teste

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Reinhart & Rogoff strike again

Belo artigo de Reinhart & Rogoff, seja pelo trabalho meticuloso com os dados, seja pela lição sobre os limites que economistas (principalmente acadêmicos, mas não só eles) devem respeitar mesmo engajados em partidos políticos.



Reações:

27 comentários:

Belo artigo. Um contraste notável com o discurso dos dois candidatos, que prometem uma recuperação imediata, como se quatro anos de mandato fossem suficientes para reverter uma crise tão profunda. Fica-se assustado só de pensar que, nessa crise, tal como ocorreu no pânico de 1907, o nível de desemprego possa levar dez ou mais anos para voltar ao patamar pré-crise.

ALEX,A ELEIÇÃO DE UM REPUBLICANO MUDARIA ALGUMA COISA NO RUMO DA ECONOMIA AMERICANA?

O que realmente é curioso nessa discussão é porque mesmo com todo o learning das crises passadas, de como responder a elas, etc, os ciclos seguem quase que idênticos aos de 100 anos atrás!

Economista X,
Mas você não tinha morrido?
Nossa, tem mais vidas que um gato...

Um livro bom sobre international trade é o Applied International Trade, dos Bowen, Hollander e Viaenen.

Finado X
Os ciclos se mostraram parecidos, mas o intervalo entre crises sistêmicas está se expandindo, donde concluo que um monte de crises foram evitadas antes de se tornaram sistêmicas, então o learning aconteceu de fato - palmas para os economistas e para os Bcs! E o medinho desta crise foi maior porque passamos muito tempo esquecendo as crise de grandes proporções, ou seja ficamos mimados.
Maradona
PS: Meu modelo prevê a próxima crise sistêmica no ano 2120.

Esse uso da palavra "learning" é para mostrar conhecimento de Economia ou inglês?

Coisa ridícula...

Salve-se quem puder. O Eike Batista chegou ao ramo de consultoria econÔmica.

"Esse uso da palavra "learning" é para mostrar conhecimento de Economia ou inglês?".
Entendo o X, alfabetizado num college americano. Afinal "aprendizado" é com Z ou com S?
Também é usual a utilização de termos em inglês (em países anglo-saxões principalmente). Esse maldito hífen de "anglo-saxão", por exemplo, pode estar errado na nova regra ortográfica. Inglês é mais fácil.

"um monte de crises foram evitadas antes de se tornaram sistêmicas, então o learning aconteceu de fato"

Ou a ciência econômica sabe empurrar a crise com a barriga mas não sabe evitá-la...

Isso ainda vai cair nas mãos de algum marxista!

"Ou a ciência econômica sabe empurrar a crise com a barriga mas não sabe evitá-la..."
Se isso for verdade, então essa crise não será igual às anteriores, será pior. É fato que a crise ainda nos ronda, que as dívidas estão em patamares preocupantes, que o balanço dos BCs está uma coisa, que o bônus demográfico já foi pro beleléu, mas por enquanto, segundo mostra Rogoff, o paciente apresenta recuperação típica do problema que acometeu.
Maradona

Alguém aí falou que a língua portuguesa é muito complicada. Concordo! Melhor misturar as palavras quando não sabemos o que escrever ou quando queremos mostrar que somos moderninhos e temos uma linguagem de mesa de operações.

Leiam o ultimo livro do Zingales.
R&R e o dis taime isx diferenti já deu no saco...
Escrevo direto do reino de Hades, Anonimo.
Sem viadagens em relacao a palavras em ingles, voce é melhor que o Aldo Rebelo, cacete.
Acho que aprendemos um pouco, mas os lobbies do mercado financeiro ficaram gordos demais nos últimos 15 anos.

Um monte de crises FOI ...

Galera, vamos focar no inglês, que é bem mais easy!

Um livro bom sobre international trade é o Applied International Trade, dos Bowen, Hollander e Viaenen.

http://www.palgrave.com/products/title.aspx?pid=279617

Entrevista com Lance Taylor

http://www.challengemagazine.com/Challenge%20interview%20pdfs/Taylor%20Structuralist%20Economics.pdf

"Acho que aprendemos um pouco, mas os lobbies do mercado financeiro ficaram gordos demais nos últimos 15 anos."
Indeed.
Se o Mantega sair da Fazenda, ele ficará livre para resolver essa questão em âmbito internacional. Se segura Wall Street!
Maradona

"Alguém aí falou que a língua portuguesa é muito complicada. Concordo! Melhor misturar as palavras quando não sabemos o que escrever ou quando queremos mostrar que somos moderninhos e temos uma linguagem de mesa de operações."
http://www.cincomunicacao.com.br/o-desespero-de-apolonios/

O'Neill Idolo!


http://www.bloomberg.com/news/2012-10-22/o-neill-says-brazil-criticism-of-qe3-no-fix-for-economic-woes.html



Mais um no coro "Cala a boca Mantega!!"


abs
Xian

Talvez o Manteiga deveria ler com cuidado esse livro aqui:

http://www.indiana.edu/~econweb/econeduc/buffie.html

John McLaren, professor de Economia Internacional na Universidade de Virginia, está lançando um livro sobre International Trade que vai competir com os melhores do campo.

Eis aqui o preface num draft anterior:

http://people.virginia.edu/~jem6x/preface%20and%20table%20of%20contents.pdf

Que vergonha! Os burocras do FMI fazendo campanha deslavada para o socialista Obama.

Assim a economia americana nunca vai se recuperar mesmo. Ainda tem gente defendendo atuação estatal ao invés da livre iniciativa do crédito e da emissão de moeda.

Resumo tudo com uma palavra: LAMENTÁVEL.

Austríaco

Livre emissão de moeda...

Só um gênio para sugerir isso.

Livre emissão de moeda... como isso ajudaria de fato? Seria pra previnir ou para sair de crises? Nunca entendi o o porque isso é tão falado por alguns. Sem querer ser ofensivo mas, isso não parece fazer muito sentido.

Guilherme

A ignorância econômica de alguns me deixa profundamente cansado... mas, vou explicar:

Como Ludwig von Mises certa vez disse, a história do dinheiro é a história dos esforços governamentais para desvalorizar o dinheiro. O controle estatal sobre a moeda logrou apenas inflação monetária, empobrecimento da sociedade em relação ao estado, ciclos econômicos devastadores, bolhas financeiras, consumo de capital (dado que a inflação falsifica a contabilidade de lucros e prejuízos), risco moral e, acima de tudo, a expropriação da população de maneiras que ela é incapaz de entender. É esta expropriação silenciosa via inflação monetária que possibilita o contínuo agigantamento dos estados e de sua tirania ao redor do mundo, e são todas estas agressões combinadas que constituem um convincente sumário popular contra o atual sistema monetário e a favor de um substituto monetário gerido pelas forças da livre concorrência.

Entendeu, ou quer que eu desenhe???

Austríaco

gostei desse trecho

Indeed, in our initial published study on this topic, in 2008, we showed that systemic financial crises across advanced economies had far more serious economic consequences than borderline ones. Our paper, written nine months before the collapse of Lehman Brothers Holdings Inc. in September 2008, showed that by 2007, the U.S. already displayed many of the crucial recurring precursors of a systemic financial crisis: a real estate bubble, high levels of debt, chronically large current-account deficits and signs of slowing economic activity.

deu até frio na barriga.

Alex, vc nunca fez nenhum comentario sobre a nossa bolha imobiliaria, já tem gente perdendo pequenas fortunas nisso, outros tendo prejuizos cozidos em banho-maria dos custos e taxas