e devia ter apagado antes de pedir o autógrafo, mas foi meio de surpresa)



(Okay, I bought the book at a discount and should have deleted before asking for an autograph, but was kind of surprise)

Reações:

54 comentários:

Pelo menos, o Alex colocou a fonte.
Pior fez o G1, do Globo, que "fez uma tradução" paraguaia. Leiam na parte destinada a detalhar a data de nascimento e local de trabalho.
Incrível nossa fonte de informações. Santo Cristo!

Pesquisadores norte-americanos foram anunciados vencedores.
Eles estudaram causas e efeitos de políticas adotadas pelos governos.

Do G1, em São Paulo
imprimir

Os pesquisadores norte-americanosThomas Sargent e Christopher Sims foram os escolhidos para o Nobel de economia 2011, informou nesta segunda-feira (10) a Academia Real das Ciências da Suécia.

Sargent, da Universidade de Nova York, e Sims, da Universidade de Princeton, foram premiados por pesquisa que analisou a relação de causa e efeito das políticas macroeconômicas adotadas pelos governos, como corte de gastos do governo e aumento de juros, e como elas afetam a economia.

Sargent, nacido en 1943 en Pasadena, ejerce en la Universidad de Nueva York.
Sims nació en 1942 en Washington y trabaja en la Universidad de Princeton.

saiba mais

* Veja a lista dos dez últimos ganhadores do Nobel de Economia

Ao telefone com o comitê do Nobel, instantes após o anúncio, Sims disse que o prêmio foi inesperado. "Estava dizendo às pessoas que eu não deveria levar", disse.

Questionado sobre como seu trabalho poderia ser usado para ajudar a resolver a crise financeira global, Sims, foi cauteloso: "Se eu tivesse uma resposta simples para isso estaria espalhando para o mundo. Não há resposta simples".

Brados
Martins

Fresh water uma ova! 

O Sargent transcende a etiqueta de fresh water (tanto que é dele o artigo que mencionei aqui afirmando que a oferta de moeda não tem relação alguma com o nível de preços nos EUA nas últimas décadas).

Já o Sims nunca pertenceu à clique alguma.

Modelos lineares. Tristeza. A economia é um processo não linear, com múltiplos equilíbrios.

Premiar modelos lineares é como explicar a experiência de Michelson-Morley usando transformações de Galileo. Nem errado está.

Alguma coisa eles devem ter feito, sei lá, vocês que são economistas devem saber, eu que sou leigo devo estar errado.

"fresh water uma ova"
Chora marxista enrustido.
Saudações rubro-negras

"Fresh water uma ova!"

Sims foi de Minnesota a vida toda. Ele é, sozinho, o responsável por mandar pro LIXO aqueles modelos keynesianos cheios de equação com "restrições de identificação incríveis".

Se o Sargent não é fresh water...

porrahn

Então não sei quem mais é...

Chora O.

"Is this a fresh-water macro prize? Sargent is surely identified with that school, and to some extent these techniques have tended to be associated with fresh-water modeling. But they’re much more widely used than that. For example, Barry Eichengreen, who does a lot of quantitative economic history from a relatively Keynesian perspective, routinely uses Sims-type time-series techniques, e.g. in this paper on multipliers in the Great Depression."

Paul Krugman

Ou seja, fresh-water rules!!!

Relaxa, molecada. Eu sou fã do Sargent faz mais de 20 anos. E dizer que o Sims é fresh water é meio fun da picada. Os métodos dele são mais fáceis de encontrar em artigos do pessoal salt water, para começar a conversa.

Justiça foi feita: Lucas, Prescott e Sargent construíram a Macro moderna e ganharam o Nobel!!!!!!!!!!!!

Dark Ages my ass

Chuuuuuuupa Krugman

Hahahahahahahahaha

P.S. Só falta o O chamar o Sims de keynesiano... rofl

Do twitter do Easterly:

The anti-Keynesians get the Nobel Prize http://bloom.bg/niFkvG

Nada a acrescentar.

Chupa "O"!

Chupem keynesianos-comunas-estatólatras!

Att.,

Vienna Man

"E dizer que o Sims é fresh water é meio fun da picada."

Ele acabou com aqueles modelos keynesianos caducos.

Minnesota é perto do mar?

Concordo com o Noah Smith, a economia é uma ciência que visa descartar modelos quando não explicam o que acontece na realidade. Em macro é impossível realizar experimentos (lembre dos choques). Claro que, utilizando um programa qualquer, obtenho as simulações que quiser. Para nos desfazermos das ideias que não funcionam, temos a história econômica e, claro, a econometria. Mas a econometria está muito longe ainda de se tornar o árbitro que irá resolver as disputas teóricas. Depois desta parada, vou retornar para a minha leitura de Krugman e Dixit.

Espera um pouco criançada... Eu duvido que o Krugman tenha se referido a Sargent ou Sims quando falava em Macro Dark Ages. Eu pelo menos não me lembro de Sargent ou Sims terem criticado as políticas de sabor keynesiano e a política monetária ativa desde a crise de 2008.

Mais que isso, quando o pessoal da Macro Dark Ages (exemplo: John Cochrane) saiu mundo afora expondo a profissão de economista ao ridículo ao afirmar que não é possível gasto público estimular a economia (não existe nenhum modelo macroeconômico em que tal afirmação, proferida pelo Cochrane seja correta) ou que a economia americana estava prestes a conviver com juros e inflação altos, o Sargent publicou um artigo na American Economic Review mostrando que não existe nenhuma relação entre oferta de moedas e nível de preços nas últimas décadas nos EUA. Ou vocês acham que o artigo do Sargent na AER não é uma reação contra a Macro Dark Ages?

Thomas Sargent é, há muito tempo, um economista mainstream, bem mais próximo do monetarismo friedmaniano do que das estultices que saíram de Minnesota depois que ele se mudou para Stanford (alguém já viu o Sargent fazer Business Cycle Accounting?).

Dark Ages não está relacionada a um ou outro resultado, está relacionada ao "esquecimento" da macro dos anos 50. Nas palavras do Krugman:

"The answer, I think, is that we’re living in a Dark Age of macroeconomics. Remember, what defined the Dark Ages wasn’t the fact that they were primitive — the Bronze Age was primitive, too. What made the Dark Ages dark was the fact that so much knowledge had been lost, that so much known to the Greeks and Romans had been forgotten by the barbarian kingdoms that followed."

Toda esta história de Dark Ages ganhou corpo quando o Krugman ganhou o Nobel (merecidamente) por seu trabalho em Economia Internacional e achou que tinha recebido uma carta branca para reconstruir a Macroeconomia. Em sua missão quixosteca Krugman decidiu voltar a macro dos anos 50 e, de quebra, declarou inútil toda a macro do último terço do século XX (aquela que o Sargent ajudou a construir). Só faltou pedir para retirar o Nobel do Prescott e do Lucas.

O barbudinho do NYT queria trazer o modelo IS-LM de volta aos cursos avançados de macro. Um curso de macro que seguisse o livro do Sargent (o dos anos 80) seria classificado como dark ages, o mesmo valeria para um que seguisse o livro do Sargent dos anos 90. Aliás alguém que se formou em Chicago e/ou Minnesota estudando pelo livro do Sargent seria classificado como exemplo de dark ages, pois não estudou modelos IS-LM (um professor meu se referia a esta macro como "garbage from the 70s", aluno do Sargent...)

Se alguém achou que o Nobel do Krugman era um sinal da Academia, o novo recado foi dado. Sargent e Sims são expoentes de uma macroeconomia que "esqueceu" a macro pré 70, no caso do Sargent é mais do que isto. Ele ajudou a enterrar o que o Krugman quer trazer de volta.


P.S. 1: O Prescott já tinha falado sobre a ausência de correlação positiva entre P e M (http://www.minneapolisfed.org/publications_papers/pub_display.cfm?id=225) em 1990! Ele também não é fresh water?

O, nao adianta levar a sério maluco. A natureza marca essa galera.

E verdade, eles sao dois novo keynesianos, O.
Igualzinho ao krungman e eles dois tambem acham que economia tem muita matematica!!


Tambem eh verdade que o que o que o cochrane fez nao foi perguntar ao krungman qual exatamente das hipoteses da equivalencia ricardeana o krungman acredita que sejam violadas pra expansao fiscal ter algum efeito.

E nao, ele nao tava criticando a ideia de o estado pagar um cara pra cavar buracos e outro pra tampa-los: da na mesma!
Fazer isso ou aproveitar o que quer que sejam os motivos porque a ricardean equivalence nao funciona da na mesma!

Parabens aos novos keynesianos. Vida longa as suas politicas macro!!! Vamos elevar gastos publicos!!! Eu so nao quero ta aqui qd chegar a hora de pagar por isso. Ou ter esses titulos na hora do calote.

Ansioso para ler a coluna do Delfim comentando o Nobel..



The Anchor

Ahh...quem sabe a presidenta não se impolga e lê um pouquinho do Sargent:

http://www.mpls.frb.org/research/QR/QR531.pdf

TA

Pessoal, observem a foto do Sims e vejam como ele é a versão americana do Fernando Holanda Barbosa...

Discussão boba... Um ano ganha de um lado, outro ano ganha do outro. O cara não ganha por pertencer a escola X ou Y, mas por ter dado contribuições importantes.

Pode até ser uma "sinalização" dos suecos sobre o que acham melhor... Mas o fato é que o Nobel têm influência zero sobre decisões políticas.

Excelente entrevista com o Sargent para o Fed Minneapolis. De Set/2010.

http://www.minneapolisfed.org/publications_papers/pub_display.cfm?id=4526

Abraços

J.

http://www.minneapolisfed.org/publications_papers/pub_display.cfm?id=4526

"O cara não ganha por pertencer a escola X ou Y, mas por ter dado contribuições importantes."

Na marca!

contribuicoes relevantes em MACROECONOMIA (e nao economia internacional): Fresh water.

E nao tem essa de "um ano um ganha, e no outro ganha outro lado". MACRO eh fresh water. O resto eh fabula.

Dear O:

"President Obama should have been told that there are respectable reasons for doubting that fiscal stimulus packages promote prosperity,
and that there are serious economic
researchers who remain unconvinced."

from here:

Excelente entrevista com o Sargent para o Fed Minneapolis. De Set/2010.

http://www.minneapolisfed.org/publications_papers/pub_display.cfm?id=4526

Abraços

J.

Ainda tem gente que pensa que estimulo fiscal vai ajudar a Europa mas foi exatamente por causa de políticas deficitárias que eles estão daquele jeito. Se tem algo de errado com as ideias Fresh Water tem algo a ser explicado com relação ao receituário keynesiano.

“E nao tem essa de "um ano um ganha, e no outro ganha outro lado". MACRO eh fresh water. O resto eh fabula.”

Falou então. Uma pena então que praticamente todas as organizações que empregam macroeconomistas (Feds, IFIs, Wall Street, hedge funds, Avenida Faria Lima, City of London etc) discordam de você.

"http://www.minneapolisfed.org/publications_papers/pub_display.cfm?id=4526"

Muito boa entrevista. Sargent é um dos gigantes.

“Tambem eh verdade que o que o que o cochrane fez nao foi perguntar ao krungman qual exatamente das hipoteses da equivalencia ricardeana o krungman acredita que sejam violadas pra expansao fiscal ter algum efeito.”

Por que isso importa? Se eu falo que o Bahia não vai ser campeão brasileiro de futebol em 2012, importa saber se é porque a defesa, o ataque ou o técnico do time é ruim?

Equivalência ricardiana não existe, é absolutamente irrelevante. Que o Cochrane tenha feito tal pergunta apenas demonstra que ele (1) vive no Dark Ages da Macroeconomia; (2) não tem vergonha alguma de fazer papel ridículo e virar motivo de piada, em nome de defender o sogro.

Mais, mesmo se equivalência ricardiana não fosse uma curiosidade teórica tão irrelevante como os bens de Giffen, gastos do governo têm efeito positivo no produto em um modelo de equilíbrio geral clássico bem standard com equivalência ricardiana.

Digo mais, duvido que exista algum macroeconomista de fresh water que não saiba disso. É um resultado bem básico.

“O Prescott já tinha falado sobre a ausência de correlação positiva entre P e M”

Vai ler com mais atenção. O teste do Prescott é sobre correlação cíclica, já o teste do Sargent e Surico é sobre movimentos de baixa freqüência. São completamente diferentes.

"Vai ler com mais atenção. O teste do Prescott é sobre correlação cíclica, já o teste do Sargent e Surico é sobre movimentos de baixa freqüência. São completamente diferentes."

Sério? Você é um rapaz perspicaz!!! Então o Sargent e o Surico publicam na AER um resultado que não a é mesma coisa que o Kydland e o Prescott fizeram em 1990? Eu pensava que a AER costumava publicar resultado de mais de 10 anos, lá se vão meus planos para o próximo ano...

Amanhã tenho aula com o Obstfeld. Vamos ver se ele vai comentar.

Que são diferentes ninguém duvida. O ponto é que o Prescott não está "comprando" a TQM e ninguém vai dizer que é uma crítica a macro dark ages. Aliás, TQM é mais coisa dos monetaristas (e dos austríacos, mas só dos que seguem este blog) do que do pessoal de Minnesota.*

O Sargent não é dark ages porque isto só existe nos delírios do Krugman. O fato é que Sargent, Lucas e Prescott, fizeram um grande favor de enterrar** a macro que o Krugman quer resgatar.

* Sobre economia monetária e o "pessoal de Minnesota" ver: http://research.stlouisfed.org/publications/review/10/07/Williamson.pdf

** Enterrar no sentido de uma agenda de pesquisa, como ferramenta continua sendo válida, ou seja, sai da pós fica na graduação.

Dear O:
From the same
"In early 2009, I recall President Obama as having said that while there was ample disagreement among economists about the appropriate monetary policy and regulatory responses to the financial crisis, there was widespread agreement in favor of a big fiscal stimulus among the vast majority of informed economists. His advisers surely knew that was not an accurate description of the full range of professional opinion. President Obama should have been told that there are respectable reasons for doubting that fiscal stimulus packages promote prosperity, and that there are serious economic researchers who remain unconvinced.

Rolnick: Do any New Keynesian models provide any support for the CEA numbers?

Sargent: Some do; some don’t."

Renato:

Escreva aqui se o Obstfeld disser algo. Ele foi o melhor professor que tive.

Abs

Sobre a entrevista do Sargent:

Está bem claro que no trecho em que comenta o estímulo fiscal de Obama, Sargent se distancia da idéia que estímulo fiscal não tem efeito no produto (conforme Cochrane e Fama). Tanto que ele menciona que há discordância na profissão, mas se recusa a dar sua opinião, diferentemente de outras perguntas durante a entrevista.

Em outro trecho que você parece ter omitido, quando perguntado sobre os multiplicadores do gasto de governo no policy paper da Romer, Sargent os defende citando o subsequente trabalho de Christiano e companhia que confirma que sob condições semelhantes àquelas vigentes em 2009, gastos de governo podem ter multiplicadores bem grandes.

"Falou então. Uma pena então que praticamente todas as organizações que empregam macroeconomistas (Feds, IFIs, Wall Street, hedge funds, Avenida Faria Lima, City of London etc) discordam de você."

E daí? Não passam de antros de socialistas-lobbystas querendo parasitar os recursos da sociedade!

"Se eu falo que o Bahia não vai ser campeão brasileiro de futebol em 2012, importa saber se é porque a defesa, o ataque ou o técnico do time é ruim? "

Importa saber se são os burocratas do governo que usam seu poder discricionário para enterrar o time. É uma simpls questão de superar a alienação.

"Equivalência ricardiana não existe, é absolutamente irrelevante."

Ah, e almoço grátis existe, não é mesmo??? Pega o manual do Mankiw, que você esqueceu os princípios básicos de economia.

"Escreva aqui se o Obstfeld disser algo."

Esse salt water deve dizer "hin hóin, hin hóin, hin hóin, riiiiinch!".

Att.,

Vienna Man

"“E nao tem essa de "um ano um ganha, e no outro ganha outro lado". MACRO eh fresh water. O resto eh fabula.”

Falou então. Uma pena então que praticamente todas as organizações que empregam macroeconomistas (Feds, IFIs, Wall Street, hedge funds, Avenida Faria Lima, City of London etc) discordam de você."

Nao posso deixar de fazer o paralelo: Tipico argumento de flamenguista: "E dai q os outros sao melhores? A gente tem mais torcida..."

Em uma palavra: lamentavel.

Caro MoralHazard,
Eu sempre pensei que vocês da água fresca acreditassem nas propriedades alocativas do mercado...

"Caro MoralHazard,
Eu sempre pensei que vocês da água fresca acreditassem nas propriedades alocativas do mercado..."
Touchê!
Mas vamos aguardar se os que entendem as teorias do Mantega vão dominar o mercado e o meio acadêmico. Ainda é cedo para cantar vitória, no Brasil temos os paranoá water.

No debate acadêmico, pior que o "argumento flamenguista" é o argumento da autoridade. Só porque fulano ou sicrano falou, então todos devem rezar esta ou aquela cartilha. Sugiro ao MoralHazard ler um pouco de Popper: as teorias científicas são meras conjecturas. Boa teoria é a que propõe previsões bem definidas, submetendo-se ao crivo da análise empírica.

"Eu sempre pensei que vocês da água fresca acreditassem nas propriedades alocativas do mercado..."

Todo economista SÉRIO acredita.

Att.,

Vienna Man

" Caro MoralHazard,
Eu sempre pensei que vocês da água fresca acreditassem nas propriedades alocativas do mercado..."

Humm Moral Hazard, creio que foi um check mate..


TA

"Nao posso deixar de fazer o paralelo: Tipico argumento de flamenguista: "E dai q os outros sao melhores? A gente tem mais torcida..."

Opa!!! Até aqui tem torcida arco-iris...só que vale a ressalva, este argumento não é flamenguista, exatamente por que somos os melhores e temos a maior torcida.
Saudações rubro-negras

alex e o,
o mestrado em economia da puc do chile é respeitado no meio academico?vale a pena cursar?um abs

"Nao posso deixar de fazer o paralelo: Tipico argumento de flamenguista: "E dai q os outros sao melhores? A gente tem mais torcida..."

...e mais títulos, ganha nas provocações e, sim, se diverte muito mais...

;^)))

um pouco mais sério. eu não sou economista e não dou a mínima para a camisa que cada um veste mas, pelo que tenho lido, o trabalho do Sargent foi baseado exatamente na rejeição dos modelos pós-keynesianos (IS-LM), não?

Nem uma palavra. Só endogenous growth.

""Caro MoralHazard,
Eu sempre pensei que vocês da água fresca acreditassem nas propriedades alocativas do mercado..."
Touchê!
Mas vamos aguardar se os que entendem as teorias do Mantega vão dominar o mercado e o meio acadêmico (sic). Ainda é cedo para cantar vitória, no Brasil temos os paranoá water."

Acho que a resposta a essa profusao de economistas desse tipo ta ai ne? Nao sei nem se eu preciso dizer mais nada... Sinceramente, acho que voce escreveu isso e depois pensou "ih... falou conteudo mesmo... mas agora ja foi"

Palavrinha chave: Incentivo.

Ou voce acredita mesmo que os recursos nao estao otimamente alocados dadas as preferencias de obama, empregados do FED e o resto da rapaziada que tem q dar um jeito de prever qd eh q o governo vai entrar distorcendo o mercado, quem vai ser favorecido, quem vai pagar, etc?

Sim. A primeira parte de 202A. A segunda será o Romer.

Fiquei muito feliz com o premio pro Sargent.
Pra minha sorte ele foi o professor de Macro 2 no meu primeiro ano do PhD. Melhor curso de macro que ja tive...bem simples, ele seguia o livro dele com o Ljungqvist. É um excelente professor, claro e com algumas tiradas boas. Deixo algumas aqui so por curiosidade.
As duas primeiras acabei de receber de uma classmate. A terceira eu mesmo tomei nota na epoca.
Sargent's quotes:
1 - "Rational expectation models is the last communism. God, the economist, and the agents living in the model believe in it."
2 - "Tolstoy's Anna Karenina begins with: ' All happy family are happy in the same way, but all unhappy families are unhappy in different ways.' Well Bob Lucas would requote as, "All complete markets are happy in the same way; but all incomplete markets are unhappy in different ways. --- But before we go to Tolstoy, we have to talk about Stalin first."
3 - "A good economist** must know (by heart) 5 things:
i - The Central Limit Theorems;
ii - The Law of Large Number;
iii - The two fundamental theorems of Welfare economics;
iv - Lagrange Multiplier;
v - The Separating Hyperplane Theorem."

** Acho que ele quis dizer "academic economist"...so pode ser. rs

Abraços

J.