teste

terça-feira, 30 de junho de 2009

De volta à série "Testando os limites da cretinice"

"Brasília, 30 - O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), Márcio Pochmann, avaliou, há pouco, que uma redução da meta de inflação pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) seria um erro para a economia brasileira porque implicará na adoção de uma política monetária mais restritiva. Segundo ele, interromper ou suavizar agora o processo de queda da taxa Selic não é adequado para o quadro recessivo da economia."

É impressionante como, mais de 30 anos depois de Friedman e Phelps, 25 anos depois de Lucas e Sargent, ainda há "economistas" que continuam a ignorar o papel das expectativas de inflação e a acreditar que há uma troca estável entre inflação e crescimento.

Por outro lado, vocês devem lembrar que, num post abaixo (http://maovisivel.blogspot.com/2009/05/uma-pergunta-ou-varias.html), detaquei uma consequência metodologicamente importante da hipótese das expectativas racionais, qual seja, impor ao modelista a disciplina de não criar agentes menos inteligentes que ele próprio (ou ela própria, é claro). Neste aspecto metodológico a declaração do Torquemada de Campinas é inatacável: ela é, sem dúvida, válida num modelo em que os agentes sejam tão cretinos quanto seu autor.

Reações:

56 comentários:

Alex quanto você cobra para da umas aulinhas para Pessoal do CMN e o Pochmann?

Ótimo post. O novo Diretório Central do Partido (ex-IPEA) é agora responsável pelas melhores fontes de piada para economistas.

abs

José Carneiro

Carequinha você também "chingou" Sergio Werlang de quermesseiro,"Pai" do regime de metas de inflação no Brasil.

"a manutenção da meta atual é o que chama de "rigidez do salário nominal". Em outras palavras, a Constituição não permite a redução de salários. "Com isso, a economia tem de se ajustar pela alta dos preços", explicou. O economista argumenta que 4,5% não é um nível tão superior ao dos Estados Unidos, onde a inflação anual oscila entre 2,5% e 3%, e na Europa, fica entre 2% e 2,5%. "


Lucrécio

MUITO ALEM DA CURVA DE LAFFER, ou A ETICA DOS PIGs I


Um dia na Grecia Antiga, na cidade de Mileto, um tal de Thales reuniu a mocada na acropole, e anunciou:

"Tigradis, toda vida vem da AGUA!"

A galera ensandecida gritou: "YES!"

Estava fundada a filosofia ocidental. Depois de Thales vieram outros como Anaximander, Heraclito, Parmenides, etc, ate' que um dia no seculo 5 AC, apareceram os sofistas.

Naquela epoca ter educacao basica nao era suficiente. Para subir na vida o neguinho tinha de ser pupilo de algum filosofo. Os sofistas de certa forma vieram a preencher esse vazio, mas de uma maneira muito peculiar. Para ser 'formado', o pupilo tinha de arguir os dois lados de uma questao com igual competencia. Segundo eles nao havia certo ou errado, pois "o homem e' a medida de todas as coisas". Isso rendia uma boa grana para aqueles canalhas, a ponto de se dizer 'a boca pequena em Atenas que "um Protagoras - o maior dos sofistas - equivale a quatro Fidias - o maior escultor da antiguidade, quica' da historia."

Ve-se portanto que ha' muito tempo o homem da' mais valor a quem o engana do que a quem realmente produz. Vai ver que e' por isso que os presidentes da republica daqui e dai' sao quem sao.

Como consequencia do raciocinio relativista dos sofistas, nao havia entao o que se chamar de 'conhecimento'. Veio entao um tal de Socrates, o qual criou uma tecnica de arguicao chamada 'dialetica', que acabou demonstrando que o relativismo per se nao existe. Alem disso Socrates ensinava de graca. Desnecessario dizer que o mataram.


to be continued...

MUITO ALEM DA CURVA DE LAFFER, ou A ETICA DOS PIGs II


Um discipulo de Socrates, chamado Platao, escreveu um livro chamado 'A Republica', onde ele delineia o que chamou de "Teoria do Conhecimento". Em termos simples, esta teoria estabelece dois pilares:

1- O da Ignorancia Invencivel: decorre do fato de nao ser possivel pensar em "nada". Se nao e' possivel pensar em "nada", nao e' possivel aprender porra nenhuma sobre o tema.

2- O do Conhecimento Dialeticamente Demonstrado, chamado por ele de Formas. Por exemplo, sabe-se que a razao entre o perimetro e o diametro de uma circunferencia e' Pi.

O que seria entao uma "opiniao"? Alguma coisa situada entre "conhecimento" e "ignorancia". Quanto maior o conteudo de conhecimento embutido na "opiniao", maior a sua validade.

No entanto este conceito deixou um no' desatado. Por exemplo, 10 graus centigrados para um campones no nordeste e' frio pra cachorro; ja' prum esquimo' no Polo Norte e' calor senegalesco. Neste ponto portanto tudo gira em torno de opinioes.

Vai dai' que uma parcela consideravel de fulanos, em particular defensores de filosofias esquerdistas, tende a forcar a barra de tudo quanto e' jeito para impingir 'a sociedade o 'relativismo' como modo de vida. Pra inicio de conversa a opiniao de um idiota qualquer e' colocada em pe' de igualdade com a de um sabio. Com a voracidade de um velociraptor esses mesmos cretinos acanalhados, ou melhor dizendo, canalhas acretinados pregam o relativismo da ETICA.



to be continued

Não que eu defenda o Pochmann, longe disso, mas de fato diminuir a meta e se basear tal diminuição em expectativas racionais, é preciso que o movimento do CMN seja crível. Não tenho certeza que mudar a meta de 4,5 para 3,5 por exemplo seja crivel.

MUITO ALEM DA CURVA DE LAFFER. ou A ETICA DOS PIGs III


Imaginem os caros cumpadres tendo de definir uma escala hierarquica para os tres legitimos desejos listados abaixo:

1- O desejo de sobreviver
2- De ser honesto
3- De enriquecer

Como e' que a dileta cambada agiria?

Defendemos portanto que ETICA nao e' um conceito relativo, mas absoluto. Etica e' a hierarquizacao de desejos. Alias, pensar que 'etica' e' um conceito relativo e' uma cretinice muito grande, pois etica e' um substantivo. Vejam voces a relacao entre LEI e LEGAL. Nao ha' o que opinar sobre "lei". Mas todos os dias milhoes de pessoas argumentam legitimamente seu conceito do que e' 'legal' em cortes espalhadas pelo mundo afora. Da mesma maneira se relacionam a etica e o etico.

A hierarquizacao dos desejos se da' em conformidade com um "grande desejo", ou aspiracao maior. No caso das socidades ocidentais esse "grande desejo" e' o desejo de ser pio. Na socidade nazista, era o aumento da felicidade obtido pelo aumento de poder, conforme pregado pelo amoral Nietzsche. Vejam os cumpadres que segundo uma aspiracao ou outra, a ordenacao de prioridades dos tres simples desejos colocados acima varia fundamentalmente.


to be continued...

MUITO ALEM DA CURVA DE LAFFER, ou A ETICA DOS PIGs IV


Num comentario de post anterior, o companheiro PIG lancou-se com sofreguidao desmesurada 'a rapina do meu dinheiro. Ele quer porque quer arrancar meu dinheirinho suado para pagar seguro-saude universal pra galera ilegal ou ociosa. Coloquemos pois o dilema etico para nossa tigrada, agora ja' suficientemente iniciada no assunto.

Desejo 1

Preservacao do direito de propriedade.


Desejo 2

Ter seu seguro-saude pago pelos outros.


Vejam os cumpadres que no Barakistao a alimentacao ja' e' fornecidade gratuitamente pelo estado, via food stamps. A moradia tambem e' garantida de algum modo via albergues ou "projects". Agora individuos como o PIG querem que eu financie a festa da saude. PORRA, BARALHO, QUAL E' A PUTA DA OBRIGACAO QUE OS INDIVIDUOS TEEM AO NASCER? Estarao todos eles PIGados nas costas de quem trabalha por toda a sua desgracada existencia? Um individuo nao tem mais o direito ao fruto do seu trabalho por que ha' um Pigak Obama querendo distribuir para neguinho aquilo que ele nao ganhou? Qual e' a aspiracao etica que ordenaria os desejos mencionados acima?

Vejam bem onde chegamos, pessoal! Temos que achar man-to-man cocksuking normal, mas ai de nos quando queremos preservar a nossa propriedade!

PRO DIABO QUE OS CARRGUE A TODOS VOCES, PIGS!
E aos economistas que tentam rapinar mais algum pro estado pelo "ajuste fino" da curva de Laffer...


Um abraco de quebrar costela


Kleber S.

Alex, não há necessidade de chamá-lo de cretino. O debate deve ser de idéias e não de insultos. Faça como vc sempre fez: críticas inteligentes e bem humoradas. Mas xingar nao tah com nada.

abs

Parabéns pela entrevista na Globo News! Gostei especialmente da sua última resposta. Foi uma boa cutucada, hehehe.

Abs

Não há dúvidas de que se todos os agentes forem idiotas, ou descrentes da sinceridade de propósitos do CMN, o resultado de uma meta menor para a inflação seria uma política monetária mais restritiva. Jamais saberemos. Acho que eles enfrentam o dilema de ter de deixar a inflação cair mais para fixar a meta menor. Não creio que haja tempo para isso. As eleições estão batendo à porta e o Presidente do BACEN será candidato.

"Carequinha você também "chingou" Sergio Werlang de quermesseiro,"Pai" do regime de metas de inflação no Brasil."

Não. A expressão que eu usei foi "cretino".

Aliás, você gosta um bocado de argumento de autoridade... Que houve? Não sabe formular os seus ou é a falta de uma figura masculina na sua vida?

Alex dava para o Brasil se reduzida desde 2005 a 0,25 pontos percentuais,poderiamos ter uma meta de 3,25% para 2011.

Não faz sentido manter uma meta de inflação tão alta se as expectativas de inflação para 2010 estão abaixo da meta.O BC deve ser obrigado a subir a Selic em 2010 graças a essa sabia decisão.

TIO


Desca o sarrafo nessa raca de aves
de rapina incompetentes. Com toda veemencia.

Esse negocio de alisar e' coisa de veado.


Abraco de quebrar costela

Kleber S.

Não entendi pq o alex chingou o Werlang de cretino.

Alguma alma pura me explicará?

Aliás, você gosta um bocado de argumento de autoridade... Que houve? Não sabe formular os seus ou é a falta de uma figura masculina na sua vida?

Hummm quer dizer que na sua vida tem um monte de figura masculina?

Que bicha

Professor de DEUS Brasil o problema é que o Brasil não trabalha com o núcleo da inflação e sim o índice cheio.Isso faz com que o IPCA seja maior.Segundo ninguém garante que ER se aplica em IT.Nos primeiros anos de IT o Brasil nem consseguiu atingir a meta estabelecida pelo governo.

Chile e Perú tinham metas de Inflação mais baixa que a nossa,nada disso impediu que sua inflação escapasse da meta.Chegamos a conclusão que 4,5% é uma meta que é compatível com choques economicos.

Lucrécio

"Hummm quer dizer que na sua vida tem um monte de figura masculina? "

Não. Quer dizer que eu, ao contrário de você, não anseio por uma figura masculina... Mas não se preocupe: eu sou tolerante e seu segredinho está bem guardado...

"Chile e Perú tinham metas de Inflação mais baixa que a nossa,nada disso impediu que sua inflação escapasse da meta.Chegamos a conclusão que 4,5% é uma meta que é compatível com choques economicos."

Quem mandou ter um BC menos competente que o nosso, não é mesmo?

E como é que você chegou à (crase, por favor) conclusão mesmo?

" problema é que o Brasil não trabalha com o núcleo da inflação e sim o índice cheio.Isso faz com que o IPCA seja maior"

Hmmm.

IPCA15 12m até junho: 4,90
Núcleo por exclusão: 5,61
Núcleo médias aparadas: 4,81
Preços livres: 5,22

Você não se cansa de errar?

Errado professor de Deus,IPCA tirado o núcleo roda abaixo da meta 3,5.

"Quem mandou ter um BC menos competente que o nosso, não é mesmo?"

O problema é justemente esse, inflação não depende de expectativas e sim de oferta monetária.As expectativas deles estavão ancoradas.

Realmente eu desisto,provei que você estava errado e você não se convence.Vou cuidar do Meu Blog que é melhor.

Comentem lá no Meu Blog

http://www.cienciadaeconomia.blogspot.com/


Lucrécio

Alex,
a reportagem (http://br.noticias.yahoo.com/s/26062009/25/tecnologia-analistas-defendem-reducao-da-meta.html), afirma que o senhor teria feito um paper sobre o assunto.
Onde posso acessa-lo?
Abraços

A fala de Sergio Werlang (pelo menos o trecho q aí está) contradiz o que o Alexandre argumentou? Acho que não.

De qq forma, Lucrécio é realmente o quermesseiro clássico: uma mistura escrota de burrice e má fé.

"Errado professor de Deus,IPCA tirado o núcleo roda abaixo da meta 3,5."

O português é sofrível, a economia inexistente, mas será que nem a matemática se salva?

Em 12 meses o núcleo por exclusão está, como mostrei, a 5,6%. Se formos usar a útima observação e anualizá-la (um procedimento cretino, mas com este tipo de gente é preciso tomar todas as providências) teríamos (1,0039)^12-1= 4.8%, enquanto o IPCA cheio seria (1,0038^12)-1 = 4.7%.
Caso usemos o núcleo por médias aparadas teríamos (1,0046^12)-1= 5.7%.

Se quisermos pegar algo menos volátil e usramos a média do último trimestre anualizado teríamos:

IPCA 5.5%
Exclusão: 6.5%
Médias aparadas: 5.3%

Se usarmos o acumulado no ano anualizado:

IPCA: 5.1
Exclusão: 5.6
Médias aparadas: 4.9

Não dá 3,5% nem a fórceps. Talvez na Dimensão Z.

"O problema é justemente esse, inflação não depende de expectativas e sim de oferta monetária.As expectativas deles estavão ancoradas."

Chile: meta de inflação 3%
Expectativas em 2008 (12 meses à frente)

Jan 4.0
Fev 3.7
Mar 4.2
Abr 4.0
Mai 4.1
Jun 4.5
Jul 5.5
Ago 5.5
Set 6.0
Out 5.3
Nov 4.6
Dez 3.6

12 observações, as 12 acima da meta, com o pico ao dobro da meta (no nosso caso seria o equivalente a expectativas rodando a 9%).

Gol de novo (está ficando aborrecido)

Kleber:

Voce tem toda razao. O lugar ideal pra se viver e uma sociedade onde

- 50MM (1/6 da populacao) de pessoas nao tem acesso a medicina preventiva e sao sub-tratada. Sua caracterizacao dessa populacao como "ociosa e ilegal," mesmo que de brincadeira, e absurda.

- Um lugar onde o impacto dessa populacao sem acesso a medicina no custo total associado a saude e enorme e acaba funcionando como uma "tax" sobre todos. Voce acha que nao, mas ja esta pagando pelo healthcare dos outros, so que voce paga e os outros nao recebem o care!

- Um lugar onde nao ha realmente um mercado eficiente de healthcare services, em grande parte por causa das falhas sistemicas associadas ao sistema de seguros

- Onde primary care physicians sao cada vez mais escassos, onde os medicos tem incentivos opostos a prover o tratemento mais efetivo para maximizar o bem estar do paciente de forma efetiva e eficiente.

- Onde os custos por paciente or per capita sao os maiores entre os G-8 (do mundo), mas cuja efetividade (medida por quase qualqer bechmark - life expectancy, por example) esta no bottom

Eu sou modesto o suficiente pra reconhecer que eu nao sei prescrever a solucao ao problema. Mas dizer que tudo esta ok, ou que a reforma proposta e uma roubada pra beneficiar "ociosos e ilegais," nao e correto.

PIG

Alex,
a reportagem (http://br.noticias.yahoo.com/s/26062009/25/tecnologia-analistas-defendem-reducao-da-meta.html), afirma que o senhor teria feito um paper sobre o assunto.
Onde posso acessa-lo?
Abraços

O Pochmann é uma vergonha. "Economista" que não sabe inglês e matemática é, na melhor das hipóteses, um sociólogo.
É inadimicível um presidente do IPEA que nunca tenha lido os artigos clássicos de economia. Muitos autores não foram traduzidos; Solow e Romer não tiveram, que eu saiba, seus artigos traduzidos pra português. Logo, o presidente do IPEA nunca leu coisas que eu (do 5o semestre) já li e reli.
Mas a melhor do Pochmann foi o "estudo" que afirmava que o estado não só não estava inchado, como também era recomendada a contratação de mais pessoas. Vocês podem não gostar dele, mas engraçadinho ele é.

Diego - UnB

"Alex,
a reportagem (http://br.noticias.yahoo.com/s/26062009/25/tecnologia-analistas-defendem-reducao-da-meta.html), afirma que o senhor teria feito um paper sobre o assunto.
Onde posso acessa-lo?"

Daniel:

Desculpe. Acabei esquecendo de responder. É só me mandar um e-mail (alexandre.schwartsman@hotmail.com) que eu mando uma cópia da nota.

Uma versão sem todas as passagens está no próprio blog:

http://maovisivel.blogspot.com/2009/06/maus-habitos-e-mau-halito.html.

Divirta-se.

Abs

Alex

QUEM NAO TEM HEALTH CARE

1- Os 50 milhoes incluem pessoas que transitoriamente estao sem emprego, ou constam do hc benefit de outro provedor na familia.

2- "Quem nao trabalha, nao coma". Whose quote is that?

3- O "custo" de nao suprir HC para esses 50 mi e' a maior picaretagem economico/matematica/contabil da historia do planeta.

4- Se este custo fosse verdadeiro, o Brasil estaria fodido alem da imaginacao.

5- O custo do HC americano vem da 'tort' law, o que nenhum democrata ousa tocar pois a maior parte de seus fundos de campanha vem de advogados ambulance-chasers, em inumeros distritos eleitorais.

6- ALEM DISSO, QUEM E' QUE DECRETOU QUE HC DEVA SER SUPRIDO PELOS QUE TRABALHAM AOS QUE NAO TRABALHAM?


Last but not the least, a economia da Europa tem crescido muito mais que a americana, nao e' mesmo? Ou sera' o contrario? mas se e' o contrario, seu argumento sobre o drag economico dessa falta de HC nao se sustenta, num e' mesmo, cumpadre?


Um abraco de quebrar costela


Kleber S.

Alex você chegou a ter economia internacional com Simão Silber na USP?

Na graduação sim (acho que em 1984); na pós não. Bom professor e excelente economista.

"É impressionante como, mais de 30 anos depois de Friedman e Phelps, 25 anos depois de Lucas e Sargent, ainda há "economistas" que continuam a ignorar o papel das expectativas de inflação..."

"você gosta um bocado de argumento de autoridade... Que houve? Não sabe formular os seus ou é a falta de uma figura masculina na sua vida?"

Abc, Pai Alex

> Os 50 milhoes incluem pessoas que > transitoriamente estao sem
> emprego, ou constam do hc benefit > de outro provedor na familia.

Isso simplesmente nao e verdade. Existe um numero enorme de pessoas que trabalham e nao tem seguro, e cujo connjuge trabalha mas o seguro nao cobre adequadamente a familia (e.g., por causa de pre-exisiting conditions e caps), mas ganham mais do que o minimo para serem eligible pra Medicaid. As estimativas variam entre 30-55% do numero total de uninsured.

Existe um numero grande de "under-insured," que nao estao incluidos nos 50MM.

Kleber, voce emite opinioes generalizadas sobre o assunto baseadas no que voce deve ter ouvido no programa do Rush Limbaugh!

> 4- Se este custo fosse
> verdadeiro, o Brasil estaria
> fodido alem da imaginacao.

Vamos ver, qual e o numero de ER consultations per capita no Brazil e nos US? Qual e a incidencia de e o custo associado a complicacoes devido a doencas cronicas(diabetes, problemas cardio-respiratorios, etc) nos US e na Europa, e o custo per-capita?


> 5- O custo do HC americano vem da
> 'tort' law,

truco!total BS. |Rush Limbaugh talking point.

PIG

Veja essa última, Alexandre (do Sicsú): http://economia.uol.com.br/ultnot/2009/07/02/ult4294u2740.jhtm

TENHA DO'


Agora a saude publica no Brasil e' melhor que no Barakistao!

Amigao, se existir UM UNICO indice de saude publica no BR melhor que no BK, simplesmente desconfie ou do numero ou do indice!

RLimbaugh e' o Barakobama da direita. Se voce conhecer algum medico barakistano pergunte pra ele quanto do seu rendimento bruto vai para o seguro de mal-practice. Se ele disser menos de 35% DO BRUTO ele estara' mentindo.

Agora so uma mente enlucreciada ao extremo pode achar que o seguro generalizado vai cortar custo.

Under-insured e' uma opcao, meu chapa. A pessoa compra a cobertura que quiser pagar.

As drogas aqui custam uma fortuna porque ladores internacionais de patentes, travestidos de estadistas, simplesmente 'nacionalizam' os medicamentos em nome do bem-comum no seu pais. Por que esses canalhas nao pagam pelas pesquisas? E' obrigacao minha sustentar vagabundo em pais estrangeiro?
Entao todo o custo de pesquisa e de processos milionarios e' coberto pelo barakistano. Nao e' mesmo um desmilagre que o custo de saude publica aqui e' o maior do mundo?

Falae, o brazuka, qual foi mesmo o remedio brasileiro que recebeu patente internacional? A nacao lullo-petista contribuiu com o que mesmo? Foi so' com a rapinagem de patente, num foi?

E de mais a mais o senhor PIG nao respondeu a pergunta inicial: QUEM E' QUE DEU O DIREITO A QUALQUER VAGABUNDO EM QUALQUER PAIS DO PLANETA RECEBER SERVICO MEDICO GRATUITO?


Outro abraco de quebrar costela, por tras


Kleber S.

PS: PIG, vai dar uma voltinha de Airbus, vai!

Alex, o IPEA- Instituto Petralha de Economia Anarfa, saiu com essa:

Ipea diz que BC também é responsável pela queda do PIB no Brasil.

"A queda do PIB no quarto trimestre de 2008 e no primeiro trimestre de 2009 é um impacto da crise (internacional), mas é também resultado da política monetária implementada pelo Banco Central no início do ano passado", afirmou nesta quinta-feira o diretor de Estudos Macroeconômicos do Ipea, João Sicsú.

http://economia.uol.com.br/ultnot/2009/07/02/ult4294u2739.jhtm

Ou seja, trazer a inflação de volta pra meta não era (é) prioridade, até pq eles já sabiam da quebra do Lehman, da Fannie/Freddie e etc. Eu devia ter pedido os 6 números da mega da semana passada!

abraços.

P.S. obrigado pelo envio do modelo.

Alex poderia aproveitar para comentar a outra "desgraça" cometida pelo IPEA.

"Ipea diz que BC também é responsável pela queda do PIB no Brasil
A política monetária do Banco Central também é responsável pela queda do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, avalia o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica aplicada), órgão do governo.

"A queda do PIB no quarto trimestre de 2008 e no primeiro trimestre de 2009 é um impacto da crise (internacional), mas é também resultado da política monetária implementada pelo Banco Central no início do ano passado", afirmou nesta quinta-feira o diretor de Estudos Macroeconômicos do Ipea, João Sicsú.


"Quando a taxa de juros é elevada, espera-se que entre seis e nove meses ela tenha impacto sobre o ritmo de crescimento", disse Sicsú, chamando atenção para o fato de o BC ter aumentado a Selic em abril do ano passado, o que produziria reflexo na economia entre outubro e janeiro.

Em abril de 2008, a taxa subiu de 11,25% ao ano para 11,75%. Depois disso, houve mais três elevações nos juros, até alcançarem 13,75% ao ano em setembro. Em janeiro, o BC passou a cortar a taxa até ela chegar aos atuais 9,25% ao ano, a menor da história.

"Uma desaceleração já era esperada (por causa dos juros), independentemente de crise." Com os problemas internacionais, o que era para ser apenas desaceleração se tornou retração.

http://economia.uol.com.br/ultnot/2009/07/02/ult4294u2739.jhtm

Eu recebi de um amigo o mesmo comentário (interessante como as defasagen de política monetária podem ser invocadas quando interessa, não é?).

Minha resposta foi:

"Espera-se, do responsável pela análise conjuntural do Ipea, ao menos uma estimativa de quanto da queda se deveu ao aumento de juros e quanto resultou da crise. Isto dito, esperar que o João Sicsú consiga fazer esta conta pode ser pouco razoável.

Posso conseguir uma resposta melhora da Guiomar"

Pai Alex:

Como diria o filósofo Juarez Soares, uma coisa é uma coisa e outra coisa é ... outra coisa.

A menção ao Friedman-Phelps não é um argumento de autoridade, mas a lembrança que a importância das expectativas inflacionárias é reconhecida há 40 anos.

Abs

Alex

Exatamente. Acho que este é um bom ponto. A única crítica possível aqui é que talvez a trajetória de queda da inflação tenha sido ambiciosa demais, poderia ter sido mais lenta, como foi no Chile ou no México. Mesmo aí eu tenho minhas dúvidas, por que, no momento em que você anuncia uma trajetória de queda mais lenta, você muda também as expectativas e torna mais difícil. Esse assunto é bem complicado."


Trechos da entrevista de Arminio Fragano Valor.Carequinha até Arminio Fraga criticou a redução ambiciosa de queda na inflação no periodo de 2004 a 2006.A queda poderia ter sido mais suave.


Lucrécio

"Carequinha até Arminio Fraga criticou a redução ambiciosa de queda na inflação no periodo de 2004 a 2006.A queda poderia ter sido mais suave."

Eu não sei o que seria "redução ambiciosa de queda na inflação", mas seu analfabetismo ao escrever equivale a seu analfabetismo a ler.

Afinal de contas "Mesmo aí eu tenho minhas dúvidas, por que, no momento em que você anuncia uma trajetória de queda mais lenta, você MUDA TAMBÉM AS EXPECTATIVAS e torna mais difícil. Esse assunto é bem complicado."

Precisa de uma versão para colorir?

"É inadimicível um presidente do IPEA que nunca tenha lido os artigos clássicos de economia."

Pô Diego-UNB,

Não deixe de ler os artigos em inglês, por outro lado, não esqueça de estudar o nosso bom português. Assim voce queima ainda mais a UNB e brasilia.

Marcos-DF

O companheiro Lucrécio tem sérios problemas de redação e interpretação de texto. Tanto no texto de Werlang quanto no de Armínio não havia conflito com o que disse Alexandre. Ele tem uma (má) ideia na cabeça e a vê em toda parte. E ainda quer fazer intriga. Vá de retro quermesseiro, com sua gosma de burrice e má fé.

"quem é "Guiomar"?"

É a líder das cachorras vira-latas adotadas pelo meu filho. Certamente mais esperta que o Sicsú...

Alex o que um economista mais aprende durante uma pasagem pela diretoria do BC?

TIO, UMA PERGUNTA

Qual a diferenca entre "Economia Aplicada" e "Economia Nao-Aplicada"?


Um abraco de quebrar costela



Kleber S.

KLBR

Voce nao entende nada de helthcare, meu irmao. E voce que parece com o coitado do Lucrecio falando sobre o assunto.

Deixe eu explicar, so tres pontos, ja que nao tenho tempo de ficar te educando, e esta claro que pra voce esse e uma questao ideologica.

1. O numero de ER visitas per capita nos US sao cerca de 30-40 vezes o numero do Brasil (as estatisticas brasileiras sao inconfiaveis). O problema e que um numero muito grande desss visitas nos US sao de pacientes que nao em seguro e logo acabam procurando o ER pra tratamento de urgencia por condicoes que seriam facilamente gerenciadas se tivessem acesso a medicina de rotina/preventiva .

O numero de internacoes e complicacoes e reincidencia sao muito maiores nos US (do que no brasil ou em quase todos os paises do mundo), por causa dos caras sem seguro. As consequencias pro custo de healthcare sao obvias.

2. Esse seu papo sobre liability insurance, 35%, etc. Voce ta ERRADO. Isso varia por estado, e obviamente depende da historia pessoal de cada medico. Um primary care physician experiente e relativamente bem sucedido, no Nordeste americano, ganha tipicamente $150-200K por ano. Sem nenhuma historia de mal practice,o seguro anual e cerca de 11K. Cerca de 6-8%, pra te facilitar. Logo, voce esta ouvindo muito o Rush Limbaugh quando diz que e 35%.

3. Esse papo de drogas, patentes, etc e outro red herring. Em 2006, a health care industry nos US totalizaram cerca de 2 trilhoes. Prescription drugs foram cerca de 10% desse total. E antes que voce continue com as suas besteiras, generics correspondem a 50% das prescriptions nos US.

E pra finalizar, eu espero que quando voce perca seu emprego aqui nos US, voce nao se inscreva em COBRA e fique (voce e sua familia, se voce tiver uma) sem seguro. Afinal, ocioso nao deve ter acesso a medicina, certo?

PIG

Hoje 4 de julho é um bom dia para você pensar sobre os "impropérios ignobeis" que você disse contra o librealismo.

"Defendeu o pacote de Salvamento dos bancos."

Esse crise pacote tira o dinheiro do setor produtivo e DAR para setores ineficientes. O pacote de ajuda ao sistema financeiro se propunha a tirar 1 trilhão de dólares do setor produtivo para ajudar os agentes que foram ineficientes no passado.


"Você defendeu o aumento do endividamento do governo para conter a crise?" O resultado disso é o aumento de impostos no futuro.


"Disse investimento estatal em pesquisa pública era bom."Pesquisa pública é tira o dinheiro do contribuinte para fazer uma coisa que o próprio mercado faz.

"Hoje 4 de julho é um bom dia para você pensar sobre os "impropérios ignobeis" que você disse contra o librealismo."

O que houve? Não te deram alfafa suficiente hoje?

PIG

- Voce nao tem tempo nem conhecimento para me educar em qualquer assunto.

- HC, food stamps, etc, eu nao tenho posicao ideologica nenhuma a respeito, mas sim etica. Uma pena que voce nao tenha assimilado nada do demonstrativo acima.

1- Se as estatisticas nao sao confiaveis, como voce mesmo o diz, por que voce perdeu meu tempo com ela?

2- O numero que dei e' de medico que poe a mao na massa. E como qualquer seguro, seu premio e' variavel.

3- Generics tambem nao saem de graca. Custear 10 anos de pesquisa de uma droga que ainda vai ser lancada, custo total muitas vezes na caso do BILHAO, entra no custo fixo. Depois os pilantras da America do Sul 'nacionalizam' a droga pelo 'bem comum', assim eles podem continuar gastando o seu dinheiro em mensaloes...

Por toda minha vida - assim como de qualquer membro da familia S. - nos pagamos pelo nosso HC, comida, moradia, etc. Vai continuar assim, meu chapa, com emprego ou sem emprego.

Por isso deixe o meu dinheiro em paz.

Gozado que o numero da campanha do Bobama no ano passado era 40 milhoes. Agora subiu pra 50. Quem da' mais?


Um abraco de quebrar costela


Kleber S.

PS: Meu irmao e' meeeeediiicooooo!!!

Alex e demais, qual a real opinião de vcs sobre um aperfeiçoamento do regime de metas de inflação (RMI) no Brasil? Me parece coerente após 10 anos de utilização desse aparato institucional e da construção de credibilidade por parte do BCB algumas mudanças visando melhorá-lo.

Adoção de um núcleo e de um horizonte maior de tempo de convergência da inflação à meta, desde que feito com transparência, me parece razoável. Assim como o estabelecimento de uma meta fixa de longo prazo. Agora, confesso ter dúvidas sobre o valor da meta em si. O Alex defendeu uma meta menor em sua entrevista da globonews - com o argumento de gerar menores expectativas inflacionárias. Mas será que efetivamente faz diferença em termos expactacionais uma meta de 4,5%, 4,0% ou mesmo 3,5% ???

abs

ps: vcs viram o mais novo relatório do BIS propondo a classificação de instrumentos financeiros de maneira semelhante à indústria farmacêutica?

Kleber e PIG:

Vocês são inteligentes e razoáveis. Vamos buscar os pontos comuns e concordar em discordar?

Imperador:

A discussão acerca do núcleo já ocorreu e acho que o resultado não foi muito favorável.

A começar porque é mais complicado convencer a população e os formadores de expectativas que interessam (não o Focus e sim os formadores de preços) que a inflação sem (você escolhe: alimentos, preços administrados, seguro de carro, restaurante indiano, etc,etc) está controlada enquanto a inflação cheia corre muito acima.

Isto á patente na escolha de metas ao redor do mundo. Quase todo mundo usa o índice cheio (às vezes tiram os juros de hipotecas, para impedir que a própria decisão de política monetária afete a medida de inflação de forma espúria). Os núcleos são úteis para o entendimento da dinâmica inflacionária, mas, quando usados como meta, trazem mais problemas do que resolvem.

Segundo, com nosso histórico (e nao me refiro a expurgos) e coisas do gênero, já vejo o ministro da Fazenda brigando por definições de núcleo que retirem todos preços que sobem.

Quanto ao horizonte, isto já está contemplado no atual arranjo e eu posso testemunhar a respeito. Por exemplo, quando decidimos, em set-04, alongar o período de convergência à meta.

Quanto à meta fixa, sou totalmente a favor, mas ainda acho que o nível atual é alto e a banda larga demais. Teríamos expectativas melhor ancoradas com uma meta mais baixa e bandas mais estreitas.

Sem contar que, como mostrei no post de 13/jun, uma meta mais baixa poderia das um impulso adicional à retomada.

Abs

Alex

Eu falei com Jocildo especialista em economia monetária aqui da UFPE ele disse que seu modelo sobre expectativas de inflação só se aplica em caso de boas condições Macroeconomicas,caso não tenha uma boa condição macro fica díficil ancorar as expectativas de inflação.

Em 2001/2002 o Brasil não tinha uma condição Macro boa,as expectativas estavão ancoradas na meta estipulada pelo CMN.Vinha um choque externo as expectativas de inflação já começavam a subir.

"seu modelo sobre expectativas de inflação só se aplica em caso de boas condições Macroeconomicas,caso não tenha uma boa condição macro fica díficil ancorar as expectativas de inflação."

Duhhh. Ele percebeu isto sozinho ou leu que precisa de um BC sério para que a coisa funcione?

Fiz um MBA em finanças e me aproximei um pouco da teoria econõmica. Gostaria de alguma luz sobre alguns pontos: como é a mecânica de transmissão à inflação (através dos formadores de preços) de uma expansão fiscal. Uma elevação de 1%do PIB, por exemplo, dos gastos públicos é sem dúvida percebida por economistas, mas pode ser percebida pela Main Street? Uma elevação pontual nos gastos públicos pode ser neutralizada pelo movimento de alta da curva de juros pelo mercado, com economistas precificando uma preocupação?

Abraço

Anônimo,

a política fiscal afeta os preço pela expansão da demanda, ou seja, através de uma instituição bem antiga à qual chamamos mercado.

Ou seja, o presidente não precisa enviar um comunicado a main street dizendo

"Prezados, fizemos um estímulo fiscal, favor subirem os preços.
Att, o presidente"

Qualquer gráfico em cruz resolve o seu problema; basta ter em conta que os gastos do governo são um componente da demanda agregada.

Abraço, Pai Alex