teste

segunda-feira, 14 de março de 2011

Mais um blog de respeito

A dica veio do Leo Monastério assim como o texto abaixo. 


Os craques da consultoria do Senado Federal se juntaram com o Instituto Fernand Braudel e criaram o novo blog. Olhem as perguntas e respostas que já estão no ar:
  • Por que instituir a previdência complementar do servidor público?
  • É possível controlar o gasto do Governo apenas enxugando os desperdícios?
  • A isenção do imposto de renda na poupança é um subsídio justo e eficiente?
  • Deve o Brasil persistir no fomento aos biocombustíveis mesmo com a descoberta da volumosa reserva de petróleo do pré-sal?
  • Por que precisamos reformar a previdência?
  • O TCU atrapalha o bom desenvolvimento das obras de infraestrutura do Governo Federal?
  • Por que o Brasil não utiliza as reservas internacionais para financiar investimentos públicos em infraestrutura?
  • O que fazer para melhorar a eficiência dos servidores públicos e reduzir as despesas de pessoal do governo?
  • O que é e para o que serve o “Resultado Primário”?
  • Como as Leis e o Poder Judiciário afetam a Economia?
Já está no blogroll aqui do lado.

Reações:

11 comentários:

Ótima ideia. Excelente iniciativa

Do “Quem somos” do blog

“A idéia de sua criação surgiu em conversas travadas pelo grupo acerca da necessidade de se disponibilizar explicações sobre questões econômicas que ajudassem os eleitores a entender as escolhas feitas pelo setor público na gerência da economia.”

O fato do Marcos Mendes ser um dos editores para mim já é razão suficiente para acompanhar o blog. Minha admiração é recente e surgiu quando descobri um “Texto para Discussão” a respeito do TAV. Nós, os contribuintes, temos com o autor uma enorme dívida de gratidão.

O primeiro texto de Marcos José Mendes serviu ao embasamento técnico da recomendação do MPF-DF de suspensão da licitação do TAV. O autor e o trabalho são citados no Procedimento Preparatório da procuradora Raquel Branquinho (MP-DF).

A notícia no site do MP a respeito da recomendação 

"O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) recomendou à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que suspenda, imediatamente, a licitação para concessão de exploração do trem bala, no trecho Rio de Janeiro-Campinas (SP)"

http://www.prdf.mpf.gov.br/imprensa/25-11-2010-mpf-df-recomenda-suspensao-imediata-da-licitacao-para-o-trem-bala-rio-campinas/?searchterm=recomenda%C3%A7%C3%A3o%20trem%20bala

A íntegra do Procedimento Preparatório 1.16.000.003765/2010-66 
Ao Senhor Bernardo José Figueiredo Gonçalves de Oliveira
Diretor-Geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres –ANTT
SBN Quadra 02, Lote 17, Bloco C, 12º andar, Asa Norte
70.040-020 – Brasília-DF.

http://www.prdf.mpf.gov.br/imprensa/arquivos_noticias/recomendacao-trem-bala-antt.pdf 

Os links para os textos de Marcos Mendes, que escreve com rigor e em linguagem perfeitamente adequada para os que não são versados no “economês”.

TREM DE ALTA VELOCIDADE: caso típico de problema de gestão de investimentos

http://www.senado.gov.br/senado/conleg/textos_discussao/NOVOS%20TEXTOS/Texto%2077%20-%20Marcos%20Mendes%20-%20TAV.pdf

TREM DE ALTA VELOCIDADE: novas informações para debater o projeto

http://www.senado.gov.br/senado/conleg/textos_discussao/NOVOS%20TEXTOS/Texto82-Marcos%20Mendes.pdf

Alex, vc se lembra do Toninho?

Tomo a liberdade de transcrever abaixo um comentário postado no blog dele sobre tua saída do Santander.

"
A grande noticia durante o reinado do momo foi a saída de Alexandre "eram os deuses astronautas" do cargo de economista chefe do banco espanhol. Sou cliente do banco e não fiquei nada feliz com a decisão, mas também conheço o seu ex-expregado e ate consigo entender a decisão. Fomos colegas por um curto período de tempo e, como lecionavamos no mesmo dia, sempre era possível trocar algumas palavras. Ele era tucano e tinha uma pessima impressão do PT. Acertou em relação ao primeiro e errou feio na analise do segundo: sua participação no governo petista é prova do seu erro de avaliação. Política nunca foi o forte dele. Mas era e é um bom economista. Li e gostei muito da sua dissertação de mestrado, mas nunca compartilhei sua paixão pela teoria neoclássica e sua visão sobre o uso da matemática em economia. Admirador e estudioso de Sraffa e dos chamados neo-ricardianos, leitor de Wittgenstein, era difícil engolir as suas teses, apresentadas com a modestia que era - parece ainda ser - sua marca registrada.

O mais importante é que ele conhecia e gostava muito de economia e isto, no meu mundo, é o que realmente conta. Ótimo professor, deveria voltar a Universidade e ajudar a criar um ambiente adequado ao debate acadêmico. Por enquanto o que temos é tão simplesmente tapinhas nas costas ...
"

Abraço, Pai Alex.

Quem é o falcão que o Delfim cita hoje no Valor?

Parábola do Pescador:

Era uma vez um pescador que vivia num arquipélago. Passou anos incrementando seu barco para que pudesse pescar em águas profundas. A dificuldade era conseguir construir um mastro resistente o suficiente para conduzir a embarcação com a potência necessária para navegar com segurança em mares ainda não navegados.
Houve uma tormenta terrível e uma tsunami atingiu sua ilha. Não é que veio com a onda um mastro exatamente como ele precisava. Bastava adaptar a sua embarcação, içar velas e usar toda sua potência para atravessar os mares que quisesse, quando quisesse para pescar os mais variados peixes. O pescador ficou todo contente, adaptou o novo mastro e se exibia para todos com a potência de sua embarcação, parte conseguida com muito trabalho ao longo dos anos, parte pelo mastro novo que achou na tsunami.
Mas no momento em que ia partir para enfrentar os mares, aparece um navio que lhe oferece a chance de ir pescar uma vez com eles em troca do mastro. O empreendimento era mais seguro, conseguiria pescar pelo menos uma vez a quilômetros do arquipélago com aquela tripulação. O custo era o mastro. O pescador que colecionava elogios no arquipélago pelo seu trabalho ao longo dos anos resolve trocar o mastro pela pesca no navio. Ao final da empreitada com certeza contará as façanhas de ter estado em águas distantes. Ninguém se importará muito quando ele voltar e continuar a navegar em seu barco pouco potente, incapaz de ir muito longe...

Abs

Tb

Legal termos mais um blog. Apesar de que a oferta de informação oficial me parece um tanto quanto elevada e muitas vezes de qualidade duvidosa. O que os blogs tem agregado me parece muito pouco. O provável é que temos mais um canal de comunicação aberto. As perguntas me parecem provocativas, mas nem por isso deselegantes.

Tb,

as reticências indicam que vc ainda não terminou de contar a parábola, certo?

Pai Alex.

Pai Alex:

As reticências fazem parte da estória. O pescador vai no navio, mas não sabemos se ele conseguirá seu objetivo que acredita ser evento certo. Apenas que já perdeu o mastro. Pode funcionar ou ele pode ser enganado pelos tripulantes.

Abs

Tb

Não respondeu nada. ESTÁ TUDO PENDENTE DE SER DISCUTIDO.